Vinícolas da Campanha Gaúcha

BRASIL

Vinícolas da Campanha Gaúcha

Conheça a região, localizada no sul do Brasil, onde é possível degustar vinhos deliciosos apreciando natureza


Os visitantes que participam do tour podem conhecer os vinhedos e a produção local
Os visitantes que participam do tour podem conhecer os vinhedos e a produção local - Freepik/Divulgação

A Campanha Gaúcha, região que tenta se consolidar como o futuro do vinho brasileiro, terá um importante papel na retomada do turismo brasileiro após a pandemia do coronavírus. O território de clima temperado, localizado extremo sul do Brasil, próximo às fronteiras do Rio Grande do Sul com o Uruguai e a Argentina, deverá atrair em breve os turistas apaixonados e curiosos por saborear o vinho local. A bebida produzida da região foi reconhecida com identificação geográfica pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi).

O reconhecimento, que atribui indicação de procedência para vinhos finos brancos, rosados, tintos e espumantes, atesta selo de autenticidade à produção de 18 diferentes vinícolas que atuam em 14 cidades das regiões da Serra do Sudeste, Missões e Depressão Centrada. A partir de agora, todos os produtores de vinhos que estiverem dentro da região demarcada e seguirem as normas contidas no regulamento de uso - denominado Caderno de Especificações Técnicas - poderão utilizar a indicação geográfica em seus produtos.

O volume de vinho produzido ainda nos pampas é baixo. As vinícolas, em sua maioria, são de pequeno porte, tem administração familiar e prezam pela qualidade do produto oferecido. Com infraestruturas próprias, elas recebem turistas regularmente para degustar um vinho tinto da uva Cabernet Sauvignon ou Tannat e o vinho branco e os espumantes da uva Chardonnay.

Explore o sul do Brasil

Respeitando algumas restrições de funcionamento para evitar a propagação do novo coronavírus, algumas cidades da Campanha Gaúcha estão tomando iniciativas para receber visitantes. O objetivo é frear a crise que a Covid-19 causou ao setor do turismo. Para isso, hotéis estão sendo reabertos, assim como os restaurantes, e algumas das atrações turísticas começam a funcionar com as atividades reduzidas ao público. O uso obrigatório de máscaras de proteção facial é uma das exigências.

Além disso, nas últimas duas décadas, a região vem recebendo investimentos maciços em vitivinicultura. O objetivo é receber casa vez mais os turistas interessados em apreciar vinhos e conhecer a cultura. Sua localização, considerada uma das melhores regiões do planeta para o cultivo da videira - e o auxílio técnico da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), aliados ao perfil empreendedor dos produtores, permitem transformar a Campanha em um polo de vinhos de alta qualidade.

Conheça algumas vinícolas

A vinícola Campos de Cima, em Itaqui, é um dos locais que merecem um visita. Localizada em uma propriedade familiar com mais de 150 anos, situada na fronteira com a Argentina e Brasil, o local tem 15 hectares de vinhedos e é comandado por Hortência Ayub e suas filhas Vanessa e Manuela. A marca conta com vinhos de sobremesa, pouco comum no Brasil. Envelhecidos por seis anos em barrica de carvalho, estes vinhos são ideais para harmonizar com uma boa sobremesa ou para servir ao final de refeições. Informações: www.camposdecima.com.br.

Fundada em 1790, a Estância Paraizo é de propriedade da família Mercio, vinda de Portugal, da Ilha de São Jorge. Seu vinhedo, em Bagé, conta com três hectares da Varietal Cabernet Sauvignon, importadas da Itália, e dois hectares da Varietal Shiraz, importadas da África do Sul, sendo este o primeiro vinhedo da Varietal no Brasil, registrado no Ministério da Agricultura. Para manter a qualidade da uva e do vinho, seus vinhedos em espaldeira visam uma produtividade de no máximo sete toneladas por hectare. Informações: www.estanciaparaizo.com.

A vinícola Cordilheira de Sant'Ana, em Santana do Livramento, se diferencia na região por ter a enóloga Rosana Wagner responsável pela elaboração dos vinhos. A visitação não tem custo e inclui, por exemplo, uma vista panorâmica dos vinhedos, história da vinícola e seus vinhos, variedades produzidas, colheita e processo de elaboração. A vinícola também oferece degustação dirigida de três produtos distintos por um valor justo. O Reserva dos Pampas Branco, por exemplo, é resultante de um corte de Sauvignon Blanc (67%), Chardonnay (23%) e Gewurztraminer (10%). Informações: www.cordilheiradesantana.com.br.

Localizada em Candiota, a vinícola Batalha Vinhas & Vinhos, com 29 hectares, é liderada por um grupo de jovens idealistas e de espírito empreendedor. O resultado econômico, para eles, é uma consequência. A pretensão é produzir algo em escala limitada que possa surpreender os consumidores. A vinícola está localizada nas terras onde ocorreu a Batalha do Seival. Informações: vinhosbatalha.com.br.