X
X

Diário da Região

10/11/2016 - 01h54min

Mindfulness

Atenção Plena

Mindfulness

Flávio Lavanini/Divulgação Em Rio Preto, Carolina Galvani tem feito um trabalho de divulgação de mindfulness. Ela é instrutora com formação pela Mindfulness Trainings International (MTI)
Em Rio Preto, Carolina Galvani tem feito um trabalho de divulgação de mindfulness. Ela é instrutora com formação pela Mindfulness Trainings International (MTI)

Método conhecido como atenção plena, a mindfulness é um termo que pode designar um estado mental, um conjunto de técnicas ou exercícios mentais. Estudada pelo Centro Mente Aberta, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a iniciativa tem ganhado muitos adeptos na capital paulista e se espalhado por todo o Brasil. Em Rio Preto, em março de 2017, um curso prático será realizado com o objetivo de conquistar ainda mais praticantes. 

Nos Estados Unidos, uma das praticantes é a apresentadora de TV Oprah Winfrey. No Reino Unido, mindfulness já é usado pelo sistema de saúde público como tratamento preventivo a recaídas de depressão. Na Holanda, seguros de saúde já cobrem parcialmente a participação em programas de mindfulness. Grandes empresas, como Google, Facebook, Twitter e Goldman Sachs, oferecem mindfulness a seus colaboradores como uma ferramenta de bem-estar e inteligência emocional. 

Quem estiver em São Paulo no dia 4 de dezembro poderá ir até o Parque Ibirapuera, das 9h às 10h, para um encontro sobre práticas de mindfulness. A atividade gratuita é coordenada pelo médico Marcelo Marcos Piva Demarzo, professor da Unifesp e coordenador do Mente Aberta, e é destinada tanto a praticantes quanto pessoas que nunca tiveram contato com essa prática e desejam conhecê-la. No encontro, há uma conversa teórico-prática introdutória sobre mindfulness e promoção de saúde. 

Interessados em participar do encontro devem vestir roupas confortáveis e levar um colchonete, almofada e/ou cadeira portátil ao parque. Uma das ações do mindfulness é parar e estar presente. O estado mental pode ser treinado por meio de técnicas ou exercícios meditativos e psicoeducativos. É um espécie de meditação, em que um grupo de pessoas senta em círculo, em posição de lótus, por exemplo, e treina o cérebro a ser mais consciente e ter mais atenção, que é o contrário do agir no piloto automático.

A técnica tem ajudado a controlar a ansiedade, aliviar a depressão e reduzir o estresse. Várias pesquisas têm confirmado a técnica como atuante na promoção da saúde e no combate a doenças como câncer, ansiedade, depressão, dor crônica e cardiopatias, e outros transtornos relacionados ao estresse. "O mindfulness atua na melhora da atenção, concentração e criatividade", afirma Demarzo. 

Qualquer pessoa pode participar, desde crianças até idosos. Em São Paulo, um grupo da Polícia Militar participou de encontro de mindfulness. A ideia, segundo Demarzo, foi popularizar a técnica e chegar a todas as classes. O especialista tem levado a prática ao Sistema Único de Saúde (SUS), em Santo Amaro, na Capital, onde estão sendo montados grupos de pacientes para o aprendizado da técnica. 

Em Rio Preto, Carolina Galvani tem feito um trabalho de divulgação da técnica. Ela é instrutora de mindfulness com formação pela Mindfulness Trainings International (MTI), liderada pelo mestre Jangchub Reid, que ensina meditação há mais de 40 anos. Em marco e abril do ano que vem ela vai promover um curso com 9 encontros com duração de 8 semanas. "Será um curso prático que ensinará os participantes a praticarem mindfulness e obterem ganhos para a saúde mental e física", explica. 

Tomografias cerebrais realizadas pela Escola de Medicina de Harvard mostraram que pessoas que participaram de um curso de mindfulness de 8 semanas e depois continuaram praticando em casa tiveram significantes alterações cerebrais que explicam porque o método é efetivo para a saúde. Houve um aumento de volume em áreas relacionadas a autorregulação, aprendizado, cognição, memória, tomada de decisões, empatia e compaixão, e uma diminuição na amígdala, parte do cérebro responsável por aspectos da ansiedade, medo e estresse em geral.

Carolina afirma que estudos também já revelaram que mindfulness pode melhorar o sistema imunológico e ser usado para trazer uma melhor qualidade de vida a pessoas com câncer, artrite, aids, insônia, enxaquecas, dores nas costas e pescoço, Alzheimer e Parkinson. "O trabalho de profissionais qualificados para ensinar mindfulness também mostra ganhos mais subjetivos, como autoconhecimento, redução de autocrítica, crescimento pessoal e paz interior."

Origem

Em 1979, o biólogo e professor de ioga norte-americano Jon Kabat-Zin saiu de um retiro de meditação com a ideia de levar a prática para o Hospital de Massachusetts, onde trabalha até hoje. Sua ideia consistiu em um programa de 8 semanas, que ensinaria técnicas de meditação budistas de forma laica, sem contexto religioso. Kabat-Zin começou a aplicar seu curso de mindfulness em pacientes que sofriam de problemas crônicos e não respondiam bem a tratamentos convencionais. Os resultados surpreenderam e, desde então, centenas de estudos documentaram os benefícios físicos e mentais da prática e inspiraram diversas escolas, prisões, hospitais e empresas a adotarem o programa
 
Fonte: Carolina Galvani, instrutora de mindfulness

Meditação em movimento

  • Homens e mulheres com mais de 18 anos poderão participar do curso que será oferecido em Rio Preto. Carolina Galvani afirma que um questionário avalia, caso a caso, as condições de saúde dos participantes. 
  • O curso é indicado também para pessoas que não necessariamente estejam passando por algum desafio, mas que simplesmente querem aprender a meditar ou ter uma melhor qualidade de vida.
  • No futuro, cursos também serão oferecidos para crianças e adolescentes. "O evento vai ensinar a prática de meditação de forma bastante didática, simples e leve. Mindfulness ensina técnicas de meditação realizadas na posição sentada, deitada, andando e se movimentando. Para facilitar o aprendizado, os participantes recebem áudios de meditações guiadas para praticar em casa."

 
Serviço

Dica de Livro

Alexis Carrel, vencedor do prêmio Nobel de Medicina em 1912, sempre defendeu a oração e a organização dos pensamentos como uma forma de medicina curativa e eficiente. No livro Oração - Poderes e Efeitos, da editora Mantra, o autor também fala sobre os benefícios do mindfulness para viver em paz interior e exterior, harmonia e realização espiritual. Consequentemente, uma saúde melhor

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso