Vida mais longa

Alimentação saudável

Vida mais longa

Estudos comprovam que bebedores de chá têm menor risco de enfarte e AVC


Tomar chá pelo menos três vezes por semana reduz risco de doenças e longevidade
Tomar chá pelo menos três vezes por semana reduz risco de doenças e longevidade - Freepik/Banco de Imagens

Se você torce o nariz quando vê uma xícara de chá saiba que, depois da água, é a bebida mais consumida em todo o mundo. Razões não faltam para isto. Geralmente preparado por infusão de folhas ou flores de plantas, faz parte de rituais, da medicina caseira e é complemento dos aconchegos de povos por todo o mundo. E o bom é que além de hidratar, tem propriedades medicinais entre elas diuréticas, calmantes e emagrecedoras.

Há outras boas notícias e você pode aproveitar as temperaturas mais amenas e inserir a bebida no seu cardápio: tomar chá pelo menos três vezes por semana está associado a uma vida mais longa e saudável. É o que mostra um estudo publicado no European Journal of Preventive Cardiology, um jornal da Sociedade Europeia de Cardiologia. "O consumo habitual de chá está associado a menores riscos de doenças cardiovasculares e morte por todas as causas", afirma Xinyan Wang, autor do trabalho e especialista da Academia Chinesa de Ciências Médicas. Segundo ele, os efeitos favoráveis para a saúde são mais fortes no caso do chá verde e para os apreciadores de longo prazo.

O estudo avaliou 100,9 mil pessoas sem histórico de enfarte, de AVC ou de câncer, divididas em dois grupos: aqueles que consumiam habitualmente o chá (três ou mais vezes por semana) e os restantes (que o fazem menos de três vezes por semana), todos acompanhados por tempo médio de 7,3 anos. Os resultados confirmam os benefícios. O consumo foi associado a anos de vida mais saudáveis e maior expectativa de vida. A conclusão é que os apreciadores habituais da bebida, com 50 anos, desenvolvem doença coronária e AVC 1,41 ano mais tarde e vivem 1,26 ano a mais do que aqueles que nunca ou raramente tomam chá.

Menor risco de enfarte e AVC

Os pesquisadores constataram que quando comparados com os que nunca bebem chá ou que não o fazem habitualmente, os consumidores regulares revelaram um risco 20% menor de sofrer de uma doença cardíaca e acidente vascular cerebral; um risco 22% inferior de doença cardíaca e derrame fatal e 15% mais baixo também de morte por qualquer causa. O pesquisador Dongfeng Gu considera que "os efeitos protetores do chá foram mais pronunciados entre grupos habituais de consumidores."

Estudos anteriores já tinham mostrado que os principais compostos bioativos desta bebida, os polifenóis, não são armazenados no organismo a longo prazo. "A ingestão frequente por um período prolongado pode ser necessária para se conseguir o efeito cardioprotetor", diz Gu. Há opções de chás para todos os gostos.

 

O chazinho é indicado para todas as idades. Preparado com água fervida e plantas é geralmente adoçado e tomado morno ou quente e até mesmo gelado nos dias de calor. Não há pelo Brasil comadre ou avó que não tenha a receita de um chá para curar qualquer tipo de mal-estar

Os benefícios das chamadas "drogas vegetais" passam de geração em geração. Quase todo mundo já ouviu falar de alguma planta, folha, casca, raiz ou flor que ajuda a aliviar os sintomas de um resfriado ou mal-estar. Desde os primórdios da humanidade, dizem os estudiosos, as plantas encerram em si poderes quase mágicos, na recuperação e na manutenção da saúde do homem. Muitas vezes, podemos evitar um remédio, pelo tradicional chazinho, evitando assim a intoxicação provocada pelos medicamentos.

  • Folha de abacateiro: Para os rins e bexiga;
  • Erva-doce: Dor de barriga;
  • Folha de figo: Para o fígado;
  • Hortelã: Contra gases e vermífugo;
  • Losna: Dor de barriga e vesícula;
  • Louro: Contra a insônia;
  • Quebra-pedra: Diurético, contra pedras nos rins e ácido úrico;
  • Flor de hibisco: Diurético e adstringente;
  • Boldo-do-Chile: Estimula o fígado e a vesícula;
  • Camomila: Digestivo e calmante;
  • Erva-cidreira: Sedativo, ajuda a dormir;
  • Flor de laranjeira: Calmante, ajuda a dormir;
  • Folhas de maracujá: Calmante, diminui a ansiedade;
  • Broto de goiabeira: Contra diarreia;
  • Alho: Contra vermes e, com mel, é bom contra gripes;

Fonte: Do livro "Medicina Rústica (ed. Martins Fontes), de Diego Maynard Araújo

 

É hidratante: Estudos descrevem o chá como fonte de hidratação por excelência. Outros revelam que os consumidores apreciam o chá não só para matar a sede, mas também pelo seu sabor;

É antioxidante: Combate o envelhecimento devido ao seu elevado conteúdo em flavonóides (fitonutrientes com forte ação antioxidante). Esta propriedade faz dele um aliado do coração, evitando a aterosclerose, reduzindo a tensão arterial e o risco de enfarte;

Tanto pode ser estimulante como relaxante: Segundo a nutricionista Helena Cid, "o chá contém L-teanina e baixos níveis de cafeína o que, para além de mais benéfico para a saúde, ajuda a manter a pessoa em alerta". Por outro lado, a L-teanina produz efeitos tranquilizantes no cérebro, induzindo o relaxamento sem causar sonolência;

Combate infecções: Os taninos (fitonutrientes com ação adstringente) conferem ao chá o seu sabor ligeiramente amargo, como também as suas qualidades antivirais e antibacterianas.