Fuja das varizes

Saúde

Fuja das varizes

70% dos idosos têm insuficiência venosa. A boa notícia é que dá para prevenir


Alguns cuidados evitam surgimento de varizes, condição mais comum entre idosos
Alguns cuidados evitam surgimento de varizes, condição mais comum entre idosos - Pexels/Banco de imagens

Embora a genética, o sexo e a idade sejam três fatores dominantes para o aparecimento das tão temidas varizes, é possível, por meio da mudança de comportamentos, prevenir o aparecimento das veias dilatadas ou evitar as complicações associadas. "Varizes são veias dilatadas e tortuosas que não conseguem realizar a sua função que é garantir que o sangue flua em direção ao coração", explica o angiologista Ary Elwing, especialista em cirurgia vascular periférica e tratamento a laser.

Dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular mostram que 38% dos adultos convivem com varizes. Entre as mulheres, o índice é ainda maior: 45%. Já nas pessoas com mais de 70 anos, 70% têm algum grau conhecido por insuficiência venosa crônica.

"Quando melhoramos a circulação sanguínea, evitamos a piora do quadro. As varizes do sistema venoso superficial podem doer, arder, dar sensação de peso às pernas e tornozelos, coçar, incomodar esteticamente e, dependendo do grau, levar a úlceras varicosas. Isso pode ser evitado", ressalta a cirurgiã vascular e angiologista Aline Lamaita.

 

Insira fibras na dieta: O bom funcionamento do intestino é um aliado na medida em que o aumento da pressão sobre as veias do abdômen, por conta da prisão de ventre e inchaço, pode comprometer a circulação das veias das pernas. Acrescente ao cardápio frutas como mamão, legumes, verduras e sementes. Os prebióticos e probióticos podem ajudar;

Controle o peso: Pessoas obesas têm maior disposição de desenvolver varizes por causa da quantidade de volume sanguíneo dentro das veias que se eleva. Além disso, a gordura acumulada dentro dos vasos sanguíneos também acarreta em uma má circulação. Além das varizes, outra complicação que pode surgir entre obesos é a trombose em decorrência do mau bombeamento do sangue para o corpo inteiro, gerando doenças ligadas ao sistema vascular. A obesidade e o sobrepeso aumentam a pressão exercida sobre os vasos e também favorece inflamações;

Mantenha-se hidratado: Água, sucos e chás são recomendados para melhorar a circulação do sangue. Quanto menor a ingestão de água, maior a viscosidade do sangue. O consumo adequado de água garante que o organismo seja irrigado e bem nutrido de sangue;

 Movimento e descanso: A cada oito horas sentado, é preciso praticar uma hora de atividade física para resistir aos efeitos negativos desse sedentarismo. Para pessoas com propensão a problemas vasculares, o ideal é também introduzir alguns hábitos para ativar a circulação, como fazer exercícios movimentando os pés a cada hora de trabalho sentado; levantar a cada hora e andar para movimentar um pouco as pernas. No caso de quem trabalha em pé e fica nessa mesma posição por longos períodos, o ideal é fazer pausas para se sentar e levantar os pés;

Use meia elástica: Meias de compressão, desde que orientadas por um médico, ajudam a melhorar o retorno venoso e são indicadas para quem tem varizes, já teve trombose, gestantes e em casos específicos;

Exercite seu corpo: A panturrilha é o coração das pernas. A cada contração muscular o sangue é bombeado e a circulação é ativada. Se essa musculatura fica parada muito tempo pode haver retenção de líquido nas pernas, levando a inchaço, pernas pesadas, cansadas e aumentando a predisposição de desenvolver varizes e trombose venosa;

Evite roupas apertadas: Calças ou cintas apertadas demais comprimem a barriga e podem prejudicar a drenagem das pernas. O ideal é só evitar aquelas que causam incômodo na hora de sentar;

Tome cuidado com os anticoncepcionais: O hormônio dos anticoncepcionais altera a circulação e aumenta o risco de formação de coágulos nas veias profundas, dentro dos músculos. "Consulte sempre seu médico de confiança e discuta sobre seu anticoncepcional. Toda medicação está sujeita a complicações e a decisão se o risco/benefício vale a pena é feito entre você e o seu médico;

Fuja do sol em excesso: Sol, sauna e banhos com água quente provocam o aquecimento da pele e a passagem de uma maior quantidade de sangue pelos vasos da pele. Se uma maior quantidade de sangue passa pelos vasos superficiais, eles se acomodam e se dilatam, o que favorece o surgimento de vasinhos nas pessoas que são predispostas;

Apague o cigarro: A nicotina está ligada à diminuição da espessura dos vasos sanguíneos. O monóxido de carbono oferece um fator adicional de risco ao diminuir a concentração de oxigênio no sangue. Todo esse processo pode causar complicações para o normal funcionamento dos vasos, que ficam mais susceptíveis ao entupimento, podendo levar a processos de trombose. As propriedades anticoagulantes naturais são diminuídas. O cigarro dificulta o papel do sangue no processo de cicatrização, após cirurgias e procedimentos. O vaso mais estreito tem um fluxo menor de sangue e o suprimento de oxigênio aos tecidos é afetado;

Fique atento ao calçado: Não existe consenso de que o uso de salto alto a longo prazo possa causar varizes. Alguns estudos sugerem que existe, sim, um prejuízo no retorno venoso com o uso do salto. O mais adequado é, no caso das usuárias mais assíduas de salto, que tentem alternar a altura: com mais grossos (que dão mais estabilidade), dar preferência aos saltos de 3-4 cm para uso diário.

Fonte: Aline Lamaita, angiologista