País de memórias antigas

Oriente Médio

País de memórias antigas

Com muitos anos de história, conheça alguns cenários impressionantes do Líbano, país que é banhado pelas águas azuis do Mediterrâneo


Wissam Saidah com a esposa Andreia e os filhos Rassen e Tárik durante uma das viagens
Wissam Saidah com a esposa Andreia e os filhos Rassen e Tárik durante uma das viagens - Fotos: Arquivo pessoal

Muitos países ainda têm restrição à entrada de turistas como uma forma de proteger seus moradores da contaminação externa da Covid-19. No entanto, alguns destinos internacionais já aceitam a entrada de brasileiros. Um deles é o Líbano, que tem muitos descendentes em Rio Preto. País do oeste asiático situado no extremo leste do mar Mediterrâneo, limitado ao norte e a leste pela Síria, ao sul por Israel, o lugar merece uma visita em breve, quando o turista se sentir seguro para viajar com tranquilidade.

A capital Beirute, que é uma cidade em que a modernidade parece ter feito a diferença e tem se reinventado, é apaixonante, segundo o empresário Wissam Saidah, de 42 anos. O rio-pretense, que já visitou o Líbano oito vezes, sendo duas vezes como guia de um grupo de turistas, tem tios e primos por lá e não vê a chance de voltar com a família para passear pela região, que é bastante aberta para culturas diversas e está em um processo de reconstrução, depois de ter vivido uma guerra civil por anos.

Saidah conta que o Líbano é um dos países mais surpreendentes do mundo, principalmente para os brasileiros. O primeiro motivo é porque o turista brasileiro é muito bem recebido no país. Já o segundo motivo é porque o país tem lugares únicos a serem visitados e explorados, como a culinária, cultura e história. "Até o vinho fabricado no Líbano é muito apreciado pelos brasileiros."

Para o empresário rio-pretense, o turista de Rio Preto e região deve conhecer cidades como Beirute, que abriga a Place d'Etoile, a Torre do Relógio, que está localizada no Centro da cidade e é cercada por calçadões com diversas ruas charmosas com lojas de grifes, cafés e restaurantes. Por lá, o turista ainda pode visitar a Universidade Americana, o Museu Nacional de Beirute e a Pigeon Rocks, formação rochosa com vista privilegiada para o Mediterrâneo.

O árabe é o idioma oficial do Líbano. No entanto, muitos moradores do país falam francês e inglês. Segundo Wissam Saidah, muitos guias turísticos também falam inglês. Já o português, quase não falam. Por isso, muitos grupos levam guias brasileiros. No país, o rio-pretense afirma que todo turista deve experimentar o quibe cru, que não é nada parecido com o que comemos no Brasil. "No centro histórico de Beirute, eu indico que os visitantes comam, além do quibe, uma carne de churrasco com homus. É um prato com sabor inesquecível."

 

Beirute – Noite movimentada, restaurantes, museus e Pigeon Rocks (formação rochosa)

Balbeque - Único lugar no mundo, fora a Itália, que tem ruínas romanas de ainda de pé

Becharre - Cidade do famoso poeta Khalil Gibran que abriga a Montanha do Cedro do Líbano

Harissa – Local abriga um teleférico que leva o turista até a estátua da Nossa Senhora do Líbano

Gruta de Jeita - Uma das maiores grutas do mundo. Foi finalista no concurso das Novas Sete Maravilhas do Mundo

Biblos - Porto mais antigo do mundo. O lugar conta com muita história e beleza

Zahle – Uma das cidades mais bonitas do Líbano, ela abriga excelentes restaurantes e a vinícola de Ksara

Beiteddine (Btaddine) – Cidade abriga o Palácio de Beiteddine com seus tetos decorados, mosaicos de mármore colorido

Tripoli - Segunda maior cidade do Líbano, localizada bem ao norte, é famosa por suas doceiras, como a Hallab, fundada em 1881

Sidon (Sayda) - Uma de suas principais cidades do país, ela abriga o Castelo do Mar, que foi erguido por Cruzados no século 13