Diversidade do cerrado

TURISMO/BRASIL

Diversidade do cerrado

Pousada localizada entre a Bahia, Minas Gerais e Goiás é eleita uma das melhores do mundo pela revista norte-americana Town & Country


Área da piscina da pousada
Área da piscina da pousada - Fotos: Divulgação

O conforto, a beleza e o design brasileiro da Pousada Trijunção, no encontro entre os Estados da Bahia, Minas Gerais e Goiás, foram reconhecidos pela importante revista norte-americana Town & Country. A publicação de viagens e life style elegeu a hospedaria de luxo, localizada em uma área de 33 mil hectares de Cerrado, como um dos 65 melhores hotéis do mundo. A pousada foi a única selecionada no Brasil. A lista incluiu hotéis em Mônaco, Suíça e Riviera Francesa.

Inaugurada em novembro de 2018, a pousada, que é um santuário de bem-estar, oferece três opções de suíte para os hóspedes. A master, por exemplo, possui uma sala de estar e duas varandas - com entradas para a sala e para o quarto, que tem um banheiro amplo com ofurô. O ambiente é super espaçoso e tem cama king size, decoração com artesanato local e fotos típicas do Cerrado, lençóis de algodão 600 fios, toalhas e roupões da marca Trousseau. A diária para casal custa cerca de R$ 3,450 mil no final de semana.

O restaurante, com menu regional, busca valorizar os ingredientes dos três estados que o hotel compartilha - uma combinação única de comida mineira, goiana e baiana. Ali brilham itens da gastronomia típica do Cerrado, com frutas, castanhas e sementes. A gastronomia também é inspirada em obras literárias do cerrado, como as obras de Guimarães Rosa, que descrevia a "cozinha de fora", com refeições nas varandas e ambientes externos, e a "cozinha de dentro", quando viajantes eram convidados para sentar à mesa.

Entre as experiências em meio à imensidão do Cerrado, o segundo maior bioma da América do Sul, estão eco-safari noturno, passeio de caiaque até a nascente do rio Formoso, passeios guiados de bicicleta e até visita ao Parque Sertão Veredas. Segundo a diretoria do hotel, caminhar pelo parque, região que inspirou Guimarães Rosa e presenteou a literatura brasileira com um dos mais belos romances, é se reconectar com a simplicidade exuberante da natureza. Por lá ainda é possível fazer observação de aves, passatempo que consiste em buscar e identificar diferentes espécies de aves em seus habitats naturais.

A hospedaria ainda orgulha-se de sua veia sustentável. O empreendimento apoia a redescoberta do Cerrado, habitat da onça-pintada, jaguatirica, tamanduá-bandeira, lobo-guará e águia-cinzenta, e estimula a sua conservação. A propriedade possui um criadouro de animais silvestres com fins conservacionistas. Uma equipe desenvolve estudos sobre a biologia e reprodução de antas, veados-catingueiro, emas, catetos, queixadas e jabutis, os deixando aptos e prontos para futura reintrodução na natureza.

A pousada Trijunção possui painéis solares para aquecimento de água e iluminação com baixo consumo de energia através do uso de LEDs. A madeira do piso de todas as varandas e suítes é fruto de demolição e o próprio artesanato exposto é, em grande parte, trabalhado por artesãos da região, a partir de materiais coletados de forma sustentável no Cerrado, como cascas e galhos de árvores mortas e folhas e frutos caídos. A vegetação introduzida no local diminui a temperatura ambiente do conjunto, reduz a necessidade do uso de ar condicionado e atrai aves silvestres para os arredores da Pousada.

O hotel acaba de voltar à ativa após dias de portas fechadas em razão da pandemia do coronavírus. Para receber os hóspedes, o hotel adotou um rigoroso protocolo de sanitização e higienização de todos os espaços, seguindo as determinações dos órgãos sanitários. Informações: www.pousadatrijuncao.com.br e (38) 3647-1413.