X
X

Diário da Região

22/11/2015 - 00h28min

Livros do bem

Bem-Estar traz dicas de livros desta semana

Livros do bem

Banco de Imagem NULL
NULL

 

 

A revista Bem-Estar traz todos os domingos, dicas de livros para os amantes da leitura. Confiram!

 

 

livro_Psicopatas Do Cotidiano

Psicopatas do cotidiano – Como conhecer, como conviver, como se proteger

Katia Mecler
256 páginas
Casa da Palavra
R$ 34,90

"Psicopatas do cotidiano" apresenta uma abordagem clara para um tema controverso. Em uma análise original, a psiquiatra Kátia Mecler estabelece dez tipos de transtornos de personalidade e explica os traços patológicos intrínsecos a cada um deles - tornando possível que o leitor possa identificar as diferenças entre aqueles que simplesmente rompem com os modelos sociais e os que são realmente vítimas de desvios comportamentais resultantes de patologias. E eles podem estar em qualquer lugar: nos supermercados, nos hospitais e até mesmo dentro de casa.

 

 

livro_Cara De Um Focinho Do Outro


Cara de um, focinho do outro – A interação entre os animais e seus tutores

Marcos Fernandes
192 páginas
Butterfly editora
R$ 29,90

Acostumado a ouvir em consultório relatos emocionados de casos de cura de depressão, síndrome do pânico, ansiedade e falta de motivação, em que a presença do bichinho fez toda a diferença para sua recuperação, o psicanalista e veterinário homeopata Marcos Fernandes revela na obra que os animais interagem com seus tutores mais do que eles possam imaginar. Para esclarecer essa relação afetiva, o autor lançou mão da psicanálise. Ao longo dos capítulos, ele expõe várias modalidades de amor projetadas pelos tutores em seus companheiros animais e aborda semelhanças emocionais e físicas entre eles. Dessa relação, é comum animais acabarem apresentando doenças ou comportamentos semelhantes aos de seus tutores - fenômeno explicado por Marcos Fernandes por meio do que ele chama de campos morfológicos.

“ENTRE LIVROS E PALAVRAS”

 

Escritor Assis Furtado Assis Furtado é carioca radicado em Araraquara. Seu livro de contos evocam os desafios da passagem para a maturidade

‘Morro da Dezembrada’, de Assis Furtado

O primeiro livro de Assis Furtado, escritor carioca radicado em Araraquara, apresenta nove contos que evocam os desafios, conflitos e descobertas do sinuoso caminho de passagem para a maturidade. O título "Morro da Dezembrada", além de nomear um dos contos, faz alusão ao espaço mítico - e irrecuperável - onde se passam as histórias. Em matéria publicada no Diário da Região (14/10/15), o autor explica que procurou colocar nos textos "as dores, as frustrações e até mesmo as alegrias das relações humanas" com base em suas experiências pessoais, sem torná-los autobiográficos. No conto "Trânsito", por exemplo, acompanhamos a conversa de um taxista que aproveita o exíguo tempo da corrida para se abrir com uma passageira, confessando o sonho de conhecer a Itália e a difícil experiência de perder um antigo amor da juventude. Contudo, é interessante notar que o texto soa como um monólogo até o momento em que o taxista completa o trajeto e, oportunamente, pergunta o destino final da passageira. Vejam um trecho do conto em questão:

 

colunista_patricia Reis Buzzini Patrícia Reis Buzzini, tradutora e Doutora em Estudos Linguísticos pela Unesp

"É que na verdade ainda não sei o que é pior: se é conhecer o próprio coração partido ou se é ignorá-lo. Chorei demais no meu quartinho, minha senhora. É verdade, sim. Não falo isso para a senhora rir, não. Tem gente que ri, fazer o quê? Há crueldade. Quando tinha lá meus vinte anos de idade, conheci uma ucraniana. Lizaveta Roksolana: 'Isabelinha, a vermelha', na tradução. Chamavam ela de 'Lana', que era mais fácil de falar. O trigal, mar dourado, ondulado ao vento, cabelos dela. Narizinho, queixinho, olhinho. Ela dançava; girava a saia; sorria. Lana. E escapou destes braços meus, minha senhora. Deixei. A vida não se entende, não é o que dizem por aí pela praça da Santa Cruz? A senhora nunca ouviu dizer? É porque quem diz isso aí sou eu, mesmo. Agradeço a senhora escutar. A senhora é que nem eu, que eu sei. Gosta da vida. É aqui que a senhora desce. Vai tomar o trem para onde? (...)" (Trânsito, p. 78)

Narrados de uma perspectiva masculina com uma linguagem fluida e instigante, cada conto nos faz percorrer um "cantinho" diferente da memória, levantando questões e propondo uma espécie de experiência sensorial. Indicadíssimo!

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso