IMG-LOGO
Home Cabelos

Como a menopausa influencia a queda de cabelos

Núcleo Digital - 05/12/2020 00:00

O envelhecimento do corpo faz parte do processo natural fisiológico do ser humano. Na faixa etária entre 45 e 50 anos, a considerada meia idade, é natural o organismo sofrer alterações metabólicas e queda do número de células, perdendo a capacidade de se renovar. Nas mulheres, o início da meia idade é caracterizado pela chegada da menopausa. Momento em que a menstruação deixa de acontecer, os ovários entram em falência e as concentrações dos hormônios, como o estrogênio e progesterona, caem irreversivelmente. A principal consequência disso, além das famosas sensações cíclicas de calor (fogachos), é a queda de cabelo.

De acordo com o médico tricologista, de Rio Preto, Dr. Carlos Bedin, após dez anos na menopausa as mulheres chegam a perder até 40% do volume de fios que tinham antes. Especialista em terapia capilar e membro da Sociedade Brasileira de Cabelo (SBC), ele informa que a queda capilar na mulher nessa fase da vida é tão comum quanto qualquer outro sintoma da menopausa. “Além da atrofia do bulbo (diminuição da unidade folicular), as principais queixas quando chegam a minha clínica são a diminuição da densidade dos fios, dor no couro cabeludo e coceira com oleosidade”, diz.

Alguns sinais indicando que a saúde dos fios do cabelo está frágil podem ser percebidos facilmente. Logo após os 45 anos, o couro cabeludo fica mais visível e a mulher já consegue observar o aumento das famigeradas entradas dos cabelos. Segundo o especialista, para prevenir a queda progressiva dos fios, o ideal é buscar um estilo de vida mais saudável. “É preciso levar em conta a boa alimentação, principalmente, rica em proteínas, além de evitar o tabagismo e o estresse. Se a paciente já tem antecedentes familiares de calvície, ela deve ficar atenta para não perder grande quantidade de cabelos”, enfatiza Bedin. O médico ainda destaca os cuidados que as mulheres devem ter com a reposição hormonal, comum após os 50 anos, pois alguns desses hormônios podem piorar a qualidade dos fios, como o uso indiscriminado da reposição da testosterona.

Divulgação/Dr. Carlos Bedin Paciente na menopausa antes de iniciar o tratamento capilar

Paciente na menopausa antes de iniciar o tratamento capilar (Foto: Divulgação/Dr. Carlos Bedin)

O tratamento
Quando a paciente já apresenta um quadro clínico da queda capilar devido à menopausa, o tratamento inicial é realizado com medicamentos, loções e xampus específicos. Outros procedimentos também devem ser feitos como microagulhamento capilar, MMP e mesoterapia capilar, que são infiltrações de vitaminas e fatores de crescimento diretamente no couro cabeludo, que proporcionam a melhora do quadro, ajudando na espessura e crescimento dos fios. A quantidade de sessões é definida após a avaliação do médico, respeitando as características de cada paciente.

Homens: 3ª idade acelera a queda capilar
Nos homens, dependendo da propensão genética, a calvície já pode acontecer a partir dos 16 anos, e a queda dos cabelos é mais comum do que nas mulheres, segundo especialistas. Mas é na terceira idade quando o paciente terá um grande afinamento dos fios, tanto por questão hormonal quanto do próprio processo natural de envelhecimento. Os principais sinais nos homens são as entradas capilares acima da testa, diminuição do volume capilar e aumento da visibilidade do couro cabeludo. “O tratamento para eles é o mesmo realizado para as mulheres, inicialmente, com medicamentos, loções e xampus específicos antiquedas, e também com procedimentos no couro cabeludo, além de led e laser nos cabelos”, esclarece Bedin.

6 dicas para evitar a queda de cabelos na menopausa
1 – Dieta alimentar rica em proteínas
2 – Evitar fumar
3 – Praticar exercícios físicos regularmente e atividades antiestresse
4 – Reposição hormonal sem excesso
5 – Lavar os cabelos com xampus adequados
6 – Casos de calvície na família, procurar especialista antes da menopausa

Serviço:
Dr. Carlos Bedin
CRM/SP: 154.750 – Médio

Editorias:
Cabelos
Compartilhe: