IMG-LOGO
Home Comportamento

Pelo vale das sombras

Alexandre Caprio - 07/11/2020 00:25

Alexandre, meu nome é R. H. V. e tenho 29 anos. Sou casada há seis anos, mas de uns três anos pra cá eu e meu marido ficamos bem distantes um do outro. Comecei a conversar bastante com um colega de trabalho, que também é casado, e me dava bastante atenção. Daí acabamos tendo um caso. A empresa onde trabalhamos está relacionada a materiais de construção e quase não parou de funcionar nessa pandemia. Isso facilitou muito as nossas ‘escapadinhas’. Resumindo, eu me apaixonei e já manifestei meu desejo de terminar meu casamento para ficar com ele. Só que ele fica desconversando e evitando falar sobre terminar com a mulher, mesmo já tendo me dito várias vezes que a relação estava morta. Estou ficando desesperada e pensando em mandar uma mensagem anônima para a infeliz contando sobre nós. É uma boa ideia ou tem algo melhor que eu possa fazer?

Eu fico perplexo com o talento que as pessoas têm para arrumar confusão. Só uma coisa me deixa mais impressionado: a criatividade e empenho em fazer essas confusões piorarem. A primeira coisa que me passou pela cabeça é a questão da responsabilidade em relação à pandemia. Um casal que estava na mesma situação que vocês me garantiu que estavam mantendo todos em casa seguros porque usavam máscaras enquanto transavam. “Tiramos só na hora do sexo oral” – bradou triunfante o rapaz. Fiquei olhando para a cara deles sem saber o que responder. Mas vamos ao foco da sua preocupação. Vou trazer de volta aqui alguns pontos que já trabalhei com outras leitoras. O principal é que traição não é a melhor forma de começar uma relação. E o motivo é muito simples. Como é que alguém vai estabelecer uma relação de confiança com você se, desde o começo, essa pessoa te vê mentindo e enganando outra? E vice-versa, concorda? Como você acha que vai conseguir confiar nele depois que estiver no lugar da mulher dele? Não existe justificativa que valide a quebra da palavra. Se existe violência na relação, tem que denunciar, ativar os mecanismos de proteção e cair fora. Enganar, nesse caso, é muito mais perigoso. Se há distanciamento, esfriamento, tem que sentar, conversar e tomar uma decisão. Se eu traio, estou mostrando para a pessoa com quem estou saindo que não tenho habilidade, maturidade ou lealdade para conduzir um relacionamento. Essa coisa de achar que amor reforma caráter, que ‘comigo vai ser diferente’, são apenas ‘lendas da paixão’, como dizia uma antiga amiga minha. O segundo ponto é bem mais simples. Pra que ele vai te assumir se ele já te submeteu à essa condição? Já disse aqui que essa história do homem se colocar como a sua alma gêmea machucada e perdida, que tomou a decisão errada na vida e só agora te encontrou é a conversa mais mole dos últimos tempos. O cara diz que o casamento já está morto, que já estão tramitando a separação, que estava vagando em lágrimas pela escuridão e você o fez ver de novo a luz do sol e o canto dos pintassilgos. Isso tudo com um único objetivo fixo: fazer você concordar em ser a outra. A partir do momento que ele passa a ter uma mulher dentro de casa cuidando de tudo e outra do lado de fora para namorar, por que ele abriria mão de metade das regalias, sem mais nem menos? Ninguém luta pelo que já tem. Por fim a sua carta anônima é uma péssima ideia, porque ele sabe que você quer o fim do relacionamento e você será a principal suspeita. Isso pode criar o rompimento entre eles, mas também muita confusão entre vocês, fora o barraco que pode dar. Mas, reconheço que existem pessoas que adoram barraco, até pedem para entrar numa briga quando estoura uma. Um colega meu dizia: “essa briga é particular ou qualquer um pode entrar?”.
Se, depois de uma análise minuciosa, você realmente concluir que seu casamento está morto, então termine seu relacionamento por respeito a ele e a você mesma. Andar pelo vale das sombras, tendo que atender seus desejos às escondidas é se privar de dignidade, de paz e de tranquilidade. Isso independe da decisão que ele vai tomar. E antes que você me diga que não tem coragem de terminar aqui se ele não terminar lá, por ter medo de ficar sozinha, bem... você já está sozinha. Só que não precisa continuar assim. Se trate com mais respeito, trate os outros com mais respeito e, com toda certeza, tudo ao seu redor mudará rapidamente. Quando você transmitir confiança e lealdade, poderá ter confiança e lealdade. Antes disso, jamais!

Envie suas dúvidas sobre relacionamento para o Psicólogo Cognitivo-comportamental Alexandre Caprio: [email protected]

Editorias:
Comportamento
Compartilhe: