X
X

Diário da Região

21/10/2016 - 10h25min

Rio

Deflação em Alimentação e Bebidas leva IPCA-15 a melhor outubro desde 2009

Rio

A deflação de 0,25% no grupo Alimentação e Bebidas no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) de outubro fez o indicador ter a menor variação para o mês desde outubro de 2009. Nesta sexta-feira, 21, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA-15 avançou 0,19% este mês. Considerando a série mês a mês, foi a menor variação desde agosto de 2014, quando o indicador teve alta de 0,14%. Com a deflação, o grupo Alimentação e Bebidas tirou 0,06 ponto porcentual (p.p.) no IPCA-15, maior impacto negativo no mês. Segundo o IBGE, os preços no agrupamento dos alimentos para consumo em casa recuaram 0,57%. "A principal contribuição para baixo foi a do leite longa vida (-0,11 p.p.), que ficou 8,49% mais barato", diz nota divulgada pelo IBGE. Também ficaram mais baratos até meados de outubro a batata-inglesa (-13,03%), as hortaliças (-6,18%) e o feijão carioca (-6,17%). A exceção ficou por conta das carnes, cujos preços subiram 2,45% e deram a contribuição mais elevada ao IPCA-15 de outubro, com +0,07 p.p., segundo o IBGE. Outros dois grupos também puxaram o índice para baixo: Artigos de Residência (-0,31% de variação e -0,01 p.p. de impacto) e Despesas Pessoais (-0,12% e -0,01 p.p. de impacto). Destaques de alta Se os alimentos puxaram o alívio na inflação neste mês, os destaques de alta foram os grupos Habitação (+0,60%) e Transportes (+0,67%). Segundo o IBGE, nas despesas com Habitação, o destaque de alta ficou com o preço do botijão de gás, que subiu 3,55%. Já nos gastos relacionados aos transportes, as passagens aéreas se destacaram, com alta de 10,36%. O avanço de 3,38% no preço do etanol também ajudou a elevar o grupo Transportes. A alta no etanol puxou o preço da gasolina, que registrou alta de 0,80% no IPCA-15 de outubro, pois, conforme o IBGE, a gasolina "contém 27% de etanol em sua composição". Composição regional Na composição regional, a desaceleração do IPCA-15 de setembro para outubro foi puxada por deflações no Rio e em Curitiba. Conforme o IBGE, indicador ficou em -0,01% na capital fluminense e -0,26% na capital paranaense. Em Curitiba, assim como no índice nacional, os alimentos foram o destaque de baixa, com recuo de 1,37% nos preços. Na contramão, São Paulo registrou alta de 0,27% no IPCA-15 de outubro, acelerando perante os 0,20% de setembro. Neste mês, a maior alta regional ficou com Goiânia, onde o IPCA-15 avançou 0,38%. Segundo o IBGE, os combustíveis foram o destaque de alta por lá, com a gasolina registrando avanço de 2,43% e o etanol, de 3,86%.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso