O remédio que vem da colmeia

Alimentação saudável

O remédio que vem da colmeia

Estudo mostra que o mel pode ser tão ou mais eficaz que os antibióticos


Ciência já comprovou os benefícios do mel para a saúde
Ciência já comprovou os benefícios do mel para a saúde - Freepik/Banco de imagens

Toma uma colher de mel que passa. Quem nunca ouviu essa frase da avó durante uma crise de tosse, uma dor de garganta ou aos primeiros sinais de resfriado? E não se trata de crendice popular. Um trabalho de revisão feito por pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido - a partir do resultado de 14 estudos que envolveram mais de 1.700 pessoas, concluiu o que muita gente já sabia: o alimento pode ser tão ou mais eficaz que os antibióticos.

Outra novidade é que as bactérias não criam resistência ao mel. Um dos grandes problemas de saúde da atualidade é o fortalecimento desses microrganismos causados pelo uso indiscriminado de antibióticos. As qualidades antibacterianas do mel são atribuídas em grande parte às enzimas da saliva da abelha, usada na fabricação natural da substância, mas também à acidez alta da substância (pH em torno de 3e 4,5), o que ajuda a matar os microrganismos.

Entretanto, os pesquisadores acreditam que serão necessários novos estudos para confirmar a descoberta. Mesmo assim, o alimento já entrou nas diretrizes de saúde de órgãos regulatórios de alguns países. No Reino Unido ele se tornou recentemente a primeira opção no tratamento da maior parte das tosses e assim minimizar o uso indiscriminado de antibióticos.

O uso do mel para o tratamento de doenças precisa, logicamente, ser acompanhado por um especialista. "O mel pode ser consumido no intervalo de duas a três semanas a partir do início dos sintomas", afirmou em comunicado a médica Tessa Lewis, representante do Instituto Nacional de Excelência na Saúde, organização que emite recomendações ao sistema público de saúde da Inglaterra.

O mel é composto por glicose e frutose (dois tipos de carboidratos), além de ser rico em vitaminas do complexo B, C e minerais como cálcio, fósforo, potássio, enxofre e magnésio. "Elaborado pelas abelhas a partir do néctar coletado das flores, o mel ainda contém vitaminas A, B1, B2, B3, B5, B6, C e biotina", diz a nutricionista Cyntia Maureen.

Composições gastronômicas

Além de fazer bem à saúde, o mel pode ainda fazer diferentes composições gastronômicas. Ele vai bem desde um fio no tempero da salada de folhas, na carne assada, para adoçar sucos e nos doces, sem contar o tradicional pão de mel, apreciado em todo o mundo, com ou sem cobertura de chocolate, e com diferentes recheios. A razão é simples. Seu sabor adocicado promove uma perfeita harmonização em preparações comuns do dia a dia, tornando-as mais saborosas e nutritivas para o organismo. O mel pode ser consumido com cereais, como a aveia e a granola, pois como são ricos em fibras e favorecem ainda mais a microbiota intestinal, além das frutas, é claro.

 

Divulgação

Ingredientes

  • 1 pacote de penne grano duro
  • ½ xícara de sementes de papoula
  • 1 ½ xícara de leite
  • 1 xícara de mel
  • 2 colheres (sopa) de manteiga
  • ½ xícara de uvas passas brancas
  • ½ xícara de uvas passas pretas
  • ½ xícara de amêndoas laminadas
  • Raspas e suco de uma laranja

Modo de preparo

Cozinhe o penne conforme as instruções da embalagem. Reserve. Em uma panela, derreta a manteiga, acrescente as amêndoas, as uvas passas brancas e pretas, as raspas e o suco de laranja e o mel. Misture bem e desligue o fogo. Coloque a massa previamente cozida nessa mistura, envolvendo-a bem. Polvilhe então as sementes de papoula, misture bem e sirva quente ou frio.

(Por Adria)

Divulgação

Ingredientes

  • 500ml de água
  • 2 bagas de cardamomo
  • 2 paus de canela
  • 3 cravos-da-Índia
  • 1 colher (sopa) de mel
  • 100ml de leite de arroz
  • 2 colheres (sopa de folhas de hortelã)

Preparo

Aqueça a água com o cardamomo, a canela, o cravo e o mel. Deixe cozinhando por cerca de cinco minutos após iniciar a fervura. Desligue o fogo e espere cerca de cinco minutos. Acrescente as folhas de hortelã e o leite de arroz. Tampe e espere mais cinco minutos. Coe e sirva em seguida.

(Por Renata Guirau, nutricionista)