X
X

Diário da Região

09/04/2015 - 17h22min

Rio

Teles do leilão de 4G pagam 1ª parcela à EAD para limpar faixa de 700 MHz

Rio

As operadoras que venceram o leilão do 4G na faixa de 700 megahertz (MHz), frequência atualmente usada na transmissão de canais de TV aberta em tecnologia analógica, tinham até esta quinta-feira, 9, para depositar R$ 1,44 bilhão na EAD, entidade criada pelas próprias empresas para operacionalizar, divulgar e acelerar o processo de transição dos canais analógicos para digitais, afirmou o superintendente de planejamento e regulamentação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), José Alexandre Bicalho. Ao todo, a EAD receberá R$ 3,6 bilhões, sendo que agora entram 40% dos recursos, informou Bicalho. Os demais 60% ingressarão na entidade em outras duas parcelas, pagas daqui um e dois anos. A entidade foi criada há cerca de um mês, segundo o superintendente. "As operadoras têm o maior interesse em que a EAD tenha recurso para fazer esse processo de digitalização, porque se não conseguirem usar a faixa de 700 MHz, se ela não estiver limpa e o desligamento (da transmissão de TV) não estiver feito, não conseguirão usar a frequência", afirmou Bicalho, após participar de debate no LTE Latin America 2015, no Rio. Do total de R$ 3,6 bilhões, as operadoras Claro, Vivo e TIM colocarão na EAD R$ 1,19 bilhão cada. Já a Algar Telecom depositará outros cerca de R$ 18 milhões. A Oi ficou de fora do leilão do 4G. A EAD também será responsável pela desocupação da faixa que é utilizada por radiodifusores. "Vai fazer o realocamento deles e trabalhará na mitigação das interferências, com instalação de filtros e posicionamento de antenas", disse Bicalho. Além disso, irá distribuir conversores de TV digital e antenas de recepção às famílias beneficiárias do Bolsa Família, entre outras funções. Com o fim da transmissão de TV analógica, as operadoras terão um ano para colocar em operação a ampliação da rede 4G. Outro papel importante da entidade será a tentativa de diminuir esse prazo, se houver condições técnicas. Com isso, as empresas conseguiriam ter acesso à faixa mais rapidamente. "Se a EAD provar para a Anatel e para o Gired (Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV) que é possível usar a frequência de forma antecipada, daí o grupo pode aprovar a antecipação", afirmou o superintendente. O grupo é presidido por um conselheiro diretor da Anatel e tem representantes do Ministério das Comunicações, das empresas de telecomunicações que adquiriram a subfaixa de 700 MHz na licitação e dos radiodifusores. "Em cidades como Rio e São Paulo, que tem muitas televisões para fazer o remanejamento, é bastante complicado. Em áreas rurais é bem mais fácil. Um dos trabalhos do EAD é nessa antecipação", explicou.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso