Diário da Região

16/05/2003 - 02h48min

Beira D’Água

Briguento, pacu garante diversão na pesca

Beira D’Água

Carlos Chimba O pacu pode medir até 80 centímetros e pesar até 20 quilos
O pacu pode medir até 80 centímetros e pesar até 20 quilos
Forte, esperto e bom de briga. A descrição, que serviria para garotos invocados da escola, se encaixa perfeitamente ao pacu, peixe encontrado em todo o Brasil e muito apreciado para a pesca esportiva e para a degustação. Atento à movimentação e aos barulhos à sua volta e dono de uma poderosa mordida, o pacu exige uma técnica acurada para ser pescado. O pescador profissional Natalino da Silva, 60 anos, que se iniciou na atividade aos 4, dá o recado: “Se o pescador for novato, deixa o pacu escapar.” O presidente da Associação dos Pescadores Ambientalistas (APA) de Rio Preto e região, Marcos Alves Pereira, 32, afirma que a pesca do pacu sempre exige paciência. “É uma briga boa. Esse peixe tem muita força e corta até arame com os dentes. Se o pescador não utilizar o castor, uma espécie de cabo metálico que reforça o anzol, o pacu corta a linha e vai embora”, diz Pereira.

Para os pescadores, fisgar um pacu é sempre uma tarefa digna de glória. Primeiro porque os mais comuns, com cerca de 60 centímetros de comprimento, pesando de cinco a seis quilos, são ideais para ser saboreados, fritos ou assados. Segundo porque os maiores, que chegam a medir 80 centímetros e pesam até 20 quilos, são mais difíceis de pegar. Nesse caso, o peixe já não tem tanta utilidade para a culinária, mas oferece um bom divertimento ao pescador. “A partir dos oito quilos, o peixe já fica gorduroso. Em compensação, fica mais difícil de ser pego. Um pacu desse tamanho consegue até cortar o castor”, afirma Pereira. O pacu é capaz, por exemplo, que quebrar a casca de um coco só com a força de suas mandíbulas. O peixe, no entanto, é bom de briga apenas dentro d’água e não costuma atacar os pescadores.

Regras
A primeira regra para conseguir pescar o pacu é fazer silêncio. O barulho afugenta o peixe e dá fim à pescaria do dia. A pesca noturna também exige cuidados. Se uma lanterna for acesa durante a pescaria, o pacu foge. O ideal é acender a luz que vai ser utilizada antes do anoitecer, para que luminosidade não seja alterada durante a pesca. Silva ensina que, depois de fisgar o pacu, o pescador não pode se afobar. “Se quiser tirar o peixe rápido da água, ele certamente vai escapar.” A briga com um pacu médio, que tenha entre seis e sete quilos, pode durar até 30 minutos. “O pescador tem de cansar o peixe, tirar devagar. É muito difícil pegar um desses”, afirma o presidente da APA. Para pescar o pacu, podem ser utilizadas duas técnicas: arremesso e batida. Na primeira, o pescador deve utilizar um equipamento médio ou pesado, ou seja, uma vara para linhas de 10 a 25 libras, anzol encastoado de haste curta, e chumbada que possa correr pela linha.

O ideal é ficar em um barco amarrado próximo ao barranco, arremessando a isca para afundar nos locais preferidos pelo pacu, como embaixo de barrancos com árvores frutíferas ou ilhas flutuantes formadas por plantas aquáticas, os camalotes. Na segunda técnica, o pescador deve deixar a isca bater no fundo do local por duas ou três vezes seguidas, até que o pacu a ataque. A fisgada deve ser feita com força para que o anzol se fixe na boca do peixe. Conhecido como porco da água por comer tudo o que vê pela frente, o pacu é um peixe que aceita várias iscas. Só não é recomendada a utilização de peças artificiais. É aconselhável que o pescador utilize frutas azedas ou bolas de massa, mas a velha isca universal, a minhoca, também é apreciada pelo peixe. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) define em 40 centímetros o tamanho mínimo permitido do pacu pescado nos rios da região.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso