X
X

Diário da Região

08/12/2015 - 10h13min

Brasília

Receita vai notificar devedores com contratos públicos

Brasília

Num esforço para receber tributos em atraso, a Receita Federal dará início a uma ofensiva contra grandes devedores que têm contratos e concessões com o serviço público. A partir deste mês, o Fisco começará a notificar órgãos públicos como agências reguladoras, governos e prefeituras avisando de contratos que estão prestes a vencer e cuja empresa prestadora do serviço tem dívidas com a União. A ideia é forçar os devedores a regularizarem a situação, já que a legislação impede a assinatura ou renovação de contratos ou concessões por contribuintes em débito com a Receita. É a primeira vez que o órgão faz esse tipo de notificação. O Fisco identificou, no grupo de 500 maiores devedores, 193 empresas que têm negócios com o setor público e devem cerca de R$ 16 bilhões. "A gente não quer que ninguém perca nenhum contrato, permissão, nada. Queremos que paguem as dívidas para continuar tendo acesso a esses benefícios", disse o coordenador-geral de Arrecadação e Cobrança da Receita, João Paulo Martins da Silva. A notificação dos órgãos públicos é o segundo passo da chamada cobrança especial, instituída pela Receita em setembro como estratégia para recuperar dívidas de grandes devedores. A modalidade prevê aplicação de medidas coercitivas, como impedimento de contratação com o setor público. Notificações Segundo a Receita, das 193 empresas, 48 têm concessões reguladas - como no setor de transportes e telefonia -, 66 têm contratos com bancos públicos e 27 contratos com Estados e municípios, entre outros. As notificações aos órgãos públicos serão feitas próximo ao vencimento de cada contrato. Entre os órgãos que serão comunicados estão a Agência Nacional do Petróleo (ANP), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). No total, os 500 maiores devedores têm de pagar R$ 56 bilhões à Receita. O principal inadimplente é o setor financeiro, que deve R$ 15 bilhões. Em seguida estão seguradoras e entidades de previdência complementar, com dívidas de R$ 9 bilhões, e empresas do comércio atacadista, com R$ 3 bilhões. São dívidas que já foram questionadas administrativamente na Receita e cujas empresas já recorreram ao Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) e perderam. Ou seja, só resta o pagamento ou o questionamento na Justiça. A Receita dividiu esses devedores em três grupos. O primeiro, com 164 empresas, tem débito de R$ 35 bilhões considerado facilmente recuperável porque são contribuintes que precisam de certidões de regularidade fiscal com frequência. O segundo é o de 193 empresas, que poderá apresentar maior dificuldade nos pagamentos. Por conta disso, o fisco resolveu ir atrás dos contratos com órgãos públicos. O último grupo tem 70 empresas que devem R$ 5 bilhões e são consideradas "devedoras contumazes". A avaliação é que são os débitos mais difíceis de recuperar. O foco é fazer um mapeamento do patrimônio dessas empresas para tentar recuperar os recursos pela via judicial. Em setembro, quando a Receita passou a intimar devedores, gerou polêmica entre tributaristas que acusam o órgão de atropelar o trâmite administrativo e legal de defesa do contribuinte para aumentar a arrecadação. A cobrança prioriza débitos que somam mais de R$ 10 milhões por contribuinte e são "exigíveis" (não têm mais possibilidade de recursos). O intimado tem 30 dias para quitar a dívida. Além de correrem o risco de perderem contratos e concessões de serviços públicos, os devedores poderão ser multados e excluídos de programas de parcelamentos de tributos em atraso, como o Refis. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso