IMG-LOGO
Home Casa

5 dicas para deixar o quarto mais relaxante e confortável

Núcleo Digital - 09/06/2021 17:14

Quando se fala em elementos que compõem um quarto relaxante, a fórmula para muitos parece ser simples: uma cama confortável e um bom travesseiro. Mas, a verdade é que construir um ambiente que ofereça as condições essenciais para um sono profundo e restaurador e com a atmosfera de um templo particular em casa requer atenção desde os pequenos detalhes.

“Para um dormitório gostoso e tranquilo, o ideal é que trabalhemos com cores que acalmam e tecidos que tragam essa ideia de bem-estar, aconchego e repouso. Nessa constituição, damos preferência para itens de decoração que não acrescentem tanta informação. Tudo precisa conspirar para que as energias diminuam, proporcionando menos estímulos para o cérebro responder”, explica a arquiteta Fernanda Mendonça, sócia da Oliva Arquitetura ao lado de Bianca Atalla.

São muitas cores, tecidos e combinações disponíveis para tornar seu cantinho relaxante e único. Pensando em tornar esta tarefa mais fácil, as especialistas dão algumas dicas e inspirações de ambientes executados por elas. Confira!









1. Cores

Além da seleção de tons claros e neutros, Fernanda explica que o verde e o azul também são empregados com frequência quando o objetivo é transmitir calma aos moradores. “O azul representa, além da serenidade, a confiança e segurança. Com isso, evocamos a quietude interior”, pontua. O verde, por sua vez, está associado à natureza e simboliza a saúde, vida e fartura.

Na lista de cores que devem ser evitadas nos projetos de dormitórios estão o laranja, marrom, vermelho e outros tons fortes e vibrantes. “Estas cores acabam sendo muito estimulantes. Por isso, não a recomendamos para o propósito do repouso”, continua Fernanda.

2. Plantas

As plantinhas têm ganhado cada vez mais espaço dentro de casa e no quarto não poderia ser diferente. Elas auxiliam na reconexão com a natureza e promovem uma atmosfera de vida renovada ao cômodo. Na hora da escolha, as especialistas do Oliva Arquitetura pontuam que as melhores espécies são aquelas que possuem maior capacidade de purificação do ar, deixando o dormitório mais úmido. “A espada-de-são-jorge, por exemplo, cumpre bem esta função e é super fácil de cuidar. Costumamos brincar dizendo que é uma espécie que não morre nunca”, explica Bianca.

Outros tipos recomendados pelas especialistas são o lírio da paz, filodendro e a lavanda, que possui propriedades relaxantes, perfuma o ambiente e ainda é capaz de auxiliar no tratamento de ansiedade, insônia e dores de cabeça.

3. Iluminação

Quando o assunto é iluminação, Fernanda esclarece que o caminho é trabalhar com luzes mais quentes e indiretas para criar um ambiente mais relaxante. “Claro que ela pode ser complementada por outros tipos, como a luminária de leitura ou o pendente ao lado da cama. Esta é uma ótima alternativa para aqueles que têm o hábito de ler antes de dormir e preza pela comodidade”, diz.

Além disso, a presença de luz natural é fundamental para a saúde do quarto e dos moradores. A luz do sol e a troca constante do ar, por meio de janelas abertas pelo menos uma vez ao dia, cooperam para evitar proliferação de fungos, bactérias e mofos.

4. Tecidos

Para os tecidos do enxoval, a principal recomendação é observar qual o tipo de clima em que a casa está localizada. Em áreas frias, tecidos mais grossos como a lã ou tricô são bem-vindos para aquecer e oferecer aquele clima quentinho – principalmente nos dias em que o sol não aparece.

Caso a procura seja por ambientes mais frescos, o linho e as fibras naturais são boas pedidas para elaborar um décor leve e sem aquela impressão que um outro elemento está pesando no dormitório. Tecidos sintéticos devem ser evitados sempre que possível, justamente por não serem agradáveis ao toque e deixarem a desejar no quesito conforto.

5. Tapetes

Quanto aos tapetes, Bianca detalha que eles se tornam essenciais dependendo do tipo de piso que o quarto possui. “Em ambientes revestidos com porcelanato, os tapetes são indispensáveis. No caso de pisos de madeira, laminados ou vinílicos, revestimentos com características que minimizam o frio, a escolha pode ficar a critério do morador” justifica a arquiteta.

Outro ponto a se considerar no momento da compra está ligado aos problemas alérgicos. “Se o morador tem rinite, mas não abre mão do conforto térmico e estético que o tapete pode proporcionar, uma boa alternativa é adquirir tapetes em sisal sintético”, finaliza Bianca.

Editorias:
Casa
Compartilhe: