Diário da Região

01/07/2003 - 00h07min

Orientação familiar

Como falar com o filho sobre sexo?

Orientação familiar

Banco de imagem NULL
NULL
Como responder às perguntas sobre sexo feitas pelas crianças? Essa dúvida costuma deixar os pais em situações delicadas, principalmente aqueles de primeira viagem, já que, muitas vezes, não estão preparados para lidar com o assunto. Diante da sexualidade cada vez mais precoce das crianças, que estão mais informadas e espertas se comparadas com a geração de seus pais, qual deve ser a postura de quem educa ao se deparar com as curiosidades sexuais dos filhos? Qual a posição que os pais devem adotar quando são surpreendidos por perguntas como ?de onde eu vim??, ?por que o você e a mamãe ficam trancados no quarto??, ?por que vocês beijam na boca??. Nesses momentos é melhor repreender, ignorar, mentir ou despistar o enfoque do assunto contando histórias fantasiosas? Segundo a psicóloga infantil Cristiane Bertucci nenhuma dessas alternativas é a solução mais adequada para educar sexualmente as crianças. Responder a verdade com calma e somente à pergunta feita basta para sanar a curiosidade dos pequenos. A compreensão é essencial para não traumatizá-los com atitudes autoritárias, como se as crianças estivessem passando dos limites ao querer respostas para as suas curiosidades. Eles não vêem maldade alguma nas suas questões, pelo contrário, a malícia está no adulto.

?É necessário sempre dialogar com naturalidade, mesmo que os pais não estejam preparados. Assim, o desenvolvimento sexual dos pequenos não será bloqueado. Se as crianças sofrerem traumas durante a fase de descobertas e curiosidades poderão se transformar em adultos com bloqueios sexuais?, adverte a psicóloga Cristiane Bertucci. Os pais, normalmente, ficam desorientados porque não sabem exatamente como explicar as dúvidas sobre sexo aos seus filhos. Por mais que a questão, a princípio, pareça delicada, é simples de ser resolvida. Segundo a psicóloga Sandra Valéria Sanitá Carneiro da Costa os adultos devem deve ser sinceros e esclarecer as dúvidas dos filhos em uma linguagem acessível e, é claro, de acordo com o universo deles. A mentira deve ser esquecida. Quando os pequenos descobrirem pelos amigos da escola, por exemplo, que a história verdadeira sobre gravidez não é aquela que ouviram em casa irão perder a confiança na família. Pensando em ensinar como lidar com essas questões, os americanos Justin Richardson e Mark Schuster reuniram no livro ?Tudo o que você nunca quis que os seus filhos soubessem sobre sexo (mas tinha medo que eles perguntassem)? as principais dúvidas dos pais em consultório, que ficam desesperados, sem saber como agir quando surpreendidos com as curiosidades sexuais dos pimpolhos.

Segundo os autores, a curiosidade é natural das crianças e em nenhuma idade é prejudicial falar sobre sexo com elas. Os pais podem explicar desde como os bebês são feitos até porque o papai e a mamãe dormem juntos. As perguntas serão freqüentes, mas ficarão mais específicas conforme as crianças aumentarem o conhecimento sobre o assunto. ?Os pais, às vezes, se atrapalham porque na ânsia de liqüidar as dúvidas dos pimpolhos acabam falando demais, o que é desnecessário, porque as crianças querem saber apenas o que perguntam?, explica a psicóloga Cristiane Bertucci, Ela acrescenta que atualmente a criança tem muita informação à disposição, por isso o desenvolvimento é precoce e as perguntas mais ?ousadas?. Para os autores americanos, diariamente os pais têm oportunidades para falar sobre sexo com os filhos, como a gravidez de uma vizinha, com quem os pequenos tenham contato. Eles vão ver a barriga crescer e, é claro, terão as suas dúvidas. Justin Richardson e Mark Schuster aconselham os pais a conversarem sobre o assunto usando livros didáticos que abordem o tema.

Saiba mais:

>> As crianças não têm malícia quando fazem perguntas sobre sexo. Os pais nunca devem repreendê-las com castigos
>> Sempre diga a verdade. Mesmo que a pergunta exija habilidade para respondê-la, é indispensável sempre dizer a verdade aos pequenos
>> Ao ensinar os nomes das partes íntimas, os pais devem usar as palavras corretas para os órgãos sexuais
>> O t

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso