Um pulo na Sicília

ITÁLIA

Um pulo na Sicília

Fotos do votuporanguense Lucas Gatto revelam a mais famosa ilha italiana, que é cheia de diferentes belezas naturais e históricas


Noto, Patrimônio da Humanidade Unesco na Sicília, é a mais importante cidade barroca
Noto, Patrimônio da Humanidade Unesco na Sicília, é a mais importante cidade barroca - Lucas Gatto/Divulgação

O que acha de conhecer a maior ilha do Mediterrâneo após o fim da pandemia de coronavírus? A dica é do fotógrafo votuporanguense Lucas Gatto que mora a um ano na a Sicília. Além de linda e cheia de atrações turísticas, a ilha conta com muita história, gastronomia, natureza e calor humano. Localizada no sul da Itália, a ilha tem ainda belas praias, ruínas, montanhas e o maior vulcão ativo da Europa: o Etna. O resultado é autenticidade e tesouros artísticos, sem multidões de turistas.

Lucas Gatto afirma que a Sicília tem belas arquiteturas com fascinantes paisagens naturais que fazem da ilha um dos pontos mais cobiçados pelos turistas que vão ao país europeu. "A ilha é um pequeno universo dentro da Itália. A arquitetura barroca, as paisagens absurdamente lindas e o bom humor dos sicilianos (eles são tão amigáveis como nós, brasileiros) são alguns destaques do lugar. Eles mesmos, antes de italianos, são sicilianos e se dizem assim. A ilha tem o próprio dialeto siciliano, que é praticamente outra língua."

A Sicília é também admirada pelos viajantes por sua cultura gastronômica. Lucas Gatto afirma que o carinho que eles tem pela culinária é algo diferenciado. "Tudo é feito a mão, sem conservantes. Tudo é simples, mas feito com um carinho e bom gosto." A Sicília também conta com guloseimas típicas e imperdíveis. O fotógrafo afirma que o turista não pode deixar de experimentar o sorvete da ilha. "É um lugar bem inesquecível, apesar dos trânsito caótico. Rio Preto na hora do rush é calmo perto daqui. Mas é difícil morar aqui e não se apaixonar por essa ilha".

A Itália, que foi um dos primeiros da Europa a ser atingido pela pandemia, já vive um momento de maior otimismo. O governo da Sicília, em especial, está fazendo campanha para colocar a ilha no centro das atenções dos turistas italianos e estrangeiros após o fim da pandemia de coronavírus, recuperando a economia local. Estima-se que Sicília perdeu mais de um bilhão de euros devido à paralisação da indústria do turismo. Por tudo isto, Gatto convida que os leitores da Bem-Estar pegue o protetor solar, água, câmera fotográfica e aprecie os pontos turísticos da ilha.