Oitavo país mais pacífico do mundo

EUROPA

Oitavo país mais pacífico do mundo

Conheça a República Tcheca, país que vai muito além de história, cultura e cerveja


Vista do Castelo de Praga, construído no século IX, que é um dos mais importantes  monumentos da República Tcheca
Vista do Castelo de Praga, construído no século IX, que é um dos mais importantes monumentos da República Tcheca - Fotos: Pixabay/Divulgação

A República Tcheca, país que impôs confinamento obrigatório logo no início da pandemia do coronavírus, está abrindo gradualmente as fronteiras para turistas na expectativa de recuperar parte dos imensos prejuízos econômicos causados pela Covid-19. O monumental e poético país, que faz tremer os joelhos de quem o visita pela primeira vez, conseguiu estabilizar a doença com o isolamento social e, agora, deverá receber nos próximos meses os turistas em busca de tranquilidade.

O país, elegantemente sombrio, foi classificado entre os 10 países mais pacíficos do mundo na 14ª edição do Índice Global da Paz (IGP), publicado pelo Instituto de Economia e Paz (IEP), um centro internacional de estudos sobre desenvolvimento humano. Na avaliação deste ano, o país saltou duas posições em relação ao ano passado. A terra, que nasceu da divisão da antiga Tchecoslováquia, em 1993, ficou em oitavo lugar. A Islândia está mais uma vez no topo do ranking, seguida pela Nova Zelândia, Portugal, Áustria, Dinamarca, Canadá e Cingapura. O Japão e Suíça também entraram na lista.

A avaliação mostra que a Europa continua sendo a região mais pacífica, tendo 13 dos 20 países mais estáveis do mundo. As dez primeiras posições são de países europeus e desenvolvidos. A República Tcheca obteve boa pontuação na área de "Domínio de Segurança Social". Os países são classificados de acordo com 23 indicadores diferentes, incluindo taxas de criminalidade, disponibilidade de armas, tamanho e armamento militar, contribuições para missões de manutenção da paz da ONU, relações com países vizinhos, manifestações de manutenção da paz, pressão política sobre os cidadãos e participação em conflitos estrangeiros.

No estudo deste ano, o Índice Global de Paz 2020 revelou que os conflitos e crises começaram a diminuir no mundo e foram substituídos por uma nova onda de tensão e incerteza resultante da Covid-19. O GPI cobre 99,7% da população do mundo e é a principal medida mundial de paz global, apresentando os dados mais abrangentes, análises atualizadas sobre as tendências da paz, e como desenvolver sociedades pacíficas.

O país possui belas e encantadoras cidades como Praga e Cesky Krumlov e é a terra das cervejas tipo pilsen e budweis. Os tchecos, hoje, são os maiores consumidores da bebida no mundo. Considerada a diva da República Tcheca, Praga é uma das dez cidades mais visitadas da Europa. A capital do país também entrou no roteiro obrigatório dos brasileiros no circuito Roma, Londres e Paris. Com construções seculares e arquitetura preservada, a cidade fascina pelas riquezas históricas e culturais.

Berço de nomes como o escritor Franz Kafka e o compositor Antonín Dvoák, o país é um dos destinos mais baratos da Europa. Além de Praga, as cidades Karlovy Vary, Plze (Pilsen) e Ceský Krumlov merecem ser visitadas por preservarem seus monumentos impecáveis. As ruas ainda impressionam pela limpeza e os jardins são cuidados com precisão matemática. Karlovy Vary, em especial, é conhecida pela elegância de suas avenidas e parques e o requinte dos seus restaurantes e lojas.

Píbor é a cidade natal de Sigmund Freud. Uma cidade pitoresca no sopé das montanhas Beskydy. Orgulhosa de seu famoso cidadão, a praça central recebeu seu nome. Além de visitar o centro e apreciar a arquitetura local, você não pode deixar de apreciar o local de nascimento de Freud, convertido no museu que leva remete ao ambiente em que ele cresceu. Está aberto durante todo o ano, não expõe os fatos conhecidos da vida de Freud, mas apresenta o famoso fundador da psicanálise através de suas ideias. Assim que você colocar os fones de ouvido fornecidos pelo museu e ouvirá a voz fictícia de Freud relembrando os principais momentos de sua carreira, oferecendo um olhar sobre seus métodos científicos. A exposição é acompanhada de caricaturas do conhecido cartunista e ilustrador tcheco Vladimír Jiránek, que mostra Freud de uma maneira incomum, como amante do humor.