X

Diário da Região

27/06/2015 - 10h37min

São Paulo

Azul começa a testar venda de passagem da TAP

São Paulo

A Azul vendeu nesta quinta-feira, 25, a primeira passagem da companhia aérea portuguesa TAP, testando um acordo comercial que deve ser iniciado nas próximas semanas. A venda ocorreu apenas um dia depois de o empresário David Neeleman, controlador da Azul, assinar o contrato de compra da antiga companhia aérea estatal, em Lisboa, por meio do consórcio Gateway, que venceu a privatização e tem Neeleman entre os acionistas. Por enquanto, as passagens estão disponíveis apenas para algumas agências de viagens. Passada a fase de testes, elas serão oferecidas no site da empresa, de acordo com Neeleman. A estratégia do novo dono da TAP para a empresa portuguesa é usar aviões menores para fazer os voos para o Brasil, o que viabilizaria que a empresa voasse para cidades médias. Assim como pretende fazer com a United, a intenção de Neeleman é conectar a malha da TAP à da Azul e usar os passageiros de uma empresa para encher o voo da outra. Hoje, cerca de 40% dos clientes que viajam na TAP voam na rota entre o Brasil e a Europa. A TAP já atende 12 destinos brasileiros, mas, com o novo avião (o A321) e conexões com a Azul, poderia voar para cidades como Teresina e São Luís, disse Neeleman. As sinergias entre TAP e Azul também pesaram nas negociações para a compra de aeronaves da Airbus. "Já usamos o volume da Azul para conseguir um preço melhor para as duas empresas", disse Neeleman, que anunciou na última quarta-feira a compra de 53 aviões da Airbus para renovar a frota da TAP. BNDES Neeleman diz que foi procurado há cinco anos por um representante do governo brasileiro, perguntando se ele teria interesse na compra da TAP. "O governo brasileiro tem interesse na TAP, o BNDES também. Eles têm fontes de recursos que podem ajudar a TAP", disse. Ele ressaltou, no entanto, que não tem "nada fechado" com o BNDES neste momento. Questionado sobre de que forma conseguiria obter crédito no BNDES já que a compra da TAP foi feita por meio do consórcio Gateway, com sede em Portugal, Neeleman disse que a ajuda poderia vir "por meio da Azul". Segundo ele, a empresa pode, no futuro, comprar ações da TAP. "É cedo para afirmar. Mas as duas empresas têm o mesmo pai, então, tudo é possível." A legislação europeia limita o capital estrangeiro em empresas aéreas a 49% do capital votante, situação semelhante à do Brasil - por aqui o limite é de 20%. Neeleman detém 49,9% do consórcio Gateway, dono da TAP, e o empresário português Humberto Pedrosa, dono do grupo de transporte Barraqueiro, é dono de fatia de 50,1%. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso