A inteligência que vem do coração

Saúde emocional

A inteligência que vem do coração

Coração também envia sinais emocionais e intuitivos


Estudos mostram que coração também envia sinais emocionais e intuitivos
Estudos mostram que coração também envia sinais emocionais e intuitivos - Pexels/Banco de imagens

A cada ano novas descobertas são feitas sobre o coração e comprovam que o órgão é muito mais complexo e que sua função vai além de bombear sangue para o restante do corpo. Novas evidências científicas indicam que o coração nos envia sinais emocionais e intuitivos para ajudar a governar nossas vidas. "Em vez de simplesmente bombear sangue, ele direciona e alinha muitos sistemas no corpo para que possam funcionar em harmonia uns com os outros. E embora o coração esteja em constante comunicação com o cérebro, sabemos agora que ele toma muitas de suas próprias decisões", explicam Doc Childre e Howard Martin, do Institute HeartMath, na Califórnia, nos Estados Unidos, autores do trabalho.

Segundo eles, a "inteligência do coração" pode ter um impacto mensurável na tomada de decisões, nos problemas de saúde, na produtividade no trabalho, na capacidade de aprendizado dos filhos, nas famílias e na qualidade geral de vida. Diante das novas evidências, a recomendação dos cientistas é que temos que repensar toda a nossa atitude para "seguir nossos corações". Eles descobriram que o coração é capaz de nos dar mensagens e nos ajudar muito mais do que alguém jamais suspeitou.

Um artigo publicado na iScience revelou a descoberta de especialistas da Thomas Jefferson University nos Estados Unidos, que mapearam pela primeira vez os neurônios de um coração humano e os recriaram em 3D.

No processo do estudo, os especialistas puderam revelar que o nosso coração tem sua própria rede neuronal, complexa e suficientemente extensa, que pode ser caracterizada como o "cérebro" do coração. Esse sistema nervoso cardíaco onde se concentram neurotransmissores, células de apoio e proteínas, tem memória de curto e longo prazo e pode operar, independentemente do comando do sistema nervoso central. Além disso, o funcionamento do nosso coração é mantido pelo nosso cérebro através de uma rede de nervos, assim como pelo sistema nervoso intracardíaco. Ou seja, aquele contido no próprio coração, que atua para monitorar e corrigir quaisquer distúrbios entre estes sistemas.

As mensagens transmitidas pelo coração em forma autônoma, com base em estímulos orgânicos, são recebidas em algumas regiões do cérebro, assim "ouvindo" atentamente sua performance.

É mais ou menos assim: se sentimos frustração, medo, raiva, ou mágoa, por exemplo, criamos um campo energético interno e externo desordenado e incoerente, e as pessoas sentem-se confusas, pouco criativas, com reduzida clareza mental. Se, ao contrário, vivenciamos o que chamamos as frequências superiores do coração - sentimentos como amor, apreciação, compaixão, alegria, entusiasmo, perdão, gratidão, entre outros - produzimos um campo coerente e ordenado, que se irradia como informação para todas as células do nosso corpo, gerando maior equilíbrio, maior clareza mental, máxima criatividade e bem-estar.

  • As descobertas até agora mostram que campo elétrico do coração é de 40 a 60 vezes superior ao campo elétrico gerado pelo cérebro;
  • Registros mostram também que o seu campo magnético é de 4 mil a 5 mil vezes mais potente que o do cérebro, e podem ser medidos até três metros;
  • Os batimentos cardíacos são gerados a partir do interior do coração, não precisando de uma ligação com o cérebro para continuar a bater;
  • Dentro do coração há um sistema nervoso independente com aproximadamente 40 mil neurônios, o chamado "cérebro do coração". Este complexo neuronal é gerador de uma inteligência própria, altamente intuitiva, que processa informações e envia sinais para o cérebro;
  • Cada batida do coração carrega informação para as células do corpo, numa linguagem inteligente que influencia diretamente o modo de perceber, pensar e reagir ao mundo. Os ritmos cardíacos geram campos eletromagnéticos específicos, de maior ou menor coerência, que impactam diretamente o funcionamento de todos os órgãos, especialmente as funções cerebrais, impactando a performance de cada um;
  • Cérebro e coração estão em sincronia energética.

Fontes: Instituto HeartMath e livro "Memória das Células", de Paul Pearsall