Diário da Região

10/03/2011 - 01h35min

Cidade elétrica

Daniela Mercury agita aniversário de Rio Preto

Cidade elétrica

Priscila Prade/Divulgação Daniela Mercury posa para foto de seu novo DVD, “Canibália: Ritmos do Brasil”, que deve chegar às lojas no fim de abril; primeiro show da turnê é o que será apresentado no recinto de exposições de Rio Preto, hoje
Daniela Mercury posa para foto de seu novo DVD, “Canibália: Ritmos do Brasil”, que deve chegar às lojas no fim de abril; primeiro show da turnê é o que será apresentado no recinto de exposições de Rio Preto, hoje

O senso comum prega que o ano só começa no Brasil depois do Carnaval. E, pelo menos para Daniela Mercury, a máxima é verdadeira. Depois de ser cortejada pelos cariocas, durante a gravação ao vivo do show de Réveillon, na praia de Copacabana, e de passar por Salvador no primeiro dia de janeiro, a cantora baiana inicia a turnê de “Canibália: Ritmos do Brasil”, hoje, a partir das 22 horas, no recinto de exposições “Alberto Bertelli Lucatto”, em Rio Preto.


Ela vem com cinco bailarinos, cenário inspirado em obra de Cândido Portinari e figurino idêntico ao do espetáculo que deu origem a DVD homônimo. O evento, gratuito, realizado pela Secretaria de Cultura de Rio Preto, faz parte das comemorações pelos 159 anos da cidade, celebrados hoje. A programação também inclui a já tradicional distribuição de um bolo gigante e mais de 40 apresentações sertanejas.


Daniela esteve em terras rio-pretenses três anos atrás para participar do projeto Telefônica Trio Tons, ao lado de Paralamas do Sucesso e Toni Garrido, na Represa Municipal. No ano seguinte, subiu no trio elétrico do Carnariopreto, no recinto de exposições. Mas a apresentação de gihe - com estimativa de público de 60 mil pessoas - deve ter um gostinho especial.


“Tenho grande afeto por Rio Preto, que faz parte da minha vida desde ‘O Canto da Cidade’. Lembro das pessoas com espírito jovem. Desta vez, quero chegar um pouco mais cedo e dar uma volta para conhecer algo além da expressividade do público”, diz, em entrevista por telefone, ao Diário da Região, tentando tirar da repórter alguma dica para surpreender a plateia.


Ela garante um repertório vibrante, com bases rítmicas latinas, que vai desde hits clássicos como “Rapunzel” e “Nobre Vagabundo” às inéditas “É Carnaval” e “Iluminado”, recém-lançadas na capital baiana. Também há espaço para “Oyá por Nós”, um pedido de bênção a Iansã, e para “Quero a Felicidade”, canção que, segundo ela, tem tudo a ver com a ocasião.


A artista explica ainda que essa mistura de ritmos revela a consciência de uma “pátria de camaleões”. “Meu show é muito plástico. Homenageio os criadores e as criaturas da arte, a união de gêneros.” Durante o Carnaval, no início do mês, ela fez uma espécie de laboratório com profissionais do teatro, da dança, da música e das artes plásticas. A iniciativa, assim como o trabalho atual, faz parte do projeto “Canibália”, iniciado em 2009.


Para se ter ideia, a rainha do axé liderou o tempo de exibição nacional em TV, com 14 horas e 39 minutos. “Faço cada Carnaval como se fosse o primeiro e o último. Eu sou assim desde pequena. Por isso, meus apelidos eram furacão, vulcão”, conta. O DVD “Canibália: Ritmos do Brasil” deve ser lançado no fim de abril, assim como o documentário “Sonora Rio Bahia: Música e Dignidade”, que une tradições das duas capitais por meio de depoimentos de personagens negras.


O segundo CD do projeto, mais espontâneo e menos conceitual do que o anterior, lançado no fim de 2009 com cinco capas diferentes, deve chegar às lojas até 2012. Ela também já começou a gravar um longa-metragem sobre a história do axé ao lado de personalidades do passado, como Luiz Caldas e Sarajane, e do presente, como Asa de Águia e Chiclete com Banana.


Os filhos Giovana e Gabriel Póvoas acompanham tudo. Ela, como bailarina e coreógrafa do corpo de baile, e ele, como arranjador, engenheiro de áudio, produtor, coordenador musical e cantor.“Minha casa é o palco. Eles estão tão à vontade nesse ‘cirque du soleil’ quanto eu.”


Programação


A maratona começa às 10 horas, com nove shows na carreta-palco da equipe da FM Diário (89,9 MHz), também no recinto de exposições. Estão previstas as presenças de Renê e Ronaldo, Leandro e Diego, Cléber e Éder, Jorge e Gustavo, Vinicius e Gustavo, Victor e Gustavo, Ed Carlos e Camargo, Fábio Meyer e Vinicius e Renner Rios, ex-parceiro de Rick. O grupo Cowboys Country Dance também agita o público.


O evento terá distribuição gratuita de CDs, camisetas e refrigerantes, além do tradicional corte do bolo, com 159 metros, em alusão à idade do município, às 11 horas. Pelo 11º ano consecutivo, a rede Carrefour é a responsável pela receita. Foram utilizados cerca de uma tonelada de chantily, 600 quilos de doce de leite, 20 quilos de chocolate granulado, mais de 20 dúzias de ovos e 800 quilos de mistura para pão-de-ló.


De acordo com a assessoria de imprensa do hipermercado, uma equipe de cerca de 60 padeiros e confeiteiros foi destacada para a missão de preparar o maior bolo que a cidade já teve. Os portões ficam abertos ao público durante toda a manhã. Às 14 horas, no mesmo local, 37 nomes da música sertaneja sobem ao palco alternativo para apresentações em playback.


Entre os destaques estão Teodoro e Sampaio, Matogrosso e Mathias, Rick, Rio Negro e Solimões, Juliano César, Zé Henrique e Gabriel, Felipe e Falcão, João Carreiro e Capataz, Roger e Robson, Gilberto e Gilmar, Maycon e Renato, Érick e Caio, Tonny e Kleber, Divino e Donizete e Marco e Mário. Quem quiser participar deve doar um quilo de alimento não-perecível, que será revertido para o Fundo Social de Solidariedade.


A troca de ingressos ocorre nas lojas locais do Laranjão e do Carrefour e na bilheteria. Ainda na área musical, Paulinho Ribeiro deve fazer show religioso, às 20 horas, na Praça Dom José Marcondes. E a Orquestra de Cordas leva repertório clássico à Basílica Menor de Nossa Senhora Aparecida, amanhã, às 21h30.


Serviço


Mais informações pelo telefone (17) 3202-2310


Da história aos números


Uma casinha de sapê, próxima do rio Preto. Esse era o cenário do município em 1852, quando Luiz Antônio da Silveira doou terras para a formação do patrimônio de São José e João Bernardino de Seixas Ribeiro construir a primeira moradia. Logo, migrantes de Minas Gerais criaram meia dúzia de palhoças e uma capelinha na vizinhança.


A igreja foi batizada como capela de São José do Rio Preto e pertencia à Jaboticabal. Somente em 1894, o lugarejo ganhou autonomia político-administrativa com sua elevação a município. Segundo a popular lenda do pássaro azul, o fundador estava desbravando as matas virgens da região em busca de riquezas, mas se perdeu com o grupo. Temendo a morte, ajoelhou-se e pediu proteção ao santo de sua devoção. Nesse momento, um pássaro azul apareceu para indicar um caminho seguro a todos.


De 1906 a 1944, a cidade teve o nome simplificado para Rio Preto. Entretanto, por conta de uma homônima mais antiga no estado mineiro, o Centro Geográfico do Rio de Janeiro cogitou alterá-lo para Iboruna. Os moradores bateram o pé e a solução foi um decreto estadual, que restabelecia a denominação anterior. Porém, até hoje, o nome do santo padroeiro é “esquecido”, em situações informais.


O Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 foi de R$ 7,2 bilhões, segundo a pesquisa mais recente da Fundação Instituto de Pesquisa Econômicas (Fipe), em parceria com o Sebrae-SP e a Prefeitura de Rio Preto, baseado no Indicador de Movimentação Econômica Regional (IME-R). Essa evolução só foi possível graças à chegada dos trilhos da Estrada de Ferro Araraquarense, em 1912, e do desenvolvimento da cafeicultura na região.


A cidade também se destaca pelo Festival Internacional de Teatro (FIT), realizado anualmente em julho, e pelas pesquisas médicas, desenvolvidas especialmente por profissionais da Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp) e de outros centros de excelência. De acordo com o censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a atual população é de 408.435 habitantes e a área ocupada, de 431,32 quilômetros quadrados.


Clique e confira a programação de Eventos & Shows em Rio Preto


Quer ler o jornal na íntegra? Acesse aqui o Diário da Região Digital

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso