SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | SEGUNDA-FEIRA, 26 DE JULHO DE 2021
FITNESS

Respira, inspira, não pira

Além de aliviar a ansiedade, a respiração correta aumenta a concentração e contribui para o desempenho da atividade física

Francine MorenoPublicado em 10/04/2021 às 22:30Atualizado há 06/06/2021 às 09:07

Existe um componente muito importante no treino que nem todo mundo dá a devida atenção: a respiração. Na atividade física, ela auxilia a desenvolver melhor o movimento, minimiza a fadiga e contribui para o desempenho. Inspirar e expirar o ar do jeito certo e com orientação de um educador físico, por exemplo, ainda ajuda a dar ritmo ao exercício e manter o foco na prática da atividade física. Com o tempo, o inspirar e expirar de forma correta se torna um hábito, que proporciona eficiência do exercício e bem-estar.

Fernando Boracini, profissional de educação física, afirma que a respiração é uma ferramenta vital para o bom desempenho em uma atividade física. "Uma respiração adequada melhora a capacidade do nosso organismo de captar oxigênio e nutrir melhor nossa musculatura e ainda ajuda na desaceleração dos batimentos cardíacos, evita tonturas causadas pela queda da pressão arterial e ajuda no processo de queima de gordura."

A forma correta de se respirar durante a atividade física, segundo Boracini, é sempre inspirar (puxar) pelo nariz e expirar (soltar) pela boca, sempre expirando o ar mais devagar do que inspirando. "Dessa forma vai evitar aquela dorzinha na lateral das costelas que é uma câimbra do músculo diafragma responsável pela respiração."

A respiração incorreta pode causar mal-estar, dor ou desconforto. "Respirar de forma errada pode fazer com que se canse mais rápido, dessa forma diminuindo a efetividade do exercício e até comprometer nossa saúde. Um risco maior no caso de prender a respiração (apneia) pode causar o aumento da pressão arterial e até gerar riscos de um acidente vascular cerebral (AVC)", afirma Boracini.

Emoções

Os adeptos de yoga e meditação também exaltam o poder da respiração sobre as emoções, principalmente a ansiedade. O instrutor de yoga Marcio Buchi afirma que respirar é vital. "Foi a primeira coisa que fizemos ao nascer e é o que nos mantem vivos. Algumas culturas acreditam que através da respiração renovamos a nossa energia vital. Também se sabe que a respiração, no nosso corpo, está diretamente relacionada com as emoções. Dada a importância do ato, será que damos a devida atenção ao nosso respirar?", reflete.

No yoga, segundo Buchi, existem diversos tipos de exercícios respiratórios que auxiliam no equilíbrio emocional, controle de estresse e ansiedade, aumentam o entusiasmo e a vitalidade, melhoram a digestão, entre outros benefícios, por fornecer ao seu corpo doses extras de oxigênio. Esses exercícios são os chamados pranayamas (prana = energia vital que traz força e vida aos órgãos e as células; e yama = ação regular).

Um exemplo de uma respiração completa, segundo Buchi, ocorre quando o ar é inspirado pelas duas narinas, percorre pelas vias áreas até os pulmões e após ser filtrado para captação de oxigênio, retorna às narinas para ser expirado. "O músculo responsável para que todo esse percurso de entrada e saída aconteça é o diafragma, que junto com os músculos intercostais se contraem e se expandem para realizar toda essa operação", afirma Buchi.

O instrutor ensina como fazer isto de forma correta. "Para tentar perceber como isso ocorre, feche os olhos, coloque a sua mão no abdômen na altura do umbigo, e inspire, fazendo uma divisão imaginária do seu tronco em três partes: porção inferior, central e superior. Perceba que ao inspirar a expansão deve acontecer primeiramente na porção inferior, em seguida na central e finalizando na superior. Na expiração, o movimento contrário acontece."

 
Copyright © - 2021 - Grupo Diário da Região.É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Desenvolvido por
Distribuido por