X
X

Diário da Região

25/09/2015 - 18h25min

Nova York

Em NY, Dow sobe com Nike e Yellen; Nasdaq e S&P caem com setor de biotecnologia

Nova York

A Bolsa de Nova York fechou nesta sexta-feira, 25, com os principais índices em direções divergentes, o Dow Jones em alta, o Nasdaq em queda e o S&P-500 com uma leve baixa. A alta do Dow Jones foi liderada pelas ações da Nike, que subiram 8,89% depois de a empresa divulgar os resultados do trimestre junho/agosto; a alta da Nike respondeu por 68 pontos de ganho do Dow. As ações do setor de biotecnologia voltaram a cair, pressionando o Nasdaq e o S&P-500. O mercado subiu pela manhã, depois de duas sessões consecutivas de baixas, com o Dow chegando a ganhar 264 pontos em reação a um discurso feito no fim da tarde de ontem pela presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Janet Yellen. Ela disse que "a perspectiva da economia dos EUA em geral parece sólida" e que o Fed deverá começar a elevar as taxas de juro neste ano. O otimismo refletido pelas declarações de Yellen foi reforçado pela divulgação da segunda e última revisão dos dados do PIB dos EUA no segundo trimestre. A taxa anualizada de crescimento em relação ao trimestre anterior foi revisada para 3,9%, de 3,7% na primeira revisão e 2,3% na estimativa preliminar. Outros indicadores divulgados hoje saíram fracos: o índice de atividade dos gerentes de compras (PMI, versão Markit) para o setor de serviços recuou para 55,6 na pesquisa preliminar de setembro, de 56,1 em agosto. O índice de sentimento do consumidor da Universidade de Michigan ficou em 87,2 em setembro, de 91,9 em agosto; economistas previam que ele ficasse em 86,2. Para Brian Fenske, da corretora ITG, "a mensagem de Yellen foi de confiança relativa na economia dos EUA. Ela ofereceu mais clareza e um sinal de que o Fed não está tão preocupado com a China e a economia global como as pessoas pensavam". Andreas Koester, do UBS Global Asset Management, disse que "quando o Fed não elevou as taxas de juro, todo mundo começou a se preocupar com a possibilidade de o Fed saber alguma coisa sobre a economia que nós do mercado não sabíamos. O que ouvimos ontem de Yellen foi uma confirmação de que a decisão do Fed era difícil. Ele ainda está na trajetória para elevar as taxas de juro". Dois presidentes de distritos regionais do Fed falaram hoje: James Bullard, do Fed de St. Louis, disse que seria "prudente" começar a elevar as taxas de juro agora; Esther George, do Fed de Kansas City, afirmou que a economia já está numa situação de pleno emprego e que também apoia um aperto monetário. Traders notaram que os principais índices do mercado recuaram das máximas depois do surpreendente anúncio que o presidente da Câmara, John Boehner, vai renunciar ao cargo e à sua cadeira de deputado. Boehner, do Partido Republicano (de oposição ao presidente Barack Obama), teria renunciado porque a ala mais conservadora de sua agremiação o considera conciliador demais; a possibilidade de que o próximo presidente da Câmara seja mais intransigente sinaliza um potencial para confrontos mais intensos entre o governo Obama e o Legislativo, onde os republicanos têm maioria nas duas Casas. "A decisão de Boehner jogou um pouco de água fria no mercado de ações, que já está nervoso por causa da falta de clareza sobre o crescimento global e a política monetária", comentou Channing Smith, da Capitol Advisors. As ações do setor de biotecnologia voltaram a cair e o índice setorial iShares Nasdaq Biotechnology perdeu 4,91%. "O movimento de venda de biotecnologia tirou fôlego do rali. E neste ambiente de volume reduzido de negócios os traders estão vendendo primeiro e fazendo perguntas depois", comentou Ryan Larson, da RBC Global. Sete dos dez setores que compõem o S&P-500 fecharam em alta, mas o de saúde caiu 2,8%. No setor de biotecnologia, as ações da Biogen caíram 2,81%, as da Regeneron Pharmaceuticals caíram 5,86% e as da Alexion Pharmaceuticals perderam 4,97%. Entre as componentes do Dow, os destaques negativos também foram do setor de saúde: (UnitedHealth, -3,90%, Pfizer, -2,48%, Merck, -1,96%, e Johnson & Johnson, -1,60%). Além da Nike, os destaques positivos incluíram ações do setor financeiro (Goldman Sachs, +1,65%, JPMorgan Chase, +2,08%), de tecnologia (Cisco Systems, +2,40%, Intel, +1,14%) e de indústrias cujo desempenho tende a acompanhar o comportamento da economia, como 3M (+1,44%) e DuPont (+1,08%). As ações do setor de petróleo subiram, acompanhando a alta dos preços do produto (ExxonMobil, +0,69% e Chevron, +1,05%). O Dow Jones fechou em alta de 113,35 pontos (0,70%), em 16.314,67 pontos. O Nasdaq fechou em queda de 47,98 pontos (1,01%), em 4.686,50 pontos. O S&P-500 fechou em baixa de 0,90 ponto (0,05%), em 1.931,34 pontos. Na semana, o Dow acumulou uma baixa de 0,43%, o Nasdaq perdeu 2,92% e o S&P-500 recuou 1,36%. Fonte: Dow Jones Newswires

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso