IMG-LOGO
Home Tecnologia

NFT: entenda como funciona a tecnologia do token

Jessica Reis - 01/05/2021 00:18

O que você acha sobre uma obra de arte digital ser vendida por quase 70 mil dólares? Você pode se perguntar, como assim? Pois saiba que isso é real. A obra "Everydays: The First 5000 days", do renomado artista Beeple foi arrematada em um leilão por 69,3 milhões de dólares, o equivalente a aproximadamente 387 milhões de reais. Mas, espera! A tal obra pode ser vista em centenas de sites espalhados pela internet, como alguém tem coragem de pagar tão caro por algo que está disponível gratuitamente?

Calma, que não é bem assim. O que garante que a obra é real é o NFT. Segundo André Franco, analista de crypto da Empiricus, um token não fungível (NFT) é um tipo de token criptográfico que representa algo único. Em outras palavras, não pode ser trocado, segundo sua especificação individual, da mesma forma que criptoativos como bitcoin são trocados. NFTs podem ser usados para criar escassez digital verificável.

"Para exemplificar, o termo 'fungível' faz menção a bens que podem ser substituídos por outros de mesma espécie, qualidade e quantidade. Por exemplo, uma nota de R$ 10 tem o mesmo valor na minha mão, na sua e no caixa do banco também. Essa característica é ótima quando se trata de dinheiro, mas quando falamos de artigos colecionáveis, o ideal é que seja o oposto. A 'Mona Lisa', de Leonardo da Vinci, vale infinitamente mais do que a 'Mona Lisa' desenhado por uma criança para um trabalho na aula de artes. A essa característica que não iguala uma unidade a outra chamamos de 'não fungibilidade', dessa forma, um NFT não é igual ao outro, tanto no valor como nas propriedades do próprio token", explica Franco. E essa é explicação para a obra de Beeple valer tanto, ela é única!

Sabe a pergunta que comecei esse texto: porque pagar por um NFT se posso vê-lo de graça? Franco responde. "Esse é um questionamento clássico que envolve o segmento das artes digitais. Acontece que a posse tem o seu valor, como é o caso do exemplo que demos anteriormente do quadro da Mona Lisa. Com uma rápida pesquisa na internet é possível encontrar milhares de reprodução da obra, ou até mesmo encomendar uma réplica física, mas isso não significa que elas tenham algum valor. Por mais cópias que ela possua, apenas a original vale bilhões e tem a capacidade de atrair milhões de turistas todos os anos, mesmo que isso seja um pouco subjetivo de entender.

Rocelo Lopes, especialista em blockchain e criptoeconomia, diz que em resumo NFT é um selo, ou podemos dizer também um autógrafo do criador, publicado numa Blockchain onde vai garantir que é único e apenas uma pessoa será a proprietário e nunca existirá outro objeto, ativo ou arte. Mas segundo ele, os NFTs não são novos e explica: "na vida real já existiam há muito tempo, como por exemplo, em 2019 um dos capacetes de Ayrton Senna, usado na temporada de 1988 da Fórmula 1, foi vendido em leilão online pelo valor de 102 mil dólares. E assim, como o capacete do Ayrton, muitos objetos únicos são vendidos a preços extraordinários", afirma.

Vantagens e desvantagens do NFT

O especialista em blockchain e criptoeconomia, Rocelo Lopes, explica que a possibilidade de NFT na blockchain sempre existiu, mas somente no ano passado é que se criaram plataformas possibilitando o registro de ativos não fungíveis. "Hoje, NFTs traduzindo para o dia a dia nada mais é que um autógrafo registrado numa blockchain de acesso público. Com uso crescente de novos modelos de negócio em blockchain se viu a oportunidade de registar algo original e único usando essa tecnologia", afirma.

Segundo o especialista, a grande vantagem dos NFTs é que artistas agora, com facilidade, podem eliminar o intermediário e derrubar fronteiras. "O custo de registrar uma arte, música, foto, vídeo ficou extremamente baixo e auditável e o mais importante Global. A desvantagem é que por terem plataformas com um bom sistema de curadoria vai ser comum o usuário comprar algo que não seja tão exclusivo assim ou ainda comprar algo falso", explica.

Para o especialista em criptomoeda, pagar por algo que quer ver, ouvir ou assistir de graça vai de cada indivíduo. "Pessoas pagam milhares de reais para ir até o Museu do Louvre, para admirar um quadro de Leonardo Da Vinci, quando é possível ver no sofá da sua casa na tela do celular. Ainda tem aquele fã de Elvis Presley que pagaria milhares de dólares pelo primeiro vinil dele e por que não milhões pelo capacete de nosso Ayrton Senna. Comprar o NFT vai da satisfação do usuário em saber que tem algo que é único e é dele."

 

Saiba mais

Como funciona o NFT

Cada token possui um hash
digital — função que converte
letras e números em uma frase
criptográfica — que se distingue de todos os outros tokens de seu tipo. Esses ativos ficam registrados na blockchain, uma espécie de livro contábil público e verificável.

Para que o NFT é usado

São principalmente úteis em aplicações que requerem itens exclusivos e digitais, como arte digital, cards colecionáveis e itens internos de jogos.

Na verdade, essas são as vertentes mais óbvias, mas por se tratar de uma tecnologia nova, apenas o tempo irá mostrar todas as aplicabilidades. Atualmente, os segmentos que mais têm explorado o potencial NFT são as artes digitais e os jogos em blockchain, mas já existem ideias e projetos para aplicações no setor musical e até de patentes.

Fonte - André Franco, analista de crypto da Empiricus

NFT na prática

Um artista pode criar uma arte, seja ela digital ou física, e disponibilizá-la em plataformas de leilão como OpenSea, Rariable e Nifty Gateway. O usuário que tiver interesse precisará criar uma carteira de Ethereum e dar um lance para comprar e, caso o lance seja o vencedor, esse irá receber a titularidade daquela obra, e aqueles que não levaram vão receber de volta os seus Ethereum.

Fonte - Rocelo Lopes, especialista em blockchain e criptoeconomia

Conheça os significados de alguns termos relacionados aos NFTs:

NFT

É a sigla em inglês para token não fungível, o objeto da compra que
pode ser uma música, uma roupa e, em suma, qualquer coisa

Blockchain

É o livro registro virtual e inviolável, no qual as obras e seus donos
ficam registrados

Criptomoedas

São as moedas correntes nos
negócios virtuais. Uma das mais usadas nas vendas de NFTs não
são as mais comuns, os bitcoins, mas as ethereums

Criptoarte

As artes visuais contemporâneas vendidas como NFTs

Marketplaces

São sites nos quais é possível
comprar obras de arte NFTs.
Um dos maiores é o OpenSea

Criptoartista

O recorde de venda é do
criptoartista Beeple, que ganhou US$ 69,3 milhões no leilão de uma arte digital, em 10 de março

Editorias:
Tecnologia
Compartilhe: