IMG-LOGO
Home Carreira

Um gûriá para o alto e avante

Uma cidade é conhecida pelo patrimônio humano que ela consegue formar, conquistar. Quanto mais distinto e bem capacitado for o padrão de seus cidadãos e de seus empreendedores, tanto mais condições terá de crescimento sustentável e de se traduzir como terra de oportunidades e de excelente qualidade de vida. Assim é Rio Preto, e dois de seus estimados filhos comprovam essa verdade. Hilton Fabbri e Marcelo Chibeni, sócios-proprietários da Hugo Engenharia, imprimem na história da evolução da cidade características de arrojo, criatividade e estilo. Nascida em 1996 como construtora, a Hugo Engenharia vocacionou suas atividades para o mercado imobiliário a partir de 2003, com a bem-vinda reabertura do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) linha de financiamento oferecida por instituições financeiras públicas e privadas, destinada majoritariamente para a compra de imóveis. Em 2008 a empresa passou a empenhar todas as suas atividades e potencialidades em projetos de médio e alto padrão. Desde então nasceram empreendimentos como o Navarro Building, na Avenida José Munia, que elevou o status da modernidade de Rio Preto, dando-lhe um novo cartão-postal. Com um portfólio de projetos residenciais inspiradores feito o JK Essencial Residence e outros com bonitos nomes de origem tupi, como Gûyrás, Aracês e Tapuias, a Hugo Engenharia segue na medida exata de seus ideais: para o alto e avante.

No comando da empresa estão Hilton Fabbri, diretor técnico e de novos negócios e Marcelo Chibeni, diretor da área comercial. A dupla aponta os fatores da consolidação da Hugo no mercado local. Para Hilton, o primeiro fator foi a retomada dos recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). "Foi quando a empresa identificou a deficiência de imóveis verticais e buscou soluções arrojadas nos principais mercados do Brasil e de grandes cidades do mundo, adotando esses projetos para a realidade de Rio Preto. Isso a fez crescer e se destacar em mercados estratégicos, como o de Ribeirão Preto. As propostas inovadoras de tecnologia, de qualidade pós-ocupação, de soluções e de localização são outros importantes diferenciais.
"A Hugo Engenharia não repete projeto e cada empreendimento é uma nova criação," destaca Hilton, Engenheiro Civil pela Unesp de Ilha Solteira, com
pós-graduação em Gestão Empresarial (Unirp) e Gestão em Negócios Imobiliários (FAAP). Hugo também é diretor de Incorporações da Diretoria Regional do Sinduscon São Paulo. Para Marcelo, a receita do sucesso foi a empresa ter procurado um nicho, ou seja, projetos
com soluções interessantes, desde a elaboração da planta, passando pela qualidade na execução, até o cumprimento rigoroso dos prazos de entrega. "Acreditamos que estas características nos trazem credibilidade, sustentação e retorno do mercado, sempre com muito planejamento e rigidez de controle", diz Marcelo Chibeni, graduado em Engenharia Civil com extensão em Gestão de Empresa/Administração pela Faculdade Dom Pedro de Rio Preto.

A pandemia

Perguntados sobre os reflexos da pandemia, e consequente quarentena na rota traçada pela Hugo para 2020, seus diretores relatam como primeira preocupação a segurança e a saúde dos colaboradores do escritório e dos canteiros de obras. E as medidas foram rígidas, como controle de acesso, desinfecção de ambientes e de canteiros de obras, palestras educativas e consultorias específicas para assegurar a prevenção contra o novo coronavírus e para que as atividades e programas não fossem interrompidas.

Na administração, processos e rotinas junto ao departamento de TI foram implementados para que a empresa não parasse, estruturando assim um sistema de Home Office.

Comungando da opinião da maioria do empresariado brasileiro antes da pandemia e sua crise, os diretores da Hugo também esperavam que 2020 seria um ano excelente para a economia. "Prevíamos um grande ano no ponto de vista de lançamentos e vendas. Mas ocorreu um represamento. Analisamos que houve uma pausa, mas já estamos sentindo uma retomada nas vendas", diz Hugo Fabbi. Confiante, ele explica. "Entrou em cena um fator significativo para o setor: a redução da Taxa Selic ao seu menor patamar. Uma mudança histórica no País que vai fazer com que recursos que vinham sendo culturalmente aplicados no mercado financeiro, migrem para a economia real. E o mercado imobiliário passou a ser um dos mais atrativos. Vejo uma retomada rápida e consistente para o segmento, já que as pessoas precisam reposicionar seu portfólio patrimonial em busca de ativo real." Para além da crise econômica, Marcelo Chibeni expressa a mesma confiança e expectativa positiva. "Acreditamos que, em breve, as pessoas poderão analisar e concluir novamente que investir em um imóvel é um excelente ativo, já que a demanda por moradia no País existe e o setor imobiliário se consolida cada vez mais como investimento seguro para quem deseja aplicar a renda".

Bom e exigente

Sim. A demanda por habitação existe, e em Rio Preto ela tem aspectos especiais. Considerado um mercado imobiliário forte e de grandes atrativos, as empresas do setor são cada vez mais desafiadas a acertar os desejos e as necessidades do comprador. O diretor técnico e de novos negócios da Hugo Engenharia, Hilton Fabbri tem a chave que abre muitas portas. "É preciso um profundo estudo de mercado, pesquisas de procedência e análise da própria carteira de vendas. São José do Rio Preto é um bom mercado, porém, extremamente exigente. Por isso, é necessário ter fundamentos, capacidade técnica, estruturação de dados, transparência e governança corporativa". Para o diretor comercial Marcelo Chibeni "também é preciso estar muito atento às tendências de arquitetura e às necessidades de moradia, que vão se moldando conforme os novos hábitos da sociedade." Ele acrescenta: "o fato da Hugo Engenharia trabalhar com produtos únicos e personalizados, isto é, sempre há uma análise prévia que leva em consideração, principalmente, a localização do empreendimento e os prazos. Tudo planejado com o máximo de respeito ao cliente." Com seu jeito de morar e viver a cidade, a rio-pretense Hugo Engenharia entende de desafio. Sabe que desafio bom é igual a um pássaro arisco. Feito um bonito gûyrá (passarinho em tupi) no aracê (nascer do dia). Sempre há o instante ideal para apreciá-lo.

*As fotos foram feitas com todos os cuidados respeitando as normas de distanciamento social.

 

Editorias:
Carreira
Compartilhe: