X
X

Diário da Região

28/01/2016 - 10h15min

Brasília

Ata retira promessa de trazer inflação o mais próximo possível de 4,5% este ano

Brasília

Enquanto o mercado aposta que o Banco Central (BC) não conseguirá entregar uma inflação dentro do teto da meta - de até 6,5% - pelo segundo ano consecutivo, a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) reforçou que a autoridade monetária buscará se circunscrever a esse limite este ano, mas deixou de prometer que buscará "trazer a inflação o mais próximo possível da 4,5% em 2016". O colegiado manteve a intenção de fazer a inflação convergir para centro da meta em 2017. A ata divulgada nesta quinta-feira, 28, informou que a projeção de inflação no cenário de referência para 2016 aumentou ante a reunião anterior e se situa acima do centro da meta de 4,5%. O BC não divulga qual a taxa prevista na ata, mas no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de dezembro, a autoridade monetária revelou que a estimativa estava em 6,2% para o fim deste ano pelo cenário de referência. No RTI, a probabilidade estimada pela instituição de a inflação ultrapassar o limite superior da meta em 2016 subiu de 20% para 41% para esse cenário. Já no Relatório de Mercado Focus da última segunda-feira, 25, a mediana das estimativas dos analistas para o IPCA de 2016 subiu para 7,23%. No caso do Top 5, a mediana das expectativas para a inflação do ano se situou em 7,92%. Crédito No dia em que o governo deve anunciar linhas para estimular o aumento de financiamentos das empresas e famílias pelos bancos no Conselho de Desenvolvimento Econômico, o Banco Central voltou a alertar que considera oportuno continuar reforçando as iniciativas no sentido de moderar concessões de subsídios por intermédio de operações de crédito. Segundo o BC, os riscos no segmento de crédito ao consumo vêm sendo mitigados. A ata destacou que o cenário central contempla expansão moderada do crédito, o que já havia sido observado e tende a persistir. Na avaliação do BC, o mercado de crédito voltado ao consumo passou por moderação, de modo que, nos últimos trimestres, observaram-se, de um lado, redução de exposição por parte de bancos e, de outro, "desalavancagem" das famílias.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso