X

Diário da Região

03/05/2015 - 14h06min

Pesquisa

Consumidor com dívida teme crédito caro e inflação

Pesquisa

Reprodução O porcentual de famílias endividadas subiu para 61,6% em abril ante 59,6% em março (Foto: Reprodução)
O porcentual de famílias endividadas subiu para 61,6% em abril ante 59,6% em março (Foto: Reprodução)
Os efeitos do aumento do custo de crédito e da inflação começaram a se fazer sentir na preocupação das famílias com suas dívidas, segundo os dados de abril da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada mais cedo pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). 
 
Os principais indicadores gerados pela pesquisa (porcentual das famílias entrevistadas que estão endividadas e que estão com dívidas em atraso) subiram em abril em relação a março, mas seguem em níveis inferiores a igual período de 2014, num movimento considerado normal. O dado divergente é que a fatia das famílias que creem não ter condições de pagar suas obrigações não seguiu os demais e ficou estável na comparação com abril de 2014, em vez de abaixo. 
 
Segundo Marianne Hanson, economista da CNC, a alta de janeiro a abril na comparação mês a mês é normal por causa da sazonalidade: os gastos típicos de início de ano, como matrícula de escolas, IPTU e IPVA, entre outros, levam as famílias a se endividarem mais. O ano passado foi marcado por um recuo generalizado no endividamento, incentivado pelo desaquecimento do consumo. Agora, custo de vida mais alto e juros mais elevados acenderam um sinal de alerta. "Agravado pelo aumento expressivo no custo de vida, o crédito mais caro impacta na piora da percepção. Quem vai buscar crédito encontra juros mais altos do que no ano passado", disse Marianne. 
 
O porcentual de famílias endividadas subiu para 61,6% em abril ante 59,6% em março, mas ficou abaixo de abril de 2014 (62,3%). A proporção de famílias com dívidas ou contas em atraso aumentou para 19,7% ante 17,9% em março, porém abaixo de abril do ano passado (21,0%). Já o porcentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso aumentou na comparação mensal (6,9% em abril ante 6,2% em março), mesmo nível de abril de 2014. 
 
O último indicador mede a percepção, segundo Marianne, porque a Peic não confere objetivamente a capacidade do entrevistado de pagar a dívida. O próprio informante diz se tem condições de pagar, ou seja, um consumidor de alta renda e com condições de pagar suas dívidas pode achar o contrário.
 
Pela metodologia da pesquisa da CNC, são consideradas como dívidas cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguros. Quem usa cartão de crédito é considerado endividado mesmo pagando a fatura em dia. A Peic coleta dados em todas as capitais dos Estados e no Distrito Federal, ouvindo cerca de 18 mil consumidores.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso