Conheça a técnica de tecelagem manual, que forma peças personalizadas e estilosasConheça a técnica de tecelagem manual, que forma peças personalizadas e estilosas

ARTESANAL

Conheça a técnica de tecelagem manual, que forma peças personalizadas e estilosas

Saiba mais sobre a técnica de tecelagem manual, em que se trabalha com os dedos para cruzar e amarrar os fios, formando uma peça personalizada e estilosa


Rio-pretense cria os mais diversos acessórios para casa
Rio-pretense cria os mais diversos acessórios para casa - Fotos: Arquivo pessoal

O macramê invadiu as casas brasileiras. O tipo de tecelagem antiga está espalhada pelas paredes, geralmente fazendo companhia para gravuras e plantas. Aparecendo em cortinas, capa de almofadas, tapetes, painéis, molduras para espelhos, luminárias, suportes para plantinhas e cabeceiras de cama, a peça feita com técnica milenar de tecer fios com as mãos é uma boa opção para inovar no design e deixar o ambiente com muito estilo. Feitas com fios na cor natural ou coloridos, as peças mudam a cara da casa, num resultado bem mais alegre e jovial.

O macramê, que tem um toque de delicadeza e, ao mesmo tempo, modernidade, está sendo feito por algumas mãos cheias de habilidades em Rio Preto. A artesã Letícia Souza é uma das artistas talentosas que produzem as peças por aqui. A rio-pretense afirma que a técnica de tecelagem, que surgiu originalmente para criar franjas e barrados em lençóis e cortinas, é 100% manual e a base é feita por nós. "Hoje o macramê foi incorporado em muitos elementos, desde cestas de palha até capas para almofadas, além de muitos outros modelos diferentes para a decoração."

Letícia, que comanda a Macralê, conta que começou produzir as peças há cerca de três meses. "Sempre gostei de trabalhos manuais e estava insatisfeita com o meu trabalho tradicional. Então, o que me motivou a começar era fazer algo de que eu realmente gostava. Um dia vi que meu apartamento estava sem graça e pesquisei na internet meios para decorá-lo sem gastar muito. Foi aí que, assistindo alguns tutoriais, me apaixonei pela técnica. O macramê me faz relaxar, é algo que amo fazer e minhas peças transmitem esse amor e carinho para os clientes".

As franjas do macramê proporcionam balanço à decoração. Letícia, que cursou quatro anos de arquitetura, conta que usa materiais como fio de barbante, fio de malha, cabos e tábuas de madeira, galhos, argolas e pedras para fazer suas peças. Um hanger, que é o famoso suporte suspenso de plantas, dura cerca de duas horas para fazer. Já um painel, que é mais trabalhoso e maior, demora aproximadamente quatro horas para ficar pronto.

A técnica também funciona para itens do dia a dia, como toalhas de mesa e mantas para a cama. Letícia conta que ainda faz peças como painel de macramê com prateleira, cestas de palha com o macramê incorporado, chaveiros e potes de vidro decorados também. "Além de pecas de decoração, também faço bolsas, balanços e caminhas para gatos que ficam um charme." As peças de Letícia podem ser vistas no Instagram Macralê (@macrale.rp).

Manual e lindo

Quem também cria diferentes peças da técnica milenar de tecer fios é a rio-pretense Vanessa Paladini Cavazana, da empresa Magui Macramê. A artesã conta que sempre se identificou com os trabalhos manuais. Por hobby, ela sempre se arrisca a aprender diferentes técnicas, mas se identificou para valer com o macramê. A primeira vez que aprendeu alguns nós da técnica foi em 2006.

Onze anos depois, em 2017, ela voltou a produzir suportes pendentes para plantas com a técnica ancestral. "Na gravidez da minha segunda filha, em 2018, iniciei a confecção de uma cortina. Com isso, nasceu a vontade de aprimorar meus conhecimentos em relação ao macramê, para assim, poder confeccionar peças mais elaboradas. Até então, eu fazia apenas os suportes para plantas. E foi só agora em 2020, durante o isolamento social, que mergulhei fundo no universo do macramê."

O processo criativo é livre e intuitivo, que resulta em formas e jogos de cor variados e únicos. Para produzir as peças, Vanessa utiliza fios de fibras naturais, como barbantes, cordões de algodão e fios de malha. "Muitos desses materiais, que uso, são fios fabricados a partir de descartes da indústria têxtil."

A artesã conta que o tempo para a confecção das peças é bem variado. "Vale ressaltar que tem todo um estudo antes de fazer a peça em si, como a metragem dos fios que preciso cortar, o melhor fio para fazer tal objeto, que espessura de fio usar, a disposição das tramas na peça, o desenho que as tramas irão formar. Por exemplo: um suporte simples para planta, demoro em torno de 30/40 minutos e um painel de 80 centímetros de largura, demoro de seis a nove horas."

Vanessa conta que as peças que mais confecciona são os painéis decorativos de parede, em especial os que tem, como base para o trabalho, galhos naturais. "São muitas possibilidades, o que a imaginação permitir."

 

Arquivo pessoal

O macramê hoje é tendência na decoração, capaz de levar aos ambientes um clima boho. A artesã Letícia Souza afirma que uma peça, mesmo que seja pequena e com as cores certas, leva um charme para o ambiente. "Um painel é como se fosse um quadro, é uma obra de arte."

De suportes para plantas a cortinas, as peças nesse material dão um charme todo especial ao imóvel. A rio-pretense Vanessa Paladini Cavazana afirma que as peças de macramê trazem um ar de aconchego para o ambiente.

Para Vanessa, o macramê pode ser usado em qualquer ambiente. No quarto, pode ser um painel para cabeceira de cama; na cozinha, fica lindo como fruteira, sousplast e anéis para guardanapos; e no banheiro, a técnica pode ser um porta toalhas e porta papel higiênico. O trabalho de Vanessa pode ser conferido e encomendado no Instagram Magui Macrame (@maguiartee).

Além de Letícia e Vanessa, outra artesã talentosa em Rio Preto é a Rafa, do Ateliê Mil Nós (Instagram @ateliemilnos). Ela criou, recentemente, um painel de macramê para decorar um aniversário de casamento. Outra peça que merece destaque é um porta-copo para fazer uma mesa posta em casa.

 Conheça a técnica de tecelagem manual, que forma peças personalizadas e estilosasConheça a técnica de tecelagem manual, que forma peças personalizadas e estilosas

ARTESANAL

Conheça a técnica de tecelagem manual, que forma peças personalizadas e estilosas

Saiba mais sobre a técnica de tecelagem manual, em que se trabalha com os dedos para cruzar e amarrar os fios, formando uma peça personalizada e estilosa


Rio-pretense cria os mais diversos acessórios para casa
Rio-pretense cria os mais diversos acessórios para casa - Fotos: Arquivo pessoal

O macramê invadiu as casas brasileiras. O tipo de tecelagem antiga está espalhada pelas paredes, geralmente fazendo companhia para gravuras e plantas. Aparecendo em cortinas, capa de almofadas, tapetes, painéis, molduras para espelhos, luminárias, suportes para plantinhas e cabeceiras de cama, a peça feita com técnica milenar de tecer fios com as mãos é uma boa opção para inovar no design e deixar o ambiente com muito estilo. Feitas com fios na cor natural ou coloridos, as peças mudam a cara da casa, num resultado bem mais alegre e jovial.

O macramê, que tem um toque de delicadeza e, ao mesmo tempo, modernidade, está sendo feito por algumas mãos cheias de habilidades em Rio Preto. A artesã Letícia Souza é uma das artistas talentosas que produzem as peças por aqui. A rio-pretense afirma que a técnica de tecelagem, que surgiu originalmente para criar franjas e barrados em lençóis e cortinas, é 100% manual e a base é feita por nós. "Hoje o macramê foi incorporado em muitos elementos, desde cestas de palha até capas para almofadas, além de muitos outros modelos diferentes para a decoração."

Letícia, que comanda a Macralê, conta que começou produzir as peças há cerca de três meses. "Sempre gostei de trabalhos manuais e estava insatisfeita com o meu trabalho tradicional. Então, o que me motivou a começar era fazer algo de que eu realmente gostava. Um dia vi que meu apartamento estava sem graça e pesquisei na internet meios para decorá-lo sem gastar muito. Foi aí que, assistindo alguns tutoriais, me apaixonei pela técnica. O macramê me faz relaxar, é algo que amo fazer e minhas peças transmitem esse amor e carinho para os clientes".

As franjas do macramê proporcionam balanço à decoração. Letícia, que cursou quatro anos de arquitetura, conta que usa materiais como fio de barbante, fio de malha, cabos e tábuas de madeira, galhos, argolas e pedras para fazer suas peças. Um hanger, que é o famoso suporte suspenso de plantas, dura cerca de duas horas para fazer. Já um painel, que é mais trabalhoso e maior, demora aproximadamente quatro horas para ficar pronto.

A técnica também funciona para itens do dia a dia, como toalhas de mesa e mantas para a cama. Letícia conta que ainda faz peças como painel de macramê com prateleira, cestas de palha com o macramê incorporado, chaveiros e potes de vidro decorados também. "Além de pecas de decoração, também faço bolsas, balanços e caminhas para gatos que ficam um charme." As peças de Letícia podem ser vistas no Instagram Macralê (@macrale.rp).

Manual e lindo

Quem também cria diferentes peças da técnica milenar de tecer fios é a rio-pretense Vanessa Paladini Cavazana, da empresa Magui Macramê. A artesã conta que sempre se identificou com os trabalhos manuais. Por hobby, ela sempre se arrisca a aprender diferentes técnicas, mas se identificou para valer com o macramê. A primeira vez que aprendeu alguns nós da técnica foi em 2006.

Onze anos depois, em 2017, ela voltou a produzir suportes pendentes para plantas com a técnica ancestral. "Na gravidez da minha segunda filha, em 2018, iniciei a confecção de uma cortina. Com isso, nasceu a vontade de aprimorar meus conhecimentos em relação ao macramê, para assim, poder confeccionar peças mais elaboradas. Até então, eu fazia apenas os suportes para plantas. E foi só agora em 2020, durante o isolamento social, que mergulhei fundo no universo do macramê."

O processo criativo é livre e intuitivo, que resulta em formas e jogos de cor variados e únicos. Para produzir as peças, Vanessa utiliza fios de fibras naturais, como barbantes, cordões de algodão e fios de malha. "Muitos desses materiais, que uso, são fios fabricados a partir de descartes da indústria têxtil."

A artesã conta que o tempo para a confecção das peças é bem variado. "Vale ressaltar que tem todo um estudo antes de fazer a peça em si, como a metragem dos fios que preciso cortar, o melhor fio para fazer tal objeto, que espessura de fio usar, a disposição das tramas na peça, o desenho que as tramas irão formar. Por exemplo: um suporte simples para planta, demoro em torno de 30/40 minutos e um painel de 80 centímetros de largura, demoro de seis a nove horas."

Vanessa conta que as peças que mais confecciona são os painéis decorativos de parede, em especial os que tem, como base para o trabalho, galhos naturais. "São muitas possibilidades, o que a imaginação permitir."

 

Arquivo pessoal

O macramê hoje é tendência na decoração, capaz de levar aos ambientes um clima boho. A artesã Letícia Souza afirma que uma peça, mesmo que seja pequena e com as cores certas, leva um charme para o ambiente. "Um painel é como se fosse um quadro, é uma obra de arte."

De suportes para plantas a cortinas, as peças nesse material dão um charme todo especial ao imóvel. A rio-pretense Vanessa Paladini Cavazana afirma que as peças de macramê trazem um ar de aconchego para o ambiente.

Para Vanessa, o macramê pode ser usado em qualquer ambiente. No quarto, pode ser um painel para cabeceira de cama; na cozinha, fica lindo como fruteira, sousplast e anéis para guardanapos; e no banheiro, a técnica pode ser um porta toalhas e porta papel higiênico. O trabalho de Vanessa pode ser conferido e encomendado no Instagram Magui Macrame (@maguiartee).

Além de Letícia e Vanessa, outra artesã talentosa em Rio Preto é a Rafa, do Ateliê Mil Nós (Instagram @ateliemilnos). Ela criou, recentemente, um painel de macramê para decorar um aniversário de casamento. Outra peça que merece destaque é um porta-copo para fazer uma mesa posta em casa.