IMG-LOGO
Home Prevenção

Como a quarentena pode afetar a visão das crianças

Núcleo Digital - 07/11/2020 00:00

Seu filho está reclamando constantemente de dor de cabeça, ressecamento dos olhos e sensação de areia, dificuldade em ler e vista embaçada? Atenção. Esses sintomas estão cada dia mais comuns e podem indicar um cansaço visual, resultado de uma exposição excessiva aos eletrônicos. Com a pandemia do coronavírus, o hábito de vida mudou radicalmente. Desde então, os cuidados com os olhos devem ser observados tanto para evitar o contágio pelo novo vírus quanto pela exposição às telas no período de quarentena. Para as crianças, em especial, o uso da tecnologia passou de opção para obrigação com as aulas online.

De acordo com a oftalmologista Thaisa Faloppa Duarte, do Hospital de Olhos Redentora, estudos mostram o aumento dos casos de fadiga ocular e miopia entre crianças e adolescentes que já utilizavam muito computadores e celulares antes mesmo da pandemia. “Agora estamos ainda mais atentos, pois essa exposição acima do comum pode ocasionar doenças como a Síndrome da Visão do Computador (CVS), que traz a sensação de queimação nos olhos, dor de cabeça, visão embaçada e sensação de olhos secos. Além disso, pode ocasionar surgimento e agravamento de miopia”, afirma a oftalmologista.

Em 2019, um Relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontou que o uso constante de tecnologia está agravando uma condição que já vem sendo considerada pelo organismo uma epidemia globalizada: a miopia. Segundo a OMS, em 2050, cerca de 52% da população mundial terá desenvolvido a doença. Já o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) aponta que cerca de 70% a 90% da população mundial sofre com desconfortos visuais ao longo do dia, principalmente, depois do uso prolongado de eletrônicos. Já entre as crianças, cerca de 20% em idade escolar apresentam problemas oculares.

Por isso, a conscientização dos pais sobre a necessidade da consulta oftalmológica precoce é fundamental. “O acompanhamento periódico com o especialista desde a infância contribui para prevenir uma série de doenças ou problemas que podem afetar a visão dos pequenos, como a catarata infantil, uma das principais causas de cegueira na faixa etária pediátrica”, alerta o oftalmologista Leonardo Pereira, que comanda um núcleo exclusivo para tratamento de catarata infantil no HO Redentora.

O diagnóstico precoce de problemas oculares ajuda muito no tratamento, que se não tratados na hora certa prejudicam não só a saúde, mas também o desempenho escolar e o convívio social. Além dos sintomas já citados, os pais devem procurar um especialista caso observem assimetria das pupilas, tremor nas pálpebras, dificuldade para ler e enxergar à distância.

 

Núcleo Catarata Infantil
Sempre de olho na saúde ocular das crianças, o Hospital de Olhos Redentora montou um núcleo especializado para diagnosticar e tratar Catarata Infantil, disponibilizando de uma equipe capacitada (com cirurgião de catarata, oftalmopediatra, retinólogo, equipe de anestesias especifica para criança) para cuidar da saúde ocular das crianças com segurança e eficácia.

 

Serviço:
Dra. Thaisa Faloppa Duarte
Oftalmologia Geral
Lentes de contato e Plástica Ocular
CRM 113.554 / RQE 42521

Dr. Leonardo Pereira
Oftalmologia Geral
Catarata
CRM 66.807 / RQE 14282

Editorias:
Prevenção
Compartilhe: