IMG-LOGO
Home Turismo

Entre o clássico e o contemporâneo: conheça a Morávia do Sul

Da Redação - 02/07/2020 10:03

A Morávia do Sul é a região que fica entre Praga e Viena, e que sempre tentou se beneficiar do melhor que as duas capitais têm a oferecer em arquitetura, cultura, indústria, gastronomia, estilo de vida, mas sempre mantendo suas tradições, costumes e patriotismo. Hoje é uma das regiões tchecas mais visitadas por turistas locais e estrangeiros, oferecendo uma diversidade única entre o histórico e o moderno, o clássico e o contemporâneo.

Brno, a capital mais “cool” da Tchéquia

Brno, a metrópole da Morávia do Sul, conecta perfeitamente história, arquitetura moderna, cultura e uma intensa vida noturna. É a capital histórica da Morávia, a segunda maior cidade e sede do judiciário do país. Também é reconhecida como um centro industrial e um importante centro universitário com mais de 65 mil estudantes. O caráter amigável dos bruneianos, juntamente com seu senso de humor, espírito inovador e criativo e rivalidade histórica com Praga, fazem de Brno uma das cidades mais alegres e divertidas do país. O que visitar: duas colinas, quatro praças e uma vila.

Catedral de São Pedro e São Paulo em Petrov

A catedral de São Pedro e São Paulo, com a torre dupla que a caracteriza, foi construída em estilo neogótico e fica na colina, logo acima do centro da cidade. Os interiores da catedral, bem como todo o bairro de Petrov que a rodeia e as vistas da cidade são lindos.

A glória da catedral vem de uma pequena armadilha histórica que ocorreu no ano de 1645. Uma lenda conta que o exército sueco, depois de sitiar a cidade por três meses e meio, proclamou que se retiraria se não conquistasse a cidade antes que os sinos tocassem doze horas. Sob forte ataque às 11 horas da manhã, a cidade estava prestes a ser conquistada. Nesse momento, um dos defensores da cidade fez os sinos tocarem doze vezes. Como prometido, os suecos pararam a campanha e foram embora.

Castelo de pilberk

A obra dominante da cidade de Brno foi construída em meados do século XIII pelo rei tcheco Premysl Otakar II. Na segunda metade do século XVII, tornou-se uma majestosa fortaleza barroca que resistiu a numerosos cercos e desde o século 18 serviu como prisão civil com enormes e escuras casamatas e uma sala de tortura que muitos turistas curiosos visitam hoje. O poeta italiano Silvio Pellico, o barão Trenck e o bandido Babinský passaram alguns anos lá. Hoje, o Castelo Spilberk é um centro cultural onde são realizadas exposições, festivais de música e festas de teatro durante o verão. Além disso, escalar o parque circundante oferece vistas inesquecíveis da cidade, ideais para uma foto em grupo ou selfie.

Centro da cidade

O centro de Brno é um exemplo de diversidade e convivência histórica, tradicional e contemporânea. É composto por quatro praças emblemáticas, cada uma com um objetivo diferente na vida da cidade.

A Praça da Liberdade (namesti Svobody) é o principal núcleo da vida cotidiana de Brno, o local de importantes eventos culturais e políticos. Seu item dominante relativamente novo é o relógio astronômico em forma de foguete. Sua maneira de contar as horas é um pouco misteriosa, mas todos os dias, às onze horas, ele lança uma bolinha para colecionadores.

A Praça do Repolho é um espaço onde um mercado de alimentos é instalado diariamente ao redor da fonte de Parnas. Devido à necessidade de armazenar alimentos desde a época medieval, adegas subterrâneas tiveram que ser escavadas sob as casas. Até hoje, o labirinto de corredores e adegas foi preservado poucos metros abaixo da superfície. A parte aberta aos visitantes fica logo abaixo desta praça. Lá você pode ver, por exemplo, o pelourinho, uma gaiola para loucos e um laboratório de alquimia.

 

Recinto de Lednice-Valtice: passeio pelo Jardim Europeu

Não há muitos lugares no mundo que recebem tanta atenção quanto a área elegante ao redor dos palácios de Lednice e Valtice, chamada Jardim Europeu, desde 1996, inscrita na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO. É apenas a 15 km de Mikulov.

O Palácio Lednice deve sua atual aparência neogótica à reforma de meados dos anos. XIX. Naquela época, servia como ponto de encontro da aristocracia europeia. O segundo dos palácios, o Palácio Valtice, era uma residência luxuosa dos senhores do Liechtenstein, não apenas conhecida por sua beleza, mas também por sua longa tradição vinícola. A videira foi trazida aqui pelas legiões romanas do imperador Marco Aurélio, que consideravam a região de Pálava adequada para o cultivo do vinho. Assim, você pode desfrutar não apenas de uma experiência cultural única, mas também de um copo do excelente vinho da Morávia no Salão Nacional dos Vinhos Tchecos, localizado na adega do palácio.

Mikulov: centro da zona vinícola de Pálava

Apenas a 55 km de Brno, no meio de uma bela paisagem coberta de vinhedos e pedras brancas, está a pequena cidade de Mikulov. O ponto dominante da cidade, impossível de perder, é o palácio, que lhe dará as boas-vindas de longe, graças à sua localização no topo de uma rocha. Em seu recinto, entre outras exposições, recomendamos visitar a que fica no porão histórico e onde você aprenderá tudo sobre a tradição secular de cultivo de videira nesta região. Descendo para o centro, você pode admirar sua pitoresca praça principal com a torre do sino e o majestoso túmulo da nobre família de Dietrichtejn, além da sinagoga e do antigo cemitério judeu. Além disso, você pode dar uma agradável caminhada até a próxima Colina Santa. Depois, sentar-se em um dos terraços do centro para saborear um copo de excelente vinho branco local. Se você gosta de demi-sec, escolha Pálava, vinho feito com a vinha local que deu nome à toda a região vinícola. Você também pode dar um passeio de bicicleta pelas vinhas que crescem em cidades próximas e vinícolas como Sonberk ou Obelisk. Em suma, Mikulov é a capital do vinho da Morávia, a cidade indispensável durante seu tour pelo sul da Morávia.

A beleza natural

Cársico da Morávia

O Cársico de Morávia é a maior e mais importante das áreas cársicas tchecas. É um complexo das cavernas maiores e mais acessíveis, composto por um grande complexo de salas, corredores e abismos subterrâneos. Muitas coisas vão lembrá-lo do lendário Morie do épico romance de fantasia de J. R. R. Tolkien, O Senhor dos Anéis, incluindo a frágil ponte sobre o abismo.

Grutas de Punkva

As cavernas de Punkva geram o maior interesse. Elas estão localizadas em Pustý leb, a 2 km do Centro de Informações e um restaurante Skalní mlýn a montante do rio Punkva. Se você não quiser caminhar até as cavernas, pode pegar o trem turístico. Uma visita de aproximadamente uma hora o levará pelas enormes cúpulas e corredores decorados com estalactites e estalagmites até o fundo do abismo de Macocha e continuará o passeio de lancha pelas águas esverdeadas no abismo do rio subterrâneo de Punkva. A caminhada é interrompida em um só lugar devido ao tour pelo Domo Masaryk, uma das áreas subterrâneas mais bonitas do Cársico da Morávia.

Dicas para a viagem

A melhor época para viajar é de abril a outubro, pois os castelos, palácios e adegas estão abertos, os dias são longos e o clima é agradável. A cidade de Brno, sendo a segunda maior cidade do país e capital da Morávia, pode ser visitada também no inverno, e especialmente durante o Natal é muito atraente.

Editorias:
Turismo
Compartilhe: