IMG-LOGO
Home Comportamento

Consultório Sentimental: Tudo ou nada

Alexandre Caprio - 04/07/2020 00:23

Olá equipe da Revista Vida&Arte! Meu nome é J. V. R. e tenho 42 anos. Sou divorciada e tenho uma filha de 21. Ela está em um namoro há mais ou menos uns oito meses e temos muito contato. Ele tem 24 anos e sempre vem aqui em casa passar os finais de semana. Eu prefiro assim porque, pelo menos, sei que não estão fazendo coisas erradas na rua. O que acontece é que ele me olha muito e já rolaram até umas brincadeirinhas quando minha filha não estava olhando. Quando estamos na sala vendo TV ele está sempre olhando para minhas pernas ou meu decote. Também teve uma vez em que chegou a ter um beijo dentro do meu quarto enquanto minha filha estava no banho. Não sei o que fazer em relação a isso. Não queria que minha filha sofresse. Como devo agir em uma situação como essa?

Que bom que eles não estão fazendo coisas erradas na rua! Assim dá pra fazer coisas erradas dentro de casa. É difícil orientar corretamente uma pessoa quando não sabemos qual é a intenção dela. Mas levando em conta as palavras que você usou, existem grandes chances de você estar gostando dessa situação. Primeiro, porque você se refere às abordagens dele como ‘brincadeirinhas’ e não como assédio. Segundo, porque mesmo sabendo que ele tem tido esse comportamento, você vai para a sala ver TV usando decote. E, terceiro, porque existiu um beijo dentro do seu quarto e, a não ser que ele tenha forçado a situação e pego você à força, houve consentimento da sua parte. Mas suas intenções são hipóteses. O comportamento dele é fato. Então vou falar dele primeiro. Como já disse anteriormente para outras leitoras, quando uma pessoa trai ou está com intenção de trair, ela faz isso lúcida e planeja isso conscientemente. Então a traição não é um erro e, sim, uma escolha que está ligada ao conjunto de crenças e valores do indivíduo. Fica muito fácil pra mim romper com a minha palavra, enganando pessoas para atender aos meus interesses e depois dizer que errei e ser perdoado, concorda? Se esse rapaz está fazendo isso com sua filha agora, ainda no namoro, então ela terá ao lado dela uma pessoa desleal e infiel enquanto estiverem juntos. Ele não tem respeito por ela e o futuro dessa fórmula é ser enganada de diferentes maneiras ao longo da vida. Claro que ele poderia reformar a visão dele, mas raramente essas pessoas desenvolvem essa intenção. No máximo fingem que estão intencionados a mudar quando são pegas. Depois, quando voltam à zona de conforto, reproduzem o mesmo comportamento. Hoje é você que está na mira dele. Amanhã será a amiga, a colega de profissão ou uma desconhecida qualquer. Resumindo, esse não é um cara que serviria para sua filha e nem para você, o que resolve também o problema de você estar interessada nele. É o perfil que coloca a mulher ao lado para não atrapalhá-lo enquanto olha para a outra que está na frente. A solução não é fácil porque exige uma conversa transparente que pode trazer alguns sentimentos ruins. Uma das possíveis soluções seria você conversar com sua filha e pedir pra ela manter segredo e tirar as próprias conclusões prestando mais atenção no comportamento dele. Assim, quando ela percebesse os olhares dele, não seria mais só a sua palavra contra a do rapaz, situação perigosa em que a família quase sempre perde (embora não devesse ser assim). Claro que, a partir desse momento, o rapaz pode acusar você de estar interessada e até falar do tal beijo no quarto. Esse beijo vir à tona é um risco que você vai ter que correr. E se isso for motivo para você decidir manter o silêncio e deixar o barco correr, prepare-se para ver sua filha sofrer por muito tempo, enquanto você arrasta a culpa de ter tido a chance de ter evitado tudo... e não ter feito nada.

Envie suas dúvidas sobre relacionamento para o Psicólogo Cognitivo-comportamental Alexandre Caprio: [email protected]

Editorias:
Comportamento
Compartilhe: