Antes de voltar a viajar

DICAS

Antes de voltar a viajar

Especialistas dão dicas de como planejar uma viagem com segurança e curtir com tranquilidade os dias de folga


Viajar durante a pandemia é algo viável, porém, é preciso redobrar os cuidados que 
já se tinha
Viajar durante a pandemia é algo viável, porém, é preciso redobrar os cuidados que já se tinha - Pixabay/Divulgação

Desde março, quando teve início a pandemia do coronavírus, um dos setores mais abalados foi o de turismo. Junto com as companhias aéreas, a rede hoteleira foi a primeira a sentir o impacto das medidas de isolamento social para conter a transmissão da Covid-19. Tudo isto porque, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), aglomerações e lugares fechados são duas condições que contribuem para a rápida disseminação da doença.

Cerca de seis meses depois dos primeiros casos em Rio Preto e região, as pessoas estão voltando aos poucos à rotina. Com o afrouxamento das regras de isolamento social, a procura por viagens de avião aumentou. O setor do turismo também se adequou a nova realidade e está adotando protocolos de segurança para receber os clientes e evitar novas infecções e controle da epidemia. Neste cenário, o que é preciso saber antes de voltar a voar com segurança e tirar dias de tranquilidade?

O infectologista Renato Satovschi Grinbaum, consultor da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia), afirma que viajar de avião saindo do Brasil ainda é indicado apenas em situações essenciais. "Qualquer viagem, seja de avião ou de ônibus, em que exista proximidade e aglomeração de pessoas, hoje, ainda é considerada uma situação de risco, mesmo com a epidemia perdendo a sua força. Assim, as pessoas devem viajar semente quando estritamente necessário."

Se a pessoa precisar mesmo viajar de avião, Grinbaum afirma que é preciso seguir algumas medidas de prevenção. "A pessoa deve usar a máscara durante todo o voo e deve evitar proximidade. Quanto mais espaço entre as pessoas é melhor, tanto na área de espera de embarque, quanto dentro do voo. É preciso higienizar às mãos sempre. O banheiro do aeroporto ou avião é um ponto crítico, onde é preciso tomar muito cuidado com contaminação."

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) afirma, por meio de um guia, que existe segurança nos aviões. "As aeronaves da frota brasileira contam com um sistema de filtragem que renova o ar a cada três minutos e captura cerca de 99% das partículas no ar. O embarque e o desembarque são as etapas da viagem aérea que merecem atenção. Após o pouso, o passageiro deve permanecer sentado até que seja autorizado a se levantar e deixar a aeronave seguindo a orientação da tripulação."

A recomendação da Anac é a suspensão do serviço de bordo nos voos nacionais. No caso de manutenção desse serviço, é indicado priorizar alimentos e bebidas em embalagens individuais, higienizadas antes do serviço. Outra recomendação é o distanciamento dos passageiros quando for possível. No entanto, as companhias têm autonomia para deixar ou não livres os assentos.

As companhias, no entanto, tentam recuperar a crise com promoções. As três grandes companhias nacionais, Gol, Latam e Azul, têm ofertado passagens com valores 32% menores comparado ao mesmo período de 2019. Os economistas afirmam que é de se esperar que, em um primeiro momento, os preços dos voos caiam, para que as companhias entendam como o mercado está respondendo e também reconquistar a confiança dos viajantes.

O consultor financeiro e professor Moisés Dias afirma que o momento é bom para aproveitar os descontos e inclusive negociar mais descontos. "A tendência é que as vendas aqueçam e os descontos diminuem", afirma. Além disso, várias agências estão vendendo pacotes de viagens para serem usados até o ano que vem, com vários descontos. Neste cenário, vale comprar para garantir a promoção. "Considerando o cenário sanitário atual, visto que a possibilidade de vacina para o próximo ano, está num bom momento para o consumidor adquirir bons pacotes de viagens."

Dias afirma ainda que agora é o momento propício para aquela compra de oportunidade, sempre com muita atenção nas regras dos bilhetes. "Se sair a vacina, na minha visão, teremos uma grande demanda que estava reprimida. Hoje, as agências de turismo conseguem vender até agosto de 2021. A minha observação é atenção às regras dos bilhetes". O indicado ainda é contratar um seguro viagem que dará um pouco de tranquilidade e pode ser usado tanto no Brasil como no exterior.

Cuidados

Ainda não será possível viajar para todos os lugares. Algumas fronteiras ainda estão fechadas e restritas aos brasileiros. Uma dica dos guias turísticos é viajar para dentro do Brasil, que estão com pacotes com custos reduzidos e estão criando alternativas para recuperar os visitantes. Quem quer evitar a viagem de avião, pode escolher o carro como meio de transporte, que acaba sendo a alternativa mais viável e segura. Ao parar em postos de combustíveis na estrada e também durante a estadia, é preciso lavar as mãos com frequência, passar álcool gel nas mãos e usar máscaras.

Arquivo pessoal/Divulgação

O estudante Matheus Fellipe Pereira dos Santos, de 27 anos, de Ipiguá, viajou de avião no dia 14 de agosto. Ele saiu do aeroporto de Guarulhos e desembarcou no VIX de Vitória, no Espírito Santo, onde estuda música. A experiência, segundo ele, foi tensa. "No trajeto saindo da área de espera, indo em direção ao avião tinha um rapaz passando álcool nas mãos dos passageiros, mas não tivemos orientações sobre protocolos de segurança. O avião estava com todos os assentos ocupados, não tinha distanciamento na aeronave. Estávamos todos muito próximos, portanto não havia motivos para orientações. O piloto explicou que havia um sistema de filtragem do ar devido a pandemia e que, na hora de sair, a aeromoça iria coordenar uma fileira por vez. O desembarque foi feito somente pela porta da frente, nos expondo mais ainda."

Preocupado, Santos faz um desabafo. "Não sabia se a pessoa ao meu lado estava infectada ou alguém do avião. Não sabia se estavam levando a sério as recomendações fora do aeroporto e da aeronave." Ele conta ainda que o serviço de bordo estava suspenso. Após chegar no Estado, por segurança, ele permaneceu em isolamento por 14 dias.