X
X

Diário da Região

09/11/2015 - 20h11min

Nova York

Bolsa de NY cai com expectativa de alta de juro e preocupação com economia global

Nova York

A bolsa de Nova York fechou em queda nesta segunda-feira, 9, com o índice Dow Jones passando a acumular baixa desde o começo do ano (de 0,52%); o S&P-500 caiu pela quarta sessão consecutiva. Os investidores venderam ações depois de a expectativa de que o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) comece a elevar as taxas de juro em sua próxima reunião em dezembro cresceu em reação aos dados fortes do nível de emprego nos EUA em outubro, na sexta-feira. A preocupação com a perspectiva da economia global também cresceu, depois dos dados do comércio exterior da China, divulgados no sábado, e de um alerta feito hoje pela Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Traders disseram que os investidores estão mostrando nervosismo; na Chicago Board Options Exchange (CBOE), o índice de volatilidade VIX, referenciado no índice de ações S&P-500, subiu 15,28%. Na Chicago Mercantile Exchange, os contratos futuros de Fed Funds projetavam no fim da tarde uma probabilidade de 67,8% de que a taxa dos Fed Funds seja elevada para 0,50% em dezembro; essa probabilidade estava em 69,8% pela manhã, mesmo nível da sexta-feira, mas ela chegou a subir a 71,7% no começo da tarde. "Os mercados não têm como escapar da atração gravitacional do Fed, de modo que as ações estão pressionadas pela perspectiva de podermos ver taxas de juro mais altas em dezembro", disse o analista e gestor de carteira Kim Forrest, do Fort Pitt Capital Group. Referindo-se ao fato de o mercado de ações ter acumulado altas nas seis semanas anteriores, Bill Nichols, da Cantor Fitzgerald, observou que "as coisas foram um pouco longe demais, rapidamente demais. Depois de uma alta tão grande nos EUA, faz sentido fazer uma pausa e realizar lucros". A alta das últimas semanas se seguiu a quedas fortes no fim de agosto e em setembro, depois de a maxidesvalorização do yuan chinês alimentar preocupações quanto às economias da China e de outros mercados emergentes. Na madrugada deste domingo, a China informou que seu superávit comercial encolheu para US$ 61,64 bilhões em outubro, de US$ 62,2 bilhões em setembro; em relação a outubro do ano passado, as exportações chinesas caíram 6,9% em dólar, com contração de 3,6% em yuan; as importações caíram 18,8% em dólar e recuaram 16,0% em yuan. Hoje à noite, a China divulga os índices de preços ao consumidor e ao produtor de outubro; na madrugada de quarta saem os dados de produção industrial, investimentos em ativos fixos e vendas no varejo. Em Paris, a OCDE divulgou seu relatório semestral de perspectivas econômicas, que fez crescerem ainda mais as preocupações dos investidores. O secretário-geral da entidade, Angel Gurría, disse que "a desaceleração do comércio global e a debilidade contínua no investimento são profundamente preocupantes. Comércio robusto e um crescimento global mais forte deveriam andar de mãos dadas". A economista-chefe da OCDE, Catherine Mann, afirmou que a desaceleração "dramática" no crescimento do comércio mundial o trouxe "para níveis que historicamente ocorrem durante recessões globais". Entre as ações que mais caíram estavam as dos setores de energia e produtos de consumo não essenciais. Entre as ações de empresas que divulgaram resultados do terceiro trimestre, os destaques foram Priceline Group (-9,57%), Dish Network (-1,02%), Sotheby's (-6,10%), Dean Foods (+7,30%), Hertz Global Holdings (-12,60%) e Berkshire Hathaway (-1,71%). Algumas ações subiram em reação ao noticiário sobre fusões e aquisições; as da Plum Creek Timber subiram 17,30%, depois de a empresa aceitar uma proposta de aquisição de US$ 8,4 bilhões feita pela Weyerhaeuser (-2,96%). As da Apache Corp. avançaram 13,15%, em reação ao informe de que a empresa recebeu uma oferta de aquisição de US$ 18 bilhões; o comprador não foi identificado. Das 30 componentes do Dow Jones, apenas duas ações fecharam em alta: as da DuPont subiram 1,00%, depois de a empresa nomear um novo CEO; as da Disney subiram 0,65%. As ações do setor de energia caíram, acompanhando a nova baixa do petróleo (Chevron, -1,82%, ExxonMobil, -2,14%). Outro destaque negativo foi Caterpillar, com queda de 2,64%. O índice Dow Jones fechou em queda de 179,85 pontos (1,00%), em 17.730,48 pontos. O Nasdaq fechou em queda de 51,82 pontos (1,01%), em 5.095,30 pontos. O S&P-500 fechou em queda de 20,62 pontos (0,98%), em 2.078,58 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso