X

Diário da Região

30/06/2015 - 18h56min

Rio

Comissão técnica da seleção considera campanha na Copa América 'aceitável'

Rio

A eliminação precoce da seleção brasileira na Copa América foi motivada pela falta de experiência dos jogadores e pelos desfalques sofridos às vésperas da competição e durante o torneio. Por conta disso, a campanha do time foi considera "aceitável". Ao menos essa é a avaliação da comissão técnica, que nesta terça-feira se reuniu com o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, para dar seu parecer. A manutenção dos dois em seus cargos está garantida. Durante duas horas, o técnico Dunga e o coordenador-geral de seleções, Gilmar Rinaldi, fizeram um balanço da seleção no torneio disputado no Chile. Os dois reconheceram que a seleção apresentou falhas, mas consideraram que algumas delas se deram pelo fato de o time ter inexperiência em torneios sul-americanos. "A gente tem a consciência de que a nossa seleção é uma seleção que não disputou Copa América. Vários jogadores queimaram etapas, foram para a Europa, sem passar muitas vezes por Libertadores, Copa América, Eliminatória. É outro jogo, é outro fair-play, e a gente tem que se adaptar a ela", afirmou Rinaldi, logo após a reunião. Para o coordenador, a campanha com apenas duas vitórias magras - sobre Peru e Venezuela -, derrota para a Colômbia e empate com o Paraguai foi "aceitável", já que passou por uma série de desfalques. "Nós perdemos seis jogadores para a Copa América, quatro deles titulares,e mesmo assim conseguimos manter um nível aceitável", afirmou Rinaldi, incluindo a suspensão a Neymar em sua conta. "Mas é claro que precisaríamos ter feito mais para avançar mais a frente." Apesar disso, Gilmar conseguiu encontrar pontos positivos. Para isso, comparou a campanha brasileira à da Argentina, que horas mais tarde disputaria a semifinal do tornei sul-americano com o Paraguai. "Nós jogamos uma Copa América com equipes muito boas, uma Venezuela que melhorou, que não é mais a Venezuela de antigamente. Mas o nosso parâmetro foi a Argentina: jogou a Copa América com a equipe completa, com todos os seus titulares, fez uma campanha que, por felicidade deles, a Colômbia errou dois pênaltis em um momento importante e conseguiram permanecer." Segundo o coordenador, cabe agora à comissão técnica seguir trabalhando para buscar melhores resultados. "Toda vez que você está trabalhando você tem que melhorar, senão não tem sentido. Precisamos buscar sempre novas soluções, novas alternativas. Nós não ficamos contentes de sair com esse resultado na Copa América, mas também sabíamos, quando ganhamos 11 partidas, que não estava tudo certo." Dunga e Gilmar Rinaldi passarão a quarta-feira reunidos para tratar dos próximos jogos da seleção brasileira. A equipe terá dois amistosos em setembro, e começará a disputa da Eliminatória em outubro. Antes, os dois embarcam para São Petersburgo, na Rússia, para acompanhar o sorteio da Eliminatória, em 25 de julho.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso