SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 11 DE AGOSTO DE 2022
Fitness

Exercícios no pós Covid-19

Vai voltar aos treinos? Consulte antes um cardiologista, recomendam entidades de saúde

Gisele Bortoleto
Publicado em 14/11/2020 às 20:25Atualizado em 06/06/2021 às 17:12

Não importa se você pratica uma atividade física por recreação ou para competição. Se você teve Covid-19, mesmo com sintomas leves e que não tenha precisado de internação, procure um cardiologista para uma avaliação antes de voltar aos treinos. O alerta foi feito em um documento elaborado em parceria entre a Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), e a Sociedade Brasileira de Cardiologia, que sugere a adoção de medidas preventivas.

Os benefícios do exercício para a saúde cardiovascular já são velhos conhecidos. Entretanto, a longo prazo, também pode ser um gatilho para doenças cardiocirculatórias silenciosas, sendo que 90% das mortes súbitas no esporte são relacionadas a cardiopatias. Estudos têm mostrado que o acometimento do coração pela Covid-19 também é frequente, mesmo entre aqueles que tiveram sintomas leves da infecção pelo coronavírus e não precisaram de internação.

A Covid-19 tem sido associada a um número significativo de complicações cardiovasculares, atingindo cerca de 16% dos pacientes. No entanto, ainda não existem dados a longo prazo, muito menos em indivíduos ativos e atletas competitivos. Baseado no conhecimento estabelecido sobre as miocardites virais em geral, os médicos dizem que podem existir sequelas que afetam desde o desempenho físico destes indivíduos até a maior ocorrência de morte súbita durante o exercício.

A SBC desde o início da pandemia vem alertando para os riscos que a Covid-19 traz ao sistema cardiovascular e o potencial dessa infecção ocasionada pelo novo coronavírus, que pode trazer complicações respiratórios graves e até mesmo ser letal em portadores de doenças cardíacas e cardiometabólicas (diabetes e obesidade). Agora, estudos científicos brasileiros e internacionais indicam que parte dos pacientes que se infectaram com o SARS-CoV-2 podem, mesmo após a cura da doença, ter complicações que podem afetar órgãos como os rins e o coração. Por isso, a SBC recomenda que pacientes que tiveram Covid-19, já recuperados, devem manter o seu acompanhamento médico e estar atentos a possíveis complicações futuras.

Normas baseadas em experiência clínica

As recomendações foram elaboradas baseadas em publicações iniciais e experiência clínica até o momento, estando sujeitas a modificações à medida que evolui o conhecimento sobre a Covid-19. O documento completo pode ser acessado no link www.bit.ly/2IPuHrL

O texto traz orientações para o praticante de atividade física recreativa ou competitiva que teve Covid-19 e reforça a importância dele consultar um médico especialista antes de começar a se exercitar ou de retomar o treino que fazia antes de ter coronavírus, mesmo que, até então, ele não apresentasse qualquer problema cardíaco", explica o cardiologista Marcelo Leitão, presidente da SBMEE, especialista em medicina do exercício e do esporte, um dos autores do documento.

"A relevância desse documento também foi discutida no 32º Congresso Brasileiro e 12º Congresso Sul-americano de Medicina do Exercício e do Esporte, entre os dias 30 de outubro de 1º de novembro e teve a participação de 21 palestrantes internacionais e mais de 160 nacionais", diz o médico do esporte e diretor de comunicação da SBMEE, Fernando Torres .

"O comprometimento cardíaco tem sido descrito como complicação frequente na COVID-19, o que representa um alerta para a necessidade de investigação de lesões miocárdicas, especialmente miocardite, nos indivíduos acometidos pela doença. Dados iniciais relatam alterações eletrocardiográficas, níveis de troponina detectável e achados anormais em ressonância magnética cardíaca até cerca de 70 dias após o diagnóstico da doença, que não se correlacionaram necessariamente com a gravidade do quadro clínico apresentado", diz o documento.

Apesar de os médicos admitirem que ainda desconhecem o real significado de tais achados, eles devem considerar a possibilidade de que possam representar um substrato que causa arritmia durante o esforço, aumentando o risco de morte súbita em esportistas e atletas. "Desta forma, torna-se essencial realizar uma avaliação pré-participação cardiológica antes do retorno à prática de exercícios e esportes", dizem ainda os médicos no documento.

Exames variam conforme a gravidade

No documento, os profissionais sugerem um algoritmo de avaliação para esportistas recreativos, competitivos e atletas na idade adulta, incluindo anamnese, exame físico ecocardiograma (ECG) para todos. A indicação de outros exames complementares varia conforme a gravidade do quadro clínico prévio da Covid-19, podendo incluir dosagem de níveis séricos de troponina, teste ergométrico ou cardiopulmonar de exercício, ecodopplercardiograma e ressonância magnética cardíaca, sendo a recomendação de avaliação mais abrangente nos esportistas competitivos e atletas. Eles ressaltam ainda a necessidade de acompanhamento regular e reavaliação a médio e longo prazos, visto que a evolução tardia da doença ainda é pouco conhecida.

Algumas orientações

A recomendação é que toda pessoa passe por uma avaliação médica antes de iniciar a prática de exercícios. Considerando-se que a maioria parou ou reduziu seu treinamento físico durante a pandemia, é recomendável que antes de retomá-lo sejam submetidas à nova avaliação;

A indicação dos exames também pode variar de acordo com a gravidade do quadro clínico da doença. Os doentes podem ser divididos em quadro clínico leve, moderado e grave, conforme o histórico apresentado;

Pessoas em fase aguda da doença e/ou sintomáticos não podem reiniciar a prática de atividades físicas. A avaliação deve ser realizada, no mínimo, após 14 dias do diagnóstico nos assintomáticos, ou 14 dias após a resolução do quadro clínico, naqueles sintomáticos.

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por