IMG-LOGO
Home Casa

Morar bem: tendências de arquitetura para 2020

Jessica Reis - 03/05/2020 15:27

O que você espera de um lar? Conforto, contato com a natureza, tecnologia, sustentabilidade? Todos esses itens são algumas das novidades apontadas pela WSGN, uma plataforma de previsão de tendências de diversas áreas como, moda e design de interiores, para este ano.

O arquiteto rio-pretense, Renato Mendonça, apresentador do programa "24 horas pra redecorar", do Discovery Home & Health, explica que como reflexo do momento que estamos vivendo haverá uma valorização do lar. As pessoas vão começar a entender do que gostam e o que as atende dentro de casa. "Os ambientes passarão a ser mais fluidos, integrados, mais livres, práticos e não unicamente belos. A tendência será a humanização daquilo que nos rodeia. Arrisco a dizer que as cores claras tomarão mais força, mas também o colorido será muito buscado, como uma forma de alegrar o espaço. O verde deixará de estar apenas do lado de fora. Esse é um momento importante de reflexão sobre o que está em nossa volta. Espero que os livros saiam das prateleiras e tomem as mãos dos seus donos e que a arquitetura seja vivida e não apenas admirada", diz.

Para a arquiteta Patrícia Penna, de São Paulo, 2020 é um ano atípico, diferente de tudo o que já vimos. "Assim, em função de tudo o que está acontecendo, principalmente com as pessoas mais isoladas dentro de casa, as tendências da volta a natureza, dos materiais naturais e do conforto ficarão mais fortes. As pessoas irão economizar mais dinheiro, pois não poderão sair e viajar, provavelmente irão investir mais em suas próprias casas para qualificar esses momentos. Para isso, esse retorno, que já vinha acontecendo, será cada vez mais valorizado."

Projeto sustentável

A sustentabilidade é uma das tendências que vem ganhando cada vez mais destaque em projetos arquitetônicos. Segundo o arquiteto Renato Mendonça, a sustentabilidade na arquitetura pode envolver diversas frentes, campos e escalas na construção civil. "Antes deve-se entender que a sustentabilidade pode (e deve) ser aplicada não apenas no momento final de uma construção, através do uso do recursos e tecnologias voltadas para essa preocupação e demanda, como uma lâmpada de led ou de um ar-condicionado com sistema inverter, por exemplo."

Mendonça explica que a arquitetura sustentável deve ser entendida como forma de concepção do projeto arquitetônico, buscando a otimização de recursos naturais e sistemas de edificação que, de tal modo, minimizem o impacto ambiental da construção sobre o meio ambiente.

Na prática, para ter um projeto sustentável, o arquiteto recomenda o uso de madeiras de reflorestamento, tijolos de barro e grandes aberturas. "A madeira poupa a vegetação nativa, evitando os desmatamentos, além da atividade de permitir recuperação de encostas, e melhora do ecossistema. Os tijolos de barro produzidos em olarias licenciadas, têm a capacidade de trazer conforto térmico quando usados como revestimentos. As grandes aberturas otimizam não só a circulação de ar, mas também a incidência de iluminação de ambientes. São bons (e simples) pontos de partida para se iniciar um projeto sustentável", ensina.

Conforto e redução do estresse

Quem é que não quer ter uma casa confortável com elementos que ajudem a reduzir o estresse? Essas também são tendências do morar. Os arquitetos Renato Andrade e Erika Mello, de São Paulo, explicam que uma prática comum para redução de estresse é se projetar numa situação bem mais favorável e tranquila. "As agressões externas serão sempre mitigadas se um porta-retratos te fizer lembrar de um momento muito feliz da sua vida; e se a tábua de carnes que você herdou da sua avó estiver na sua cozinha, pendurada, só decorando o espaço. Muito provavelmente parte do preparo do seu jantar vai ser pensando na macarronada maravilhosa dos domingos e no dia em que você falou a ela que estava diante da melhor cozinheira do mundo."

Para o arquiteto Renato Mendonça, hoje, o conforto é entendido pelo bem-estar, que não está relacionado a grandes luxos ou peças caras, mas sim, à identificação do homem com o espaço que o cerca e quão prático e útil esse ambiente é para si. "Infelizmente, o estresse é refletido diretamente nas atividades do dia a dia, nos relacionamentos vividos e no bem-estar. Considero que nós, arquitetos, temos certa responsabilidade social, uma vez que podemos transformar espaços, possibilitando uma nova forma de viver, de morar e de permitir o acolhimento. O ambiente confortável é aquele que cumpre as necessidades do morador, que remete às memórias, que traz a possibilidade de novas histórias. Costumo dizer que não mudamos vidas, mas permitimos uma nova atmosfera para que isso aconteça", afirma.

Integração com a natureza

A presença de plantas e o contato direto com a natureza tem o poder de proporcionar mais bem-estar aos moradores de uma casa. Renato Mendonça conta que a vegetação sempre está presente em seus projetos, seja em um jardim vertical, vasos, grandes canteiros ou uma pequena horta na cozinha. "Verde é vivo e faz da casa um bioma quase natural, onde pode-se entender o outro organismo, notá-lo, cuidá-lo, vivenciá-lo em sua forma mais pura. A planta dentro de casa precisa do homem, também possui suas necessidades e seus cuidados. A natureza também está nos revestimentos naturais, como a pedra bruta, o piso de madeira, o forro em trama de bambu, ou mesmo no algodão da roupa de cama e cortinas. Percebo que os materiais extremamente industrializados estão perdendo sua força para os materiais naturais, porém estão também se adaptando, mostrando seus benefícios, buscando características estéticas que se assemelha ao natural e que bom que é assim", afirma o arquiteto e apresentador.

Segundo Renato Andrade e Erika Mello, as pessoas estão buscando mais a natureza. "A Expo Revestir, por exemplo, pisou e repisou a forte tendência da indústria tentando se aproximar do consumidor e, sobretudo, das suas vontades. Se as pessoas estão precisando da natureza, voltando a ela, logo, os revestimentos e produtos também seguem a mesma rota. Para integrar a natureza ao projeto é bem importante respeitá-la e conhecê-la. O sol, o vento, a vista são elementos que devemos aproveitar ao máximo", afirmam os arquitetos.

Tecnologia na arquitetura

A tecnologia proporciona mais otimização nas tarefas diárias, seja na forma de equipamentos como eletrodomésticos de última geração ou com outros dispositivos como as assistentes virtuais. "A tendência de tecnologia está cada vez mais próxima da nossa realidade, exemplo que podemos citar é a cozinha, que é o coração da casa, onde a família se reúne e conta sobre o dia. Atualmente, já é possível incluir nos móveis sistemas que respondem a um simples toque ou a um controle para abrir e fechar, no lugar dos tradicionais puxadores de portas e gavetas", diz a designer de interiores Valéria Maia, de Rio Preto.

Segundo a arquiteta Patrícia Penna, de São Paulo, a tecnologia também está presente nos sistemas de automação residencial, na produção dos próprios materiais de revestimentos utilizados nas obras. "A tecnologia está presente desde a fabricação dos materiais envolvidos nas construções, como também nos sistemas que facilitam o dia a dia na casa, como o controle de luz, de ar-condicionado, dos sistemas de cortina", explica.

 

Editorias:
Casa
Compartilhe: