Saúde

Vida longa aos falantes

Estudos mostram que falar demais pode aumentar sua longevidade


Para viver mais, você precisa falar, no mínimo, 15 mil palavras por dia
Para viver mais, você precisa falar, no mínimo, 15 mil palavras por dia - Pexels

Falar é uma das mais importantes formas de comunicação. Homens e mulheres costumam falar e muito. As mulheres são alvo de piadas quando o assunto é conversa e geralmente é atribuído a elas o ato de falar demais. Se você costuma ouvir essa frase com frequência, não se preocupe. Pelo contrário, essa condição de falar o tempo todo pode ser uma grande aliada da saúde e da vida longa do público feminino.

Pesquisadores da Escola de Medicina Albert Einstein, da Universidade de Yeshiva, de Nova Iorque, nos Estados Unidos, concluíram que sua atitude pode ser mais decisiva do que seus genes no que diz respeito à sua expectativa de vida. A explicação se dá pelo fato de que as pessoas que falam muito, geralmente são extrovertidas e otimistas, e isso confere a elas uma melhor qualidade de vida, porque seu corpo fica mais calmo e tolera melhor os altos níveis de estresse. Eles garantem que pessoas otimistas e extrovertidas dominam melhor as maneiras de classificar seus sentimentos em palavras para compartilhá-los.

O estudo

Para o estudo, os pesquisadores utilizaram 250 pessoas com idades entre 95 e 100 anos, nas quais estudaram sua personalidade e sua carga genética. Depois de obter os resultados, determinou-se que, independentemente dos genes, existem fatores comuns que são positivos como compartilhar seus sentimentos com outras pessoas. Então se você quer viver por mais de 90 anos, uma boa dieta não é suficiente. Você precisa aprender a expressar seus sentimentos e "tagarelar" o máximo que puder.

15 mil palavras por dia

Para se beneficiar do aumento da longevidade, você ter de falar pelo menos 15 mil palavras por dia. É o que concluiu em outro estudo o psiquiatra e professor da Universidade de Nova Iorque Luis Rojas Marcos, autor do livro "Nós Somos o Que Falamos". Ele afirma que falar é saudável para a saúde mental. Vale uma dica do psiquiatra: é uma atividade que não pode ser feita apenas com pessoas, mas também com plantas e animais.

Soma-se ao fato que as mulheres desenvolvem a capacidade linguística mais do que os homens devido à proteína da linguagem, FOXP2, que em seu corpo é produzido em maior quantidade.