Saúde

Respire corretamente

Técnicas e exercícios de respiração que aumentam a capacidade pulmonar em qualquer idade


Exercícios respiratórios devem ser feitos em qualquer idade
Exercícios respiratórios devem ser feitos em qualquer idade - Pixabay/Banco de Imagens

Embora seja um processo natural do corpo, muitas pessoas ainda não conseguem respirar corretamente. Isso pode ser atribuído à pouca consciência do processo, ao envelhecimento natural e até mesmo a problemas como ansiedade ou depressão. Com o avanço da idade, perdermos a mobilidade normal da caixa torácica e a capacidade pulmonar devido ao enfraquecimento da musculatura respiratória, alterações da coluna vertebral e perda do tamanho da superfície dos alvéolos, reduzindo a capacidade de troca gasosa e diminuindo assim a qualidade da respiração.

A respiração ganha cada dia mais atenção por conta das doenças respiratórias comuns com a queda das temperaturas. É no outono e no inverno que as doenças respiratórias são mais comuns. Isso acontece, segundo o pneumologista João Geraldo Simões Houly, porque na ausência de raios ultravioletas, os vírus conseguem sobreviver tempo suficiente para serem transmitidos de uma pessoa para outra. "Além disso, é uma época na qual temos maior agrupamento de pessoas em ambientes fechados", explica.

"Para os idosos, os exercícios são uma maneira de melhorar a mecânica respiratória, a mobilidade torácica, além de aumentar a ventilação pulmonar, o fluxo expiratório, a oxigenação e, consequentemente, a qualidade da respiração e o alívio das tensões", explica a fisioterapeuta Fernanda Giannella.

Benéfico para todas as idades

Quando realizados adequadamente, os exercícios respiratórios podem ser feitos por pessoas de todas as idades. Eles melhoram a qualidade de vida, a capacidade pulmonar e combatem a ansiedade e insônia. "No entanto, os idosos se beneficiam muito desses exercícios por apresentarem diminuição da capacidade pulmonar pelo processo do envelhecimento", diz Fernanda Giannella.

Função do sistema respiratório: Facilitar ao organismo uma troca de gases com o ar atmosférico, assegurando permanente concentração de oxigênio no sangue, necessária para as reações metabólicas, e em contrapartida servindo como via de eliminação de gases residuais, que resultam dessas reações e que são representadas pelo gás carbônico;

Como é constituído: Este sistema é constituído pelos tratos (vias) respiratórios superior e inferior. O trato respiratório superior é formado por órgãos localizados fora da caixa torácica: nariz externo, cavidade nasal, faringe, laringe e parte superior da traqueia. O trato respiratório inferior consiste em órgãos localizados na cavidade torácica: parte inferior da traqueia, brônquios, bronquíolos, alvéolos e pulmões. As camadas da pleura e os músculos que formam a cavidade torácica também fazem parte do trato respiratório inferior;

O que permite: O intercâmbio dos gases faz-se ao nível dos pulmões, mas para atingi-los o ar deve percorrer diversas porções de um tubo irregular, que recebe o nome conjunto de vias aeríferas.

Exercite o diafragma: O exercício diafragmático expande o músculo diafragma (músculo importante da inspiração) e leva ar rico em oxigênio até o abdômen, com o objetivo de aumentar a amplitude da caixa torácica. Indicado para qualquer idade, reduz a ansiedade e permite que a pessoa respire melhor. Para realizá-lo, deve sentar em uma posição confortável, fechar os olhos, colocar a mão sobre a barriga e concentrar-se na respiração. Inspire pelo nariz e procure movimentar o abdômen e não o tórax. Segure o ar por dois segundos e em seguida expire lentamente pela boca. É importante repetir dez vezes;

Inspiração fracionada: É um exercício que aumenta o volume de ar que entra no pulmão, aumentando a complacência pulmonar. Para realizá-la, inspire por um segundo, segure a respiração por dois segundos e inspire mais uma vez, depois solte o ar de uma vez. É contraindicado para quem tem problemas obstrutivos graves e indicado ser repetido por seis vezes;

Respiração abreviada: São exercícios respiratórios que ajudam a aumentar o volume de ar inspirado e a estimulam partes do pulmão que estejam subutilizadas. Para realizá-lo, basta fazer uma única inspiração profunda, soltar apenas um pouco do ar e depois inspirar mais um pouco. Faça essa combinação de expirar e inspirar por cerca de quatro vezes e, em seguida, expire completamente;

Retenção: Eficiente para pessoas que sofrem de insônia e ansiedade. Visa a regular a respiração, reciclar o gás carbônico no corpo, equilibrar o ph, além de acalmar as funções cerebrais, permitindo o relaxamento. Para realizá-lo, deite de barriga para cima, solte todo o ar pela boca, prenda por quatro segundos e inspire pelo nariz até preencher completamente os pulmões. Recomenda-se repetir essa ação seis vezes. É um exercício muito usado em práticas de ioga e meditação, pois ajuda a equilibrar o seu emocional e racional, mantendo o equilíbrio em momentos de crise.

Fonte: Fernanda Giannella, fisioterapeuta