Causas diversas

Causas diversas


A gagueira tem várias causas. Uma delas já está comprovada e é genética. Já foram identificados alguns genes relacionados à gagueira. Eles respondem por cerca de 15% dos casos. Ou seja, ainda há muitos outros para serem descobertos. "Filhos de pais que têm ou tiveram gagueira têm mais chances de gaguejar. A probabilidade aumenta se a criança for do sexo masculino porque 80% dos casos de gagueira envolvem o sexo masculino", explica Sandra.

Além da genética, a gagueira pode ocorrer devido a lesões cerebrais, acidente vascular cerebral, traumatismos cranioencefálicos, intercorrências na gravidez, parto e pós-parto, entre outras condições que afetam o funcionamento e a fisiologia do cérebro. O fator social também é um componente importante na origem da gagueira. Crianças que vivem em um ambiente familiar em que as pessoas falam muito rápido ou usam uma linguagem muito complexa podem ter mais probabilidade de desenvolver a gagueira, desde que exista a predisposição genética.

Para que o problema possa ser curado, o diagnóstico e o tratamento devem ser feitos ainda na infância. "A gagueira, portanto, tende a ser uma condição tipicamente infantil. Quando tratada pode ser curada", diz Sandra.

O tratamento fonoaudiológico é baseado em exercícios para respiração, voz e articulação da fala. Também são realizados exercícios específicos para fluência, envolvendo leitura em voz alta e fala espontânea. No caso de adultos, o treino de fala em público é muito importante. O fonoaudiólogo também avalia se são necessários tratamentos complementares.