X
X

Diário da Região

27/10/2016 - 07h45min

Brasília

Missão da S&P avalia se ajuste fiscal avançou

Brasília

Com o avanço da reforma fiscal, a equipe econômica considera que há chance de a agência internacional de classificação de risco Standard & Poors alterar a perspectiva da nota do Brasil, de negativa para estável, até o fim do ano. Uma missão técnica da agência está no Brasil fazendo uma avaliação do País e as conversas têm sido positivas em relação à melhoria do cenário fiscal, principalmente depois da votação em dois turnos na Câmara dos Deputados da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Teto dos Gastos Públicos, segundo apurou o Estado. Nas reuniões em Brasília, os representantes da agência pediram informações detalhadas sobre as metas fiscais, as reformas em andamento, o projeto de renegociação da dívida dos Estados e o quadro fiscal dos governos regionais. A crise nas finanças dos Estados foi uma das preocupações da S&P. O cenário político ainda conturbado no País também foi revisitado durante as conversas. Segundo uma fonte da área econômica, como as mudanças no Brasil estão caminhando muito rapidamente, a possibilidade de mudança na perspectiva da nota, o chamado "outlook", entrou no radar. "Não é impossível. Há chance de ocorrer", disse a fonte. Esse movimento da agência poderá ser reforçado à medida que ficar claro que o programa de repatriação vai garantir boa arrecadação para reforçar a meta fiscal de 2016, além da aprovação, pelo Senado, da PEC do Teto e o encaminhamento da reforma da Previdência. Sinalização A possibilidade de mudança na perspectiva da nota do Brasil é considerada uma sinalização importante para a economia. Quando a nota tem perspectiva negativa, significa que o próximo passo poderá ser um novo rebaixamento. "Sinalizaria que vai parar de piorar", avaliou a fonte do governo. O retorno do grau de investimento ao Brasil, no entanto, deverá demorar a ocorrer, na avaliação do próprio governo. A S&P rebaixou, em fevereiro, a nota do Brasil no rastro da piora das contas públicas e da crise política do Brasil no período antes do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. O rating ficou dois níveis abaixo do grau de investimento, refletindo o aumento do déficit das contas do governo e da dívida pública. Na época, a agência avisou que a perspectiva da nota do Brasil poderia ser revisada para estável, se as incertezas políticas no Brasil fossem revertidas, permitindo a execução de uma política consistente que melhorasse as condições para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). Na ocasião, os problemas que a Petrobrás enfrentava para financiar a sua dívida, entre 2017 e 2018, entraram na conta do rebaixamento. Havia a percepção de que a empresa seria "salva" pelo Tesouro Nacional, com algum tipo de apoio financeiro. Essa possibilidade de intervenção do governo na empresa põe pressão sobre o rating soberano do País, enfraquecendo a nota. Agora, a S&P vem ao País em um momento no qual a petrolífera se encontra numa situação mais favorável, inclusive com a revisão, para melhor, da nota de crédito da Petrobrás pela agência Moodys. Petrobrás No início do ano, agências de risco esperavam que a Petrobrás fosse precisar de "socorro" do Tesouro. Agora, a avaliação é de que a empresa conseguiu reverter parte de seus problemas, tanto que a agência Moodys já revisou para cima a nota da estatal. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso