X
X

Diário da Região

26/01/2016 - 20h35min

Nova York

Bolsa de Nova York fecha em alta forte com recuperação dos preços do petróleo

Nova York

As bolsas dos EUA fecharam em alta nesta terça-feira, 26, recuperando terreno depois da queda desta segunda-feira, 25. O mercado reagiu positivamente à recuperação dos preços do petróleo, que chegaram a cair mais de 3% pela manhã, mas fecharam em alta de mais de 3,5%. Informes de resultados de empresas importantes, como DuPont, Procter & Gamble, Sprint e 3M, foram bem recebidos pelo mercado. Os indicadores de confiança do consumidor e preços de imóveis residenciais, divulgados pela manhã nos EUA, superaram as previsões. O mercado operou na expectativa do comunicado a ser divulgado pelo Federal Reserve nesta quarta-feira, 27, ao fim de sua primeira reunião de política monetária deste ano. A expectativa de consenso é de que o Fed não elevará as taxas de juro, mas os investidores estarão atentos ao tom do comunicado, no qual o Fed poderá sinalizar se deve ou não prosseguir com o plano de elevá-las até quatro vezes neste ano. As bolsas europeias, que chegaram a perder 2% quando os preços do petróleo caíam, também se recuperaram e fecharam em alta. As bolsas asiáticas, porém, fecharam quando os preços do petróleo ainda caíam e encerraram a sessão com quedas fortes, com destaque para as baixas das ações do setor de energia; a de Tóquio caiu 2,35%, a de Xangai perdeu 6,42% e a de Hong Kong recuou 2,48%.Os preços do petróleo chegaram a cair mais de 4% na Europa e mais de 3,5% em Nova York, com a renovação dos temores de que o excesso de oferta global do produto vai persistir. Durante uma conferência no Kuwait, ministros da Energia de vários países árabes reafirmaram que manterão a estratégia de sustentar a produção nos níveis atuais, de modo a tirar do mercado os produtores de custos mais altos, e o CEO da estatal saudita Aramco declarou que a empresa tem como suportar preços baixos "por muito, muito tempo". Outro fator para a queda dos preços durante a madrugada e a manhã foi o informe da Administração Geral de Alfândega da China de que as importações de diesel do país ficaram em 39.818 toneladas em dezembro, com queda de 70% em relação ao mesmo mês de 2014; no ano de 2015, as importações chinesas de diesel ficaram em 428.022 toneladas, com queda de 9,7% em relação ao ano anterior. A reversão dos preços do petróleo aconteceu quando os traders passaram a focalizar suas atenções no informe de que as importações chinesas de petróleo bruto cresceram 8,8% em 2015, para 335,5 milhões de toneladas; em dezembro, elas alcançaram 33,2 milhões de toneladas, com crescimento de 9,3% em relação ao mesmo mês de 2014. O analista Laban Yu, da Jefferies, comentou que "os estoques de produtos estão em suas mínimas sazonais e precisam ser recompostos, Isso deve manter as importações chinesas de petróleo bruto elevadas no primeiro trimestre de 2016". Também contribuiu para a virada dos preços a declaração do ministro do Petróleo do Iraque, Abdel Abdul Mahdi, de que está vendo "alguma flexibilidade" por parte da Arábia Saudita e da Rússia no que se refere à possibilidade de um acordo para reduzir a produção. A representante do Kuwait junto à Opep, Nawal al-Fuzaia, disse que o cartel "está disposto a cooperar com produtores que não pertencem ao grupo, se eles mostrarem que são sérios sobre a cooperação". Todos os dez componentes setoriais do S&P-500 fecharam em alta, com destaque para os de energia (+3,78%), telecomunicações (+1,92%), indústrias (+1,82%) e materiais (+1,79%). Das 30 componentes do Dow Jones, a única ação a fechar em baixa foi Coca-Cola (-0,19%); entre as maiores altas estavam ações de empresas que divulgaram resultados do quarto trimestre, como 3M (+5,24%), Procter & Gamble (+2,55%), Johnson & Johnson (+4,96%) e DuPont (+0,89%). As ações da Apple, que divulgaria balanço após o fechamento, subiram 0,55%. No setor de energia, as ações da Chevron subiram 3,99% e as da ExxonMobil avançaram 3,68%. O índice Dow Jones fechou em alta de 282,01 pontos (1,78%), em 16.167,23 pontos. O Nasdaq fechou em alta de 49,18 pontos (1,09%), em 4.567,67 pontos. O S&P-500 fechou em alta de 26,55 pontos (1,41%), em 1.903,63 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso