X
X

Diário da Região

25/09/2015 - 16h44min

Rio

Ministro do Trabalho diz que não dá para firmar prazo para recuperação do emprego

Rio

O ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, afirmou nesta sexta-feira, 25, que não é possível firmar um prazo para a recuperação do emprego formal, que já acumula retração de 572.792 vagas neste ano. "O tempo que durará isso (demissões), não dá para fazer avaliação", disse em coletiva no Rio. Ele admitiu que o Brasil pode assistir ao fechamento de mais de um milhão de postos formais de trabalho este ano. No acumulado em 12 meses até agosto, o País já extinguiu 985.669 vagas com carteira assinada, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje, no Rio. "Podemos perder isso (um milhão de vagas), mas não quer dizer que estamos incapacitados de recuperar. O governo conhece o caminho da roça. Se teve capacidade de gerar 23 milhões de vagas nos últimos 12 anos, quando forem corrigidos os rumos da economia, acredito que vamos recuperar essa capacidade", afirmou Dias. Autodeclarado otimista por natureza, Dias garantiu que torce a favor do Brasil. "Temos procurado fazer políticas ativas para contribuir na redução das expectativas de retração do mercado de trabalho", afirmou o ministro. Segundo ele, a própria contratação de empreendimentos pelo governo, como o Minha Casa Minha Vida, terá capacidade de gerar empregos. Ele afirmou que o Brasil teria mais dificuldades em recuperar os empregos perdidos até agora se a conjuntura fosse idêntica há 12 anos, com volume consideravelmente menor de reservas internacionais e com menos brasileiros empregados. "Seria difícil se vivêssemos o que era o Brasil há 12 anos", disse. "Há 12 anos, o Brasil vivia submetido a políticas impostas, por exemplo, pelo FMI (Fundo Monetário Internacional). Hoje, nossa capacidade de recuperação é muito maior, com expectativas reais de que (haverá retomada) através das medidas que o governo vem tomando", afirmou o ministro. Dificuldades Dias afirmou que as dificuldades enfrentadas pelo governo na área econômica são agravadas pelo discurso negativo. "Os que perderam a eleição não se conformaram e querem aproveitar agora, num momento de dificuldade, para desestabilizar o governo." Nesta área, Dias considera que o governo "perdeu a batalha da comunicação", diante da dispersão dessas notícias negativas. "Cabe ao governo estabelecer estas ações que vão levar a uma expectativa positiva. Entendo que o governo perdeu a batalha da comunicação, as notícias divulgadas são negativas", disse. Segundo o ministro, parte desse discurso negativo é o que tem contaminado expectativas de empresários e consumidores, que acabam não investindo nem comprando bens e serviços. Dias ressaltou, porém, que o País tem capacidade de reverter o quadro, embora não tenha arriscado projeções de quanto tempo isso vai levar. "O governo terá capacidade de, num prazo não muito longo, alcançar políticas econômicas que permitam a reversão", afirmou.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso