Exercícios vigorosos x artrose

Fitness

Exercícios vigorosos x artrose

Estudo mostra que pessoas com tendência a apresentar problema nas juntas podem praticar esportes intensos


Ciência mostra que exercícios intensos não causam artrose
Ciência mostra que exercícios intensos não causam artrose - Pexels/Banco de imagens

A artrose é uma das principais causas de prejuízo na qualidade de vida das pessoas. Quem já viveu crises de dor sabe o quanto o problema pode limitar a vida e as atividades cotidianas. Praticar algumas atividades esportivas como correr, jogar tênis ou mesmo futebol, assustam aqueles que têm alto risco de desenvolver a osteoartrite, também conhecida como artrose no joelho.

A ciência mostrou que não há tantos motivos assim para se preocupar. Pelo menos foi o que mostrou um estudo feito por pesquisadores da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, liderados pela fisioterapeuta Alison Chang. Ela e seus colegas avaliaram 1.194 indivíduos com média de 58 anos, que possuíam excesso de peso, histórico de cirurgia no joelho ou outros fatores que predispõem à osteoartrite. Em até dez anos de acompanhamento, não se notou uma maior incidência do problema entre os que aderiam a exercícios intensos.

"A artrose é a forma mais comum da artrite. É um processo de desgaste das articulações em que ocorre uma degeneração progressiva da cartilagem que recobre as extremidades ósseas, podendo ser descrita também osteoartrose", explica o ortopedista Samuel Lopes, especialista em cirurgia do joelho. Caracteriza-se pela degeneração progressiva da articulação e pode evoluir para deformidades e comprometimento da função. É muito comum nos joelhos, mas também ocorre nas mãos, coluna e quadris.

"Os principais sintomas da artrose no joelho são inchaço, dor que aumenta ao realizar atividades físicas e limitação dos movimentos, que pioram com o tempo se não tratados adequadamente", diz o ortopedista esportivo Daniel Carvalho.

"É uma doença que pode afetar todas as articulações e se caracteriza pelo desgaste de cartilagens que protegem essas articulações. No joelho o problema causa dor, inchaço e a perda progressiva do movimento", explica o ortopedista Pedro Baches Junior,especialista em joeçho

Diferentes tratamentos

O tratamento da artrose pode ser feito com analgésicos, anti-inflamatórios, infiltrações, além de fisioterapia e hidroterapia, para alívio da dor e fortalecimento muscular. Em último caso, é realizada a cirurgia de artrose, conhecida como a colocação de prótese no joelho, que restabelece o alinhamento da articulação e a estabilidade

Primárias ou idiopáticas: São aquelas que não tem uma causa definida. Pode até existir alguns fatores que podem contribuir para a artrose, mas, no geral, não associamos a origem da artrose à algum problema específico;

Secundárias: Estão associadas a alguma doença, seja a artrite reumatoide, a artrite psoriásica, ou um histórico de traumas e fraturas, que podem desencadear o processo de degeneração e o desgaste da articulação.

Fonte: Samuel Lopes,ortopedista, especialista em cirurgias do joelho e trauma do esporte

 

O processo de degeneração é inerente ao envelhecimento e acima dos 65 espera-se encontrar sinais de artrose na maioria das pessoas, em especial que são mais acometidas pelos quadros degenerativos nas articulações. Naqueles acima de 75 anos, estima-se uma prevalência de mais de 80%.

A dor é o principal sintoma da artrose do joelho e em geral é o que leva o paciente a procurar o ortopedista. Além da dor, pode-se observar deformidades do joelho, limitações do movimento e comprometimento da marcha e das atividades cotidianas. "O tratamento inicia-se pela mudança de estilo de vida com a realização de atividade física regular e a busca pelo peso adequado. Também é necessário que o paciente receba orientações para realização de atividades diárias cotidianas, pois elas também são importantes e impactam no controle da dor", diz ainda Samuel Lopes.