IMG-LOGO
Home Comportamento

Significa! Pare pra pensar no conjunto da obra

Alexandre Caprio - 10/10/2020 00:25

Alexandre, estou escrevendo para a equipe da revista porque não aguento mais viver essa dúvida. Espero que possam me ajudar. Me chamo M. A., tenho 26 anos e estou casada há 4 anos. Antes disso eu e meu marido namoramos 3 anos (incluindo 1 de noivado). Sempre fui muito tímida, com poucos amigos e de uma família muito conservadora. Nunca tive outro namorado, ele é o único homem da minha vida. No começo do namoro eu achava ele muito respeitoso porque passamos meses apenas de mãos dadas e nos beijando de leve. Até que, já no noivado, comecei a criar coragem e tomar a iniciativa porque esse respeito todo já estava virando desrespeito. Daí passamos a ter relações cerca de 1 ou 2 vezes por mês. Hoje temos 1 por mês e quase sempre acontece por iniciativa minha. Isso é normal ou significa que ele possa estar me escondendo algo?

NOTA: Nós entramos em contato com M. A. para fazer algumas perguntas complementares para que a resposta pudesse ter uma amplitude e sustentação maior. Essas informações levantadas estarão descritas a seguir.

Olá, M.A. Obrigado por toda a atenção dada no contato que tivemos. Vamos fazer uma análise do quadro. Além do que você descreveu em seu primeiro e-mail, você me passou alguns outros detalhes que, isolados, poderiam ter várias outras justificativas mas que, juntos, podem criar um embasamento circunstancial que nos leve a uma possível teoria. Primeiro você me disse que sempre atraiu os olhares do homens, o que faz de você uma mulher considerada atraente para o sexo oposto. Você também deixou claro na nossa conversa que ele nunca se interessou em fazer sexo oral em você. Claro que isso pode ser uma questão de gosto mas, geralmente, as pessoas gostam de ter vários tipos de contato com o sexo que desejam em uma relação íntima. Quando perguntei sobre as posições sexuais, você disse algo interessante. Ele sempre faz do mesmo jeito, aquela clássica posição que relacionamos ao reino canino (desculpe, tenho que tomar cuidado com as palavras aqui na revista). É que nessa posição, todo mundo fica parecido. E os próximos detalhes complicam ainda mais a situação. Não sei que milagre você faz com seu pescoço para perceber que ele fica de olhos fechados em boa parte do tempo, mas isso não é um bom sinal. É que o homem se excita com a visão. Por isso que um catálogo de lingerie é mais do que suficiente para um adolescente fazer uma festa. Já as mulheres se excitam pelo contato, pelo toque. Por isso as meninas sempre dizem que homem tem que ‘ter pegada’. Se é a visão que estimula os homens, se você é atraente, se ele sempre te coloca na posição que oculta boa parte do seu corpo e ainda por cima fica de olhos fechados durante a relação... bem... temos fortes indicações de que ele está imaginando outra pessoa no seu lugar. As próximas duas dicas que você me passou não nos dão certeza, mas reforçam mais um pouco nossas suspeitas. Você disse que ele pede para você amarrar o cabelo. Então fica parecendo que você tem o cabelo curto, certo? E, por fim (nessa eu tenho que ser discreto de novo), mesmo sabendo que você não curte, ele sempre prefere o número 2, não é? Pois é, M.A, acontece que o número 2 todo mundo tem. Pare pra pensar no conjunto da obra. Muitas setas apontando para o mesmo lugar, não é? Pode ser tudo coincidência e cada um desses detalhes ter uma explicação independente? Até pode, mas falando só de você, fica meio difícil defender a tese de que ele sinta atração física, ainda mais com a informação final de que ele passa mais de meia hora debaixo do chuveiro todos os dias. Minha nossa, que homem nesse mundo leva meia hora pra se ensaboar? Sugiro que você procure uma terapeuta sexual para, juntos, lapidarem ou descobrirem essas diferenças. Com toda certeza ela fará um trabalho mais aprofundado e bem melhor do que essa análise simplista. Mas... se você tivesse mandado sua cartinha para um certo apresentador de TV que viralizou na internet há algum tempo atrás, ele resumiria tudo o que eu disse em apenas uma palavra: significa!

Envie suas dúvidas sobre relacionamento para o Psicólogo Cognitivo-comportamental Alexandre Caprio: [email protected]

Editorias:
Comportamento
Compartilhe: