X
X

Diário da Região

25/09/2015 - 16h56min

São Paulo

Bancários de todo o País podem entrar em greve a partir de 6 de outubro

São Paulo

Bancários de todo o Brasil podem entrar em greve a partir do próximo dia 6 de outubro, em protesto por melhorias salariais. Segundo o Comando Nacional dos Bancários, a categoria deve rejeitar proposta apresentada nesta sexta-feira, 25, pelos bancos de reajuste de 5,5%, mais um abono de R$ 2,5 mil. Os trabalhadores pedem reajuste de 16%, sendo 5,6% de aumento real e 9,88% de reposição da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). "Não vamos indicar aprovação durante assembleia no próximo dia 1º. Essa proposta impõe perda salarial real de 3,99%", afirmou a presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, Juvandia Moreira. Segundo ela, os bancos teriam justificado o porcentual de 5,5% de reajuste como a "inflação futura" e teriam ponderado que outras categorias no País estão fechando acordos salariais sem reposição da inflação acumulada. Para a sindicalista, a proposta "não tem cabimento". "Falamos que esses setores estão em situação diferente", disse. Juvandia destacou que a proposta é incompatível com os resultados financeiros dos cinco maiores bancos do País, que registraram lucro líquido de cerca de R$ 36 bilhões no primeiro semestre de 2015, montante 27,3% maior do que o contabilizado em igual período do ano passado, de acordo com a sindicalista. Segundo a categoria, de 2009 a 2014, os bancários conseguiram aumento real em todos os anos. A sindicalista informou que a proposta será levada à categoria durante assembleia do Comando Nacional dos Bancários na próxima quinta-feira, 1º. Caso os bancos não apresentem uma contraproposta, ela explica que a greve deve ser aprovada no mesmo dia, começando 72 horas depois, como estabelece a legislação, ou seja, em 6 de outubro. "Eles dizem que é a proposta que eles têm", afirmou. A reunião desta sexta-feira foi o sexto encontro entre as partes desde que a campanha salarial começou, em 11 de agosto. Outras reivindicações Além de reajuste de 16%, os bancários reivindicam aumento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) para R$ 7.246,82 e um piso mínimo de R$ 3.299,66. Pedem também o pagamento de 14º salário, fim de metas consideradas "abusivas" pela categoria, fim das demissões, ampliação das contratações, combate às terceirizações e mais segurança nas agências bancárias.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso