SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | DOMINGO, 25 DE JULHO DE 2021
Alimentação saudável

Cardápio para driblar a TPM

Alguns alimentos são verdadeiros aliados no período de tensão pré-menstrual

Gisele BortoletoPublicado em 21/11/2020 às 20:56Atualizado há 06/06/2021 às 16:53

A duração da tensão pré-menstrual (TPM) varia: algumas mulheres vivem apenas dois "daqueles dias", enquanto outras sofrem até dez. Mas especialistas concordam que a mulher brasileira vive, em média, sete dias ao mês com ela. Multiplique isto por 12 meses e serão até 84 dias no ano. Estudos conduzidos pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) afirmam que a brasileira está entre as mulheres mais impactadas pela tensão pré-menstrual e 80% delas já experimentaram seus sintomas.

Embora a maioria dos casos seja considerada saudável, uma parte da população sofre grandes perdas na qualidade de vida devido à TPM. Os sintomas mais comuns dessa alteração hormonal são cólica, inchaço, dor de cabeça, irritação e desânimo. Estudos indicam que 11,63% das faltas de mulheres ao trabalho se devem aos efeitos da tensão pré-menstrual. "De 3% a 8% delas têm sintomas tão intensos que exigem mudanças em suas atividades diárias, comprometendo a rotina, as relações interpessoais e a produtividade", afirma a ginecologista e obstetra Thalita Russo Domenich.

Vontade de comer doces

Neste período, há um aumento na vontade de comer açúcar e alimentos ricos em carboidratos, como uma busca inconsciente para elevar os níveis de serotonina e assim melhorar o humor e a sensação de bem-estar, que estão mais instáveis no período pré-menstrual. Atualmente, existem soluções para amenizar ou mesmo acabar com os sintomas da TPM, trazendo mais qualidade de vida à mulher. A alimentação rica em vitaminas A e B6, magnésio e os aminoácidos tirosina e triptofano são substâncias capazes de reduzir alguns sintomas da temida TPM. Nesta hora, como em tudo, é preciso escolher bem os alimentos. "Priorize a ingestão de fibras e nutrientes encontrados em frutas, grãos, legumes e verduras. Evite consumir cafeína, alimentos com gordura saturada e sódio, geralmente encontrados em produtos industrializados. Também passe longe de bebidas alcoólicas nesse período", diz Thalita Domenich", explica a nutricionista Camila Torreglosa.

Invista neles

Frutas e legumes com cores vermelhas e alaranjadas como cenoura, abóbora,tomate, morango, melancia, laranja, tangerina; Espinafre, brócolis e couve-manteiga; Banana; Oleaginosas: como nozes, amêndoas, castanha-do-Pará; Aveia; Leite e derivados magros; Semente de abóbora e girassol; Chocolate 70% cacau; Peixes.

Fonte: HCCor

Passe longe

Alimentos ricos em sódio e sal: O corpo retém mais líquido durante esta fase e os alimentos ricos em sódio e o próprio sal pioram esse quadro;

Chocolate ao leite: O excesso é desaconselhado neste período por ser rico em açúcares. Entretanto, tanto o chocolate quanto os doces em geral, se consumidos moderadamente, ajudam a controlar a irritabilidade e depressão neste período;

Cafeína: Bebidas que contenham altas doses de cafeína, assim como o excesso de café, devem ser evitados nestes dias. São estimulantes e estão associados à insônia, alteração de humor e até irritabilidade. Substitua por chás de camomila, erva-doce, capim-limão, maçã, entre outros;

Arroz branco: Evite, uma vez que é absorvido de forma rápida e a sensação de saciedade é curta. A versão integral é mais indicada para o período, uma vez tem fibras alimentares e auxilia no controle da compulsão alimentar, do inchaço abdominal e até de sintomas emocionais;

Frituras: Procure não consumir alimentos fritos, pois são ricos em gordura;

Bebidas alcoólicas: O álcool, além de desidratar, deve ser evitado por intensificar sintomas como dor de cabeça, fadiga e depressão.

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por