SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SÁBADO, 23 DE OUTUBRO DE 2021
Carreira

Postura confiante

Descubra algumas táticas para falar em público sem medo

Francine Moreno
Publicado em 10/07/2021 às 22:30Atualizado em 11/07/2021 às 19:36

Numa época em que a comunicação é muito importante, falar em público, mesmo que um uma reunião com uma pequena plateia, pode ser uma situação aterrorizante para algumas pessoas. É preciso, no entanto, enfrentar este medo, pois uma boa apresentação pode fazer toda a diferença na hora de conquistar um novo cliente, criar conexão, oferecer um novo projeto, receber uma promoção, convencer alguém e, principalmente, provar domínio sobre determinado assunto.

Juliana Paes Garcia, coach em alta performance e mudança de carreira, afirma que é possível controlar melhor os estímulos causados pela ansiedade antes das apresentações em público. "Além de se preparar adequadamente, estudando os pontos que podem aparecer durante a reunião, cuidar da mente é fundamental para que ela não te sabote e não aumente a sua ansiedade. Um dos truques é evitar cair na percepção seletiva durante a reunião", afirma.

A especialista cita um exemplo fictício para ajudar neste tarefa. "Você coloca seu ponto de vista e um dos participantes boceja logo em seguida. Sua mente imediatamente pode começar a criar pré-julgamentos e imaginar que ele não está interessado no que você falou. Isso é uma inferência: um julgamento apressado sem informações suficientes para saber se é verdade (a pessoa pode estar genuinamente cansada porque o filho pequeno não dormiu durante a noite) e isso pode te deixar nervoso, ansioso e até prejudicar a sua capacidade de se expor com clareza."

Então, durante a reunião, a coach Juliana afirma que é importante reduzir essas "conversas paralelas" que a mente pode ter e que só atrapalham. "Antes da reunião, uma tática para reduzir aumentar a testosterona (hormônio relacionado à sensação de poder) e inibir a produção de cortisol (hormônio produzido durante o stress), é recomendado ir à algum lugar onde possa ter privacidade e manter-se durante alguns minutos na postura da Mulher Maravilha: braços e pernas abertos, peito projetado para frente, posição que expressa confiança."

Juliana afirma que a nossa postura corporal tem a capacidade de influenciar a maneira como nos sentimos. "Por isso, fazer essa posição de poder logo antes da reunião vai liberar a testosterona que vai te ajudar a se sentir mais confiante e preparado".

Timidez

Sentir frio na barriga, ficar vermelho, ter medo de falar em público e travar quando é o centro das atenções são aspectos dominantes na pessoa tímida. Rodrigo Ferreira, consultor de carreiras, afirma que a autoestima é um dos principais fatores que devem ser desenvolvidos na pessoa tímida, dia após dia. Além disso, é preciso acreditar em si mesmo. "Confie em você mesmo, independentemente das circunstâncias. Mesmo sendo uma pessoa tímida, dá para realizar grandes conquistas, basta acreditar e ter a atitude de fazer acontecer", reforça.

Habilidade diária

No livro "Pare de vacilar nas suas apresentações", publicado pela editora Pandorga, Jean Emmanuel apresenta um guia de como falar, se comportar e convencer o público a partir da oratória. Segundo o escritor, existem muitas formas para melhorar a apresentação. Com simplicidade e ajustes, o orador pode alcançar uma estratégia bastante efetiva de tornar sua ideia clara. "Os erros para falar em público, geralmente são provenientes do medo e vícios adquiridos por alguém que jamais imaginou que existam técnicas que podem mudar completamente a forma como elas se comunicam."

Prática deixa a ansiedade mais controlada

A violinista Anna Murakawa aprendeu na prática a controlar o nervosismo nas apresentações em público. Sabendo que o problema afeta grande parte da população mundial, seja numa apresentação musical ou em uma reunião de negócios, a artista decidiu compartilhar o que aprendeu em quase duas décadas de carreira.

"No caso da música, acho que as pessoas confundem muito o caráter delas com o que elas produzem. Então, ficam com um receio de que, se o que elas fizerem não sair tão bem ou como o esperado, isso afete, de alguma forma, como o público a percebe como pessoa e é o que gera o nervosismo e a ansiedade", explica a musicista, que é professora na Universidade de Sidney, na Austrália. "Na verdade, o que elas esquecem é que continuam sendo a mesma pessoa, com os mesmos valores e integridade", complementa.

Para aprender a controlar melhor os estímulos causados pela ansiedade antes das apresentações em público, Anna afirma que é preciso focar naquilo que quer transmitir. "Antes de qualquer apresentação, tente se lembrar o porquê você está fazendo aquilo e o que você tem para agregar na vida das pessoas que estão assistindo. Isso vai ajudar a pensar menos sobre como as pessoas vão te ver, se vai errar ou acertar, e mais no que você realmente quer que a pessoa sinta e aprenda."

Segundo Anna, a prática diário deixa a ansiedade mais controlada. "Quanto mais você se colocar em uma situação diferente, praticando falar na frente das pessoas, mais confortável você fica. As pessoas passam muito tempo se preparando para uma situação, mas não se colocam realmente naquilo. Muitas vezes, o medo vem mais da antecipação de fazer algo do que do fato de fazer a coisa em si."

Não é uma coisa que acontece da noite para o dia, mas é possível se adaptar e conseguir saber o que esperar em uma situação como essa. "Hoje, quando subo no palco, por exemplo, eu raramente fico nervosa, porque eu sei o que esperar e como as coisas vão acontecer. Meu nervosismo aparece somente quando eu não me sinto preparada e isso é uma coisa que conseguimos ajustar por trás das cenas com os treinos", explica Anna.

Capa do livro (Divulgação)
Capa do livro (Divulgação)
 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por