IMG-LOGO
Home Tratamentos

Nutrologia e a medicina de precisão

Núcleo Digital - 08/06/2020 00:00

A medicina de precisão trabalha com o princípio fundamental de que uma doença específica gera diferentes sintomas físicos em diferentes indivíduos, com base em sua estrutura genômica, estilo de vida e condições ambientais. Por exemplo, duas pessoas de etnia diferente podem não responder da mesma maneira a um tratamento medicamentoso.

O 'modelo médico' da medicina de precisão visa personalizar o tratamento com base nos três fatores reguladores mencionados acima, o que caracteriza a resposta de um indivíduo à doença. O uso de exames bioquímicos, e de uma visão mais holística, ajuda nesse processo ao diagnosticar a doença em nível molecular, isto é, na sua causa, e uma vez que esta causa é determinada, um medicamento personalizado pode ser prescrito ao paciente de forma mais precisa. Esse medicamento personalizado é o que faz toda a diferença no sentido da cura das doenças. Trabalhar com este modelo de precisão faz com que a nutrologia se destaque entre as diversas áreas da medicina, e ainda na busca de diminuir a distância entre trabalhos científicos publicados fora do Brasil, adequando à nossa realidade de tratamentos na clinica diária.

Vendo isso, como podemos introduzir a medicina de precisão? Bem, para esta resposta vou dar alguns exemplos de como fatores ambientais podem influenciar na nossa saúde.

INTOXICAÇÃO POR METAIS PESADOS: ALUMÍNIO, metal mais abundante no mundo, está presente em lugares que você menos imagina, como os desodorantes, e pode ser responsável por causar vários danos a nossa saúde, pois já foram descritos a sua ação no sistema nervoso central de forma neurotóxica, causando sintomas de ansiedade, angústia, transpiração excessiva, dificuldade de memorização e, neste caso, se tem uma relação íntima da intoxicação por alumínio com a doença de Alzheimer.

CHUMBO: também considerado neurotóxico e nefrotóxico, causa sintomas de nervosismo, irritabilidade, agressividade, enxaqueca com ou sem aura, vertigens, alteração na pressão arterial.

CÁDMIO: gerando casos de infertilidade.

BERÍLIO: carcinogênico, e ainda altera a resposta imunológica contra diversas doenças crônicas.

Já dando continuidade na forma de avaliar com precisão, vemos que muitos sintomas de doenças podem se confundir com intoxicações por metais pesados, mas para se ter um diagnóstico, temos na nutrologia a principal arma contra o erro, que são os exames bioquímicos, realizados em laboratórios convencionais, mas que utilizando desde testes genéticos ou dosagens hormonais diversas, podemos chegar a este objetivo de tratar qualquer doença de forma mais assertiva.

Exames como de serotonina, dopamina, adrenalina, que não se existia correlações na clinica, hoje são de extrema importância para se tratar doenças como a depressão, o pânico, a esquizofrenia, entre outros transtornos mentais. Já no fator etnia, temos que avaliar suscetibilidade de determinadas pessoas a terem desde uma anemia hereditária, como a talassemia nos descendentes de italianos ou falciforme em negros, ou mesmo a deficiência do Citocromo P450, que acontecem principalmente em japoneses, demonstrando aí a necessidade cada vez mais de procurar uma medicação específica para cada paciente, individualizando cada tratamento.

AQUI VOCÊ É ÚNICO!

 

Por Júlio Palazzo de Melo

Médico Nutrólogo - CRM PR 16.401 | CRM SP 83.054

Editorias:
Tratamentos
Compartilhe: