X

Diário da Região

03/05/2015 - 09h00min

PIB per capita terá 1ª queda em 6 anos

Pela primeira vez desde 2009, o Produto Interno Bruto (PIB) per capita brasileiro medido em dólares vai diminuir. Os recentes números divulgados pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) apontam que o PIB per capita será de US$ 15,9 mil em 2015, abaixo dos US$ 16,1 mil de 2014. O recuo previsto para 2015 tem como pano de fundo a expectativa da recessão brasileira. No início do mês, o FMI reduziu a projeção de crescimento do Brasil de 0,3% para uma queda do PIB de 1%. A estimativa é um pouco mais otimista do que a feita pelos analistas consultados pelo relatório Focus, do Banco Central. No último boletim, divulgado na semana passada, a aposta dos economistas é de uma recessão de 1,1%. Em 2009, ano da última queda do PIB per capita, a economia brasileira também registrou uma queda, de 0,2%. "O esfriamento da atividade econômica e a economia retrocedendo trazem essa consequente redução do PIB per capita", afirma Otto Nogami, professor do Insper. Os dados apurados pelo FMI são medidos em Paridade do Poder de Compra (PPC) e, portanto, exclui os efeitos do câmbio. Ou seja, tornam possível a comparação entre países. Dificuldade. Nos últimos anos, a economia brasileira tem tido dificuldade para acelerar o PIB per capita. A combinação do aumento dos preços das commodities no cenário internacional com o fortalecimento do mercado interno permitiu um crescimento acelerado da economia na década passada. O País se tornou uma nação de renda média. Com o fim desse ciclo positivo, a economia brasileira passou a crescer menos, o que, consequentemente, impactou o resultado do PIB per capita. A melhora ou piora do PIB per capita dos países ocorre por diversos fatores, como acumulação de capital físico e de capital humano - estoque de conhecimento. Há ainda o aumento da proporção de pessoas que trabalham na população e a eficiência da economia. "Se analisarmos a decomposição da renda per capita no Brasil, o que puxou o crescimento até 2010 foi a melhora da eficiência da economia. O segundo elemento foi o fato de que o País estava aproveitando o chamado bônus demográfico, ou seja, a proporção de pessoas economicamente ativas em relação ao total da população aumentou e, por fim, o estoque de capital também vinha crescendo", afirma Clemens Nunes, professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ao longo da história, existem exemplos clássicos de países que conseguiram acelerar o desenvolvimento. O mais tradicional é o da Coreia do Sul. Em 1980, o PIB per capita da Coreia do Sul era de apenas US$ 2,2 mil, inferior ao do brasileiro para a época, que era de US$ 4,8 mil. Desde então, o rápido crescimento sul-coreano vai levar o país a ter um PIB per capita de US$ 36,6 mil em 2015, mais do que o dobro do brasileiro. Diante das projeções de baixo crescimento econômico até o fim da década, o desempenho do PIB per capita brasileiro vai continuar decepcionando. Em 2019, o FMI projeta que o Brasil vai ser superado até pela China. O PIB per capita brasileiro será de US$ 18,1 mil, e o chinês de US$ 18,5 mil. "É preciso acelerar o crescimento da economia, mas fazer os ajustes necessários. O País precisa trabalhar todo o conjunto de investimentos necessários para garantir o crescimento sustentável da renda", afirma Nogami. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso