Você tem joanete?

Saúde

Você tem joanete?

Condição dolorosa que traz desconforto afeta principalmente as mulheres


Mulheres têm mais chance de desenvolver o joanete
Mulheres têm mais chance de desenvolver o joanete - Pexels/Banco de imagens

Todo mundo uma vez ou outra na vida sente dores nos pés ao usar um calçado apertado ou com salto. A dor do joanete entra nesta lista. Nem sempre a condição precisa de tratamento, mas seus sintomas podem trazer desconforto e incômodo para quem sofre com o problema que tem o nome de hálux valgo. Trata-se de uma saliência óssea que se forma na articulação na base do dedão do pé. A deformidade afeta principalmente mulheres.

Forma-se um joanete quando seu dedão do pé aponta para o segundo dedo, forçando a articulação a ficar maior e projetada para fora. A pele sobre ele pode ser vermelha e ficar dolorida e sensível. "O joanete não é um osso que cresce ou que surge, mas um desvio do primeiro metatarsiano (osso do dedão) e das falanges, que se expressa como uma saliência", explica a ortopedista Ana Paula Simões. As causas podem ser genéticas ou mecânicas, devido ao uso de calçados inadequados, principalmente salto alto e bico fino, além da sobrecarga (correr com tênis apertado pode causar uma força mecânica que favorece a deformidade).

Normalmente começa a se apresentar após a primeira menstruação ou durante a vida ativa, onde costumeiramente usa-se mais calçados de salto e de bico fino, após a menopausa e novamente depois dos 60 anos, podendo alcançar grandes desvios e deformidades. "A principal consequência de toda essa evolução são sintomas como dor, dificuldade para usar calçados e calosidades intratáveis. Nas mulheres, fatores hormonais e uso de calçados de bico fino são os principais agravantes", explica o ortopedista Daniel Baumfeld, especialista em medicina e cirurgia do pé e do tornozelo. No homem, a deformidade é menos comum (18 vezes) e os sintomas aumentam devido a áreas de maior pressão e sobrecarga dos dedos dentro dos calçados.

Tratamento para minimizar

Você mesmo pode fazer o tratamento com cuidados caseiros como uso de protetores, sapatos confortáveis e aplicação de gelo no local. Isso já costuma ser suficiente para tratar os sintomas, embora não resolva o problema. O uso de silicones, adesivos, separadores de dedo e calçados adaptados podem ser usados para aliviar, mas não corrigem a deformidade óssea. Se o joanete piorar, causando deformidade ou dor intensa, a cirurgia pode ser feita para realinhar o dedo e remover o calo ossudo. Existem mais de 100 diferentes técnicas cirúrgicas.

"O tratamento cirúrgico é indicado para aqueles pacientes com limitações importante", explica Baumfeld. A escolha do melhor tratamento, segundo ele, é uma decisão pessoal e a melhor época para realizar a cirurgia depende das limitações que no dia a dia.

 

  • Uso de saltos altos;
  • Uso de sapatos menores, apertados ou de pontas estreitas;
  • Artrite;
  • Problemas congênitos do pé (má formação);
  • Hereditariedade (pessoas de uma mesma família costumam apresentar joanetes).
  • Escolha o modelo que mais lhe agrada considerando que ele deve ter a ponta larga; "quadrados" ou "redondos", que dão maior estabilidade à marcha, evitando quedas;
  • Se o modelo for de salto, não ultrapasse 3cm. Dê preferência aos tipos "anabela", pois distribuem melhor a pressão;
  • Nos tênis, dê espaço entre a ponta dos dedos e a frente, para que eles se desprendam do solo durante a marcha ou corrida;
  • Troque os calçados diariamente, evitando atrito num ponto único na pele;
  • Não acredite que o sapato irá lacear com o uso. Ele deve estar confortável já na hora da compra.

Fonte: Ana Paula Simões, ortopedista